Mandou, desmandou e foi campeão: análise Náutico 5×1 Fortaleza Sub-20

Por: Felipe Holanda

O Náutico mandou e desmandou na Copa do Nordeste Sub-20. Invicto, sobrou na competição e foi campeão com vitória acachapante por 5 x 1 sobre o Fortaleza, nesta terça-feira (22), na Arena de Pernambuco, na grande final. Se a fase nos profissionais não é das melhores, o Timbuzinho mostrou que o caminho pode ser de luz.

Na prancheta de Levi Gomes, os alvirrubros mantiveram o sistema tático, postado no 4-2-3-1 flexível, variando para o 4-3-2-1 e 4-1-4-1; a grande ausência na escalação inicial foi do zagueiro Marcão, que foi relacionado para o confronto dos profissionais, nos Aflitos, contra o Cuiabá.

Apoie nosso site e não marca nada sobre os times do futebol pernambucano

Como os campeões começaram a partida (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

O gol que abriu o caminho rumo à taça veio logo cedo, na jogada mais letal da base do Náutico: a bola aérea. Wanderson cobrou escanteio fechado e Vellaske desviou para o fundo das redes cearenses para abrir o placar.

Mais à vontade do que o adversário, a equipe da casa passou a controlar o jogo, rodando bem a bola nos dois primeiros terços do campo e fechando espaços. Sem a posse, se postava num 4-4-1-1 híbrido, que variava rapidamente para o 4-3-2-1, com a joia Juninho Carpina atuando por dentro, centralizado.

Postura defensiva do Timba (Imagem: Live FC)

A segunda “botada” do alvirrubros nasceu de uma bela jogada e cruzamento de Vellaske, no qual o zagueiro do Tricolor do Pici mandou contra o próprio patrimônio. Com o lateral esquerdo, o time passou a explorar triangulações por este lado do campo, o que, inevitavelmente, gerava espaços nas linhas adversárias.

Posicionamento com a bola (Imagem: Live FC)

Com a faixa de capitão, Carpina seguiu como maestro do time, cadenciando a posse de bola quando necessário e vindo constantemente para buscar jogo lá atrás. Outro que atuou bem foi Wanderson, de extremo direito, principalmente após a expulsão de Geílson, ainda no primeiro tempo.

Quase veio o terceiro em duas finalizações perigosas de Carpina, mas o camisa 10 mandou para fora. Só dava Timbu e os desafiantes já se sentiam acuados à medida que o tempo passava. Na sequência, não teve com jeito, com Luis Felipe fazendo 3 x 0.

Wallisson Bahia, que aproveitou o cochilo da marcação rival, ainda fez o quarto. O Fortaleza conseguiu descontar, mas Wallisson foi às redes de novo e assinalou seu quinto tento na Copa do Nordeste para selar o placar. E garantir a taça.

Com uma campanha fora da série, o Náutico contrariou a sina, já que havia “batido na trave” três vezes no Nordestão, perdendo três decisões. Título merecido até demais.

Créditos da foto principal: Marlon Costa/Náutico

2 comentários em “Mandou, desmandou e foi campeão: análise Náutico 5×1 Fortaleza Sub-20

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: