Como joga taticamente o Oeste, adversário do Náutico na Série B

Lanterna, uma vitória, de técnico interino e a pior defesa com 29 gols sofridos. Esse é o panorama do Oeste para enfrentar o Náutico, nesta terça-feira (20), pela 17ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O time busca voltar a vencer após sete partidas e vai para o terceiro treinador na temporada, mas terá o auxiliar fixo da comissão Sérgio Alex interinamente. Separamos para a torcida alvirrubra tudo sobre esse próximo adversário: provável escalação, jogadores para ficar de olho e muito mais.

Depois de engatar mais um resultado negativo, Thiago Carpini entrou em acordo junto à diretoria do Rubrão e se despediu com apenas quatro jogos, sendo três derrotas e um empate. Foram somente 20 dias de trabalho e, para enfrentar o Timbu, a escalação está indefinida, pois o único treino previsto foi cancelado por fortes chuvas.

A única certeza para os paulistas é a volta do lateral-esquerdo Salomão, que foi desfalque ante o Confiança cumprindo suspensão pelo terceiro amarelo. A tendência é de que o 4-2-3-1, usado no comando de Carpini, seja mantido mesmo com tantas dúvidas de quem será escalado; a expectativa é de que a base titular até seja mantida, já que as mudanças não estão dando certo.

Rubrão deve seguir no 4-2-3-1 em jogo diante do Timbu (Feita no Tactical Pad)

PONTOS FRACOS

Mesmo jogando em um esquema que favorece transições tanto ofensivas como defensivas mais suaves, o Oeste tem se mostrado muito frágil na sua defesa e agredido pouco os adversários. O fato de ter sido a equipe mais vazada da Segundona é reflexo de uma recomposição ruim, cedendo muitos espaços entrelinhas e falhas constantes de posicionamento, como ocorreu no duelo contra o Operário.

Rubrão falha na transição defensiva e Operário sai com a vitória (Foto: SporTV/Premiere)

Na – então – estreia de Carpini na Arena Barueri, a dupla de zaga do Rubrão até se posicionou bem para marcar os adversários, mas seus companheiros de time atrapalharam os planos. A cabeça de área marcou muito mal, com o lateral-direito Éder Sciola caindo fora de posição e nenhum dos volantes ficou na cola dos jogadores do Fantasma, que venceu por 1×0.

DE OLHO

Apesar dos pontos fortes serem escassos, quiçá raros, os paulistas buscam jogar no erro do oponente, seja dentro ou fora de casa. Um desses poucos momentos foi diante do Cruzeiro e com um dos únicos destaques na Série B, o experiente meia-atacante Mazinho.

Éder Sciola deu velocidade pelo lado direito, viu espaço na cabeça de área cruzeirense e mandou um bolão ao camisa 10; a conclusão, entretanto, não foi exitosa, para sorte da Raposa.

Ficha do jogo

Oeste (4-2-3-1): Luiz; Éder Sciola, Renan Fonseca, Caetano e Salomão; Lídio e Caio Vinícius; Marlon, Mazinho e Bruno Lopes; Welliton. Técnico: Sérgio Alex (interino)

Náutico (4-2-2-2): Jefferson; Hereda, Ronaldo Alves, Camutanga e Wilian Simões; Rhaldney e Jhonnatan; Jorge Henrique e Jean Carlos; Erick e Kieza. Técnico Gilson Kleina

Árbitro: Douglas Schwengber da Silva (RS)

Assistentes: Maurício Coelho Silva Penna e Luiza Naujorks Reis (ambos do RS)

Por: Mateus Schuler

2 comentários em “Como joga taticamente o Oeste, adversário do Náutico na Série B

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: