Sem jogar a toalha: análise Botafogo-SP 1 x 1 Náutico

Por: Felipe Holanda

O Náutico segue sem jogar a toalha na luta contra o rebaixamento na Série B do Brasileiro. Fez jogo duro e buscou o empate em 1 x 1 contra o Botafogo-SP, fora de casa. O resultado poderia ser considerado positivo, não fosse pela situação delicada dos alvirrubros, que fecham a 28ª rodada na 18ª colocação.

Precisando pontuar, Hélio dos Anjos escalou o time com o que tinha de melhor, exceto pelo artilheiro Kieza, que estava suspenso. Taticamente, a formação principal foi o 4-2-3-1 híbrido, podendo ser 4-4-2 ou até 4-3-3 a depender da ocasião.

Como o Timbu iniciou o embate na prancheta de Hélio (Feito no Tactacl Pad)

COMO FOI

O Timbu iniciou a peleja com a marcação adiantada em bloco médio/alto, postado no 4-1-4-1, com Djavan à frente da primeira linha. Travava a investidas do Pantera pelo meio e bloqueava as subidas dos laterais adversários; outra alternativa dos alvirrubros foi o 4-4-2 tradicional, com Jean Carlos e Paiva mais adiantados.

Postura defensiva nos primeiros minutos (Imagem: Premiere)

Sem Kieza, Vinícius flutuava entrelinhas para encontrar a melhor opção de passe e assim o Náutico conseguia criar chances de perigo, mas faltava mais precisão na hora do arremate em gol.

Tendo a posse, a principal aposta ofensiva foi o 4-3-3, com troca de passes entre os supracitados Paiva, Jean Carlos e Vinícius. Numa dessas triangulações, Vinícius por pouco não abriu a contagem em Ribeirão Preto, mandando à direita da meta do Botafogo.

Espécie de triângulo ofensiva (Imagem: Premiere)

Mas o futebol tem suas peculiaridades e, como diz a máxima, “quem não faz, leva”. Após boa jogada pela direita e cruzamento de Ronald, Matheus Anjos cabeceou no canto de Anderson, colocando os donos da casa à frente do placar.

O time da Rosa e Silva sentiu o golpe e continuou falhando na defesa. Podia, inclusive, ter sofrido o segundo gol, que só não foi assinalado porque o mesmo Matheus carimbou o travessão dos pernambucanos.

Em desvantagem, a equipe de Hélio dos Anjos viu o adversário se criar na partida, explorando os contra-ataques e se fechando bem lá atrás. Até conseguiu responder em bela jogada de Erick, que saiu do banco de reservas para quase deixar tudo igual. Jefferson salvou os paulistas.

A reação alvirrubra, enfim, veio. O tento de empate passou diretamente pelos pés de Erick, Dadá e Paiva, com o paraguaio completando boa jogada e igualando a peleja.

Boa jogada no lance do gol (Imagem: Premiere)

A bola nas redes serviu como uma espécie de ansiolítico para o Timba. Mais tranquilo, passou a trocar passes e valorizar a posse de bola, esperando o melhor momento para encaixar outra jogada letal. A virada, entretanto, não aconteceu, mas a atuação pode servir como alento para os próximos jogos.

Foto: José Bazzo/Agência Botafogo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: