Resgate, deslanchada e declínio: análises dos primeiros 11 jogos de Jair Ventura no Sport

Jair Ventura passou por altos e baixos nos 11 jogos que comandou o Sport na Série A do Campeonato Brasileiro. No início de sua passagem, o treinador conseguiu resgatar o brio leonino. Depois, deslanchou e acabou levando o time às primeiras posições do Brasileirão. Num recorte recente, porém, o rubro-negro já apresenta um declínio tático e organizacional.

Nesta análise, o Pernambutático disseca este primeiro periódo de Jair Ventura no time da Ilha do Retiro, apontando alguns pontos positivos e negativos, além de destacar como o Sport pode evoluir e reencontrar o bom futebol de outrora.

O RESGATE

Em pouco mais de um mês e meio no Sport, Jair Ventura acumula cinco vitórias, um empate e cinco derrotas, com um aproveitamento de 48%. Sua estreia foi diante do Coritiba, no Couto Pereira, pela sexta rodada da Série A. Na ocasião, o Leão acabou derrotado por 1 x 0, mas conseguiu demonstrar um bom futebol e renovar as esperanças da torcida.

Diante do Coritiba, o Sport entrou em campo num 4-3-3 defensivo, buscando ser reativo, mas sem valorizar muito a posse. Pelas pontas, Jonathan Gómez e Marquinhos revezavam bastante de lado e o time às vezes se formava num 4-4-2, com Élton por dentro.

Escalação do Sport diante do Coritiba (Feito no Tactical Pad)

Quando o Coxa tinha a bola, o Sport de Jair se postava numa espécie de 4-4-1-1, com Marquinhos e Elton mais à frente, posicionados para um possível contra-ataque. Dessa forma, o Leão marcava por zona e preenchia bem os espaços pelos lados do campo, travando os paranaenses.

Sport postado em campo (Imagens: Premiere FC)

Ofensivamente, Jonathan Gómez era o principal encarregado da armação de jogadas no meio de campo. Além disso, o Sport contava com Ricardinho aparecendo como elemento surpresa na direita, com Marquinhos dando opção no lado oposto. Ricardinho quase marcou na sequência do lance. Wilson defendeu.

No ataque, Sport conseguia levar perigo ao Coxa (Imagens: Premiere)

O Sport teve a grande chance de marcar graças ao talento de Lucas Mugni. O argentino aproveitou que o Coritiba marcou por zona e deu lindo passe para Élton, que acabou desperdiçando grande chance. No fim, custou caro, com o Coxa marcando o único gol do jogo após pênalti infantil de Mailson.

Sport tem grande chance, mas Élton desperdiça (Imagens: GE)

A primeira grande atuação do Sport de Jair Ventura foi diante do Grêmio, na vitória por 2 x 1 em Porto Alegre. Na ocasião, o rubro-negro se postou no 4-3-2-1, utilizando muito as subidas dos laterais, principalmente Patric pela direita.

Dispostição tática do Sport contra o Grêmio (Feito no Tactical Pad)

Foi justamente numa investida de Patric que o Sport furou o bloqueio do Grêmio e abriu o placar. Betinho deu lindo passe, quebrando linhas, e o capitão leonino chegou para marcar um belíssimo gol na Arena.

Lance do primeiro gol do Sport na Era Jair Ventura (Imagens: Premiere)

Atuando no 4-3-2-1, o Sport costuma deu poucos espaços para os homens mais perigosos do ataque do Grêmio. Em especial, Diego Souza. O ex-camisa 87 do Leão teve atuação apagada, com Adryelson sendo absoluto na marcação, enquanto Maidana se aproximava mais de Thiago Neves.

Sport bem postado diante dos gremistas (Imagens: Premiere)

Bem defensivamente, o Sport chegou ao segundo gol no jogo. Marcando alto e pressionando a saída de bola gremista, Barcia foi derrubado na área e o árbitro marcou pênalti, que Maidana converteu. Antes do apito final, o Grêmio ainda diminuiu com Pepê.

Leão pressiona a saída e conseguiria um pênalti (Imagens: Premiere)

Contra o Goiás, na Ilha, Ventura repetiu a mesma escalação e variou entre o 4-3-2-1 e o 4-3-3, continuando com muita amplitude dos laterais. Dessa vez, foi Juba quem apareceu bem no ataque: lançou para Marquinhos em profundidade e o gol por pouco não saiu.

Postura tático do Sport ante o Goiás (Feito no Tactical Pad)

Vendo o espaço para quebrar as linhas do Esmeraldino pela esquerda, Juba fez grande jogada e deu sua primeira assistência para gol no Brasileirão. Driblou o marcador, cortou para a perna de direta, e Barcia, mesmo sem ângulo, marcou um belo gol para inaugurar o placar.

Lance do gol de Barcia (Imgens: Premiere)

O gol de empate veio numa falha de quem menos se espera: o centroavante, que tem o ofício de marcar gols a favor. Na ocasião, marcou contra, mesmo com os jogadores do Goiás distantes, com nove homens do Sport contra cinco do Esmeraldino na grande área.

Momento do gol contra de Élton (Imagens: Premiere)

A vitória veio após mais uma boa participação de Barcia, que iniciou a jogada do 2 x 1. O uruguaio recebeu de Ricardinho e, mesmo com a marcação dobrada, acionou Patric, que cruzou para o gol de Marquinhos. Mais uma subida expressiva dos laterais, a síntese dos primeiros jogos de Jair Ventura no Sport.

A derrota para o Fortaleza custou pontos, mas serviu para dar um alento ao Sport. O Leão não se postou bem defensivamente, atuando no mesmo esqueleto tático (4-3-2-1), mas com Barcia no lugar de Gómez pela direita do ataque.

Escalação do Leão contra o Fortaleza (Feito no Tactial Pad)

Defensivamente, o Sport chegou a formar praticamente uma linha de cinco inicial, com Betinho recuando. Frequentemente bem postado, o Leão só foi vazado com um gol de pênalti, que selou o resultado.

Sport com uma primeira linha de cinco (Imagens: FCF TV)

  A DESLANCHADA

O Venturismo começou a ganhar corpo no Sport após a boa atuação diante do Palmeiras, no empate em 2 x 2.  Em campo, com Mugni no meio, o Leão chegou a se postar no 4-5-1 para minimizar as investidas do alviverde.

Disposição tática do Leão contra o Palmeiras (Feito no Tactical Pad)

O Leão abriu o placar numa aula de amplitude com os laterais. Sander avançou pela esquerda e Patric acabou derrubado na grande área: pênalti. Maidana cobrou e fez.

Laterais dando apoio no Sport (Imagens: Premiere)

Após duas falhas defensivas do Sport, o Palmeiras virou a peleja, com Willian e Zé Rafael. Mesmo assim, o time de Jair Ventura chegou ao empate e deu indícios de uma reação que estava por vir.

Jair chegou ao seu primeiro jogo sem sofrer gol pelo Sport na vitória pelo placar mínimo ante o Fluminense, na Ilha. Na ocasião, o time atuou num 4-3-3 em bloco baixo, com pontas jogando por fora.

Escalação do Sport diante do Flu (Feito no Tactical Pad)

Maidana abriu o placar em cobrança de pênalti e mesmo assim o Sport continuou pressionando a posse de bola do Flu no campo de ataque. Hernane apertou e por pouco o Leão não fez o segundo gol no jogo.

Sport pressionando a saída de bola carioca (Imagens: Premiere)

À frente no placar, o Leão de Jair Ventura se fechou com todos os jogadores no campo de defesa, marcando por zona e utilizando triangulações para minimizar as investidas do tricolor carioca.  

Sport marcando por zona, com triangulações (Imagens: Premiere)

No confronto com o Corinthians, o Sport contou com a estreia de seu principal reforço para a temporada: Thiago Neves. Com o camisa 30, a equipe de Ventura se postou no 4-2-3-1 como base, tendo Neves e Hernane por dentro, Gómez e Mugni por fora e Marcão e Ricardinho como volantes.

Disposição tático do Leão diante co Corinthians (Feito no Tactical Pad)

Nas pontas do Leão, Mugni e Gómez revezavam bastante de lado no momento da recomposição defensiva, tentando diminuir os espaços e minimizar as subidas dos laterais do Corinthians.

Mugni auxiliando na recomposição (Imagens: Rede Globo)

A primeira chance de Thiago Neves veio em boa jogada pela direita, com Patric. O camisa 30 recebeu em boas condições para o arremate, mas foi bloqueado pela defesa do Timão. No lance seguinte, o árbitro marcou pênalti e Maidana cobrou mais uma vez com categoria para abrir o placar na Ilha.

Chance de gol de Thiago Neves (Imagens: Rede Globo)

Com a vantagem, o Sport se fechou ainda mais no segundo tempo, se postando no 4-5-1 defensivamente, com o meio de campo bastante povoado. Dessa forma, o Leão chegou aos três pontos.

Sport postado no 4-5-1 (Imagens: Rede Globo)

Após duas atuações seguras e sem sofrer gols, o Sport chegou em alta para o embate com o rival Bahia. No campo, o Leão se postou no mesmo 4-2-3-1 de base, tendo Mugni auxiliando Thiago Neves na criação de jogadas e Marquinhos, por vezes, fazendo a função de segundo atacante.

Postura tático do Leão diante do Bahia (Feito no Tactical Pad)

O Sport abriu o placar em mais uma boa investida de Patric pela direita. O lateral-direito ficou com o rebote, entrou na grande área e sofreu pênalti. Na cobrança, Hernane bateu no canto esquerdo de Douglas e fez 1 x 0.

Patric investe pela direita e conseguiria um pênalti (Imagens: Premiere)

Melhor em campo, a equipe de Jair Ventura ampliou com a primeira assistência de Thiago Neves pelo Leão. O camisa 30 cobrou falta na área, Marcão conseguiu vencer a marcação e testou para o gol.

Lance do gol de Marcão (Imagens: Premiere)

Com a dianteira no placar, o Sport voltou a marcar por zona, utilizando triangulações como aconteceu contra o Fluminense. O Bahia respondeu e conseguiu diminuir, mas a reação não passou daí.

O DECLÍNIO. INEVITÁVEL?

Quando o Sport vivia sua melhor fase no Brasileirão, aparecendo na quinta colocação, o aperreio começou para a torcida leonina no confronto com o Flamengo. Diante do rival de 1987, o time de Jair repetiu a escalação e o mesmo 4-2-3-1.

Disposição tática do Leão contra o Fla (Feito no Tactical Pad)

Nas quatro linhas, o Leão não viveu noite inspirada taticamente. Deu muito espaços pelas laterais e foi justamente por lá que o rubro-negro carioca começou a construir os caminhos da vitória.

Sport dando espaços nas costas de Patric (Imagens: GE)

O primeiro gol do Fla nasceu de uma jogada de Isla pela direita. A defesa leonina se posicionou mal, Bruno Henrique escorou e Pedro bateu firme para vencer Luan Polli e abrir o placar no Maracanã.

Momento no primeiro gol do Flamengo (Imagens: GE)

A equipe da casa ampliou com Gustavo Henrique, de cabeça, e frustrou um esboço de reação do Sport. O golpe final veio em mais uma falha defensiva leonina. Pedro aproveitou o espaço dado pela marcação e deixou mais um, selando o 3 x 0.

Pedro fecha a contagem no Maraca (Imagens: GE)

Tentando se recuperar da derrota para o Fla, o Sport recebeu o Botafogo na Ilha postado no mesmo 4-2-3-1. A novidade na escalação de Jair Ventura foi o retorno de Barcia entre os titulares, com Thiago Neves mais uma vez de falso 9.

Escalação do Leão contra o Bota (Feito no Tactical Pad)

Com TN30 atrás de Hernane, o Leão chegou a se postar no 4-4-1-1, com duas linhas de quatro que tentavam frear o ímpeto do Botafogo no meio de campo. Por outro lado, o time tinha uma transição ofensiva muito lenta e não conseguia levar perigo à meta de Cavalieri.

Sport posicionando 4-4-1-1 (Imagens: Premiere)

O Bota conseguiu abrir o placar numa falha medonha do goleiro Luan Polli. O camisa 27 tentou sair jogando com os pés, mas deu um presente para Honda. Frio e calculista, o japonês finalizou com categoria de canhota e estufou as redes leoninas.

Lance do gol de Honda (Imagens: Premiere)

O Sport continuou dando espaços na marcação e quase os cariocas fizeram o segundo. Honda aproveitou a falha na marcação leonina, recebeu bela enfiada de bola e por pouco o gol não saiu.

Mais um vacilo defensivo do Sport (Imagens: Premiere)

Ofensivamente, o Leão era pouco produtivo. Numa das poucas chances que teve, Marquinhos recebeu belo passe de Thiago Neves na esquerda e bateu cruzado, mas a zaga do Bota fez o corte.

Boa jogada do Sport, que quase marcou (Imagens: Premiere)

O balde de água fria para o Leão veio em mais um vacilo defensivo. Caio Alexandre foi acionado, pisou na grande área e bateu na saída de Polli para fazer 2 x 0. Ainda houve tempo para Thiago Neves marcar seu primeiro gol com a camisa do Sport, mas de nada adiantou.

Segundo gol do Bota no jogo (Imagens: Premiere)

A atuação mais preocupante do Sport de Jair Ventura foi na última rodada, quando o time foi derrotado impiedosamente pelo Internacional por 5 x 3. Diante do Colorado, o Leão voltou a se postar no 4-2-3-1.

Postura tático do Sport ante o Inter (Feito no Tactical Pad)

O Sport voltou a apresentar linhas tortas na defesa e não demorou para o Inter chegar ao primeiro gol. Patrick, ex-Leão, avançou pela esquerda, fez grande jogada e fuzilou para a meta leonina para fazer 1 x 0.

Momento do gol de Patrick (Imagens: GE)

A equipe gaúcha ampliou em mais um cochilo da zaga rubro-negra. Abel Hernández aproveitou a desorganização da marcação do Sport na grande área após cruzamento da direita e fez o segundo do Inter.

Inter chega ao segundo com Hernández (Imagens: GE)

Na sequência, Marquinhos e Rodrigo Moledo fizeram de cabeça, marcando o primeiro do Sport e o terceiro do Inter, respectivamente.

O Leão conseguiu fazer uma boa triangulação ofensiva para chegar ao segundo gol no jogo. Após troca de passes entre Marquinhos e Mugni, Barcia bateu firme no ângulo de Marcelo Lomba e diminuiu.

Em boa jogada, Leão diminui (Imagens: GE)

Com o gol, o Sport cresceu ofensivamente e quase chegou ao empate. Defensivamente, porém, a noite era desastrosa e Patrick guardou mais um após assistência de Thiago Galhardo, que havia saído do banco de reservas.

Patrick deixa mais um (Imagens: GE)

No fim, Yuri Alberto ampliou e o atacante Mikael, da base leonina, descontou para os pernambucanos, fechando a contagem e 5 x 3 para o Colorado.

Neste domingo (18), o Sport de Jair terá mais um duelo duro na Série A, contra o Bragantino, no Nabi Abi Chedid, pela 17ª rodada do Brasileirão. Atualmente, o Leão é 10º colocado com 20 pontos ganhos.

Por: Felipe Holanda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: