Presente antecipado: análise Santa Cruz 2×0 Itabaiana

Por: Mateus Schuler

Nos cascalhos e na lama. O Santa Cruz recebeu presente de aniversário antecipado na véspera dos seus 107 anos de fundação. Na noite desta terça-feira (2), bateu o Itabaiana por 2×0 no jogo de volta da fase preliminar, no Arruda, e garantiu renda que vale ouro. Com a vaga, os corais confirmam presença na fase de grupos da Copa do Nordeste.

Os próximos adversários do Mais Querido serão conhecidos, por meio de um sorteio, apenas na próxima quinta-feira (4), às 12h, na sede da CBF. A única certeza é a premiação pela classificação, que é de R$ 1,5 milhão por disputar a segunda fase.

Por atuação ruim na ida, Bileu e Pipico foram sacados da titularidade (Feito no TacticalPad)

Apoie nosso site e não perca nada sobre os times do futebol pernambucano

COMO FOI

Precisando se impor dentro de seus domínios, mesmo sem a presença dos torcedores, o Santa Cruz foi soberano com a bola no pé, mas o maior pecado era justo na criatividade. Não por acaso, o Itabaiana criou a primeira chance de mais perigo, porém sem êxito na finalização.

Apesar do susto, o ritmo ofensivo foi mantido por parte do Mais Querido, com o Tremendão ficando mais preso na sua defesa. Sem ter um posicionamento fixo ao atacar, a Cobra Coral procurou alternativas para dar o bote fatal, no entanto parou na trave em falta de Chiquinho. Não demorou muito para que o camisa 10 fosse efetivo: em chute de fora da área, o goleiro não segurou e a bola morreu no fundo do gol.

Com dois homens na pequena área, ataque coral abriu espaço para chute de Chiquinho (Imagem: TV Jornal Recife)

Na etapa final, Martelotte optou por não realizar mudanças e a postura foi a mesma dos 45 minutos iniciais: muita intensidade no setor ofensivo e pouco trabalho aos defensores. Chiquinho, em noite inspirada, fez boa jogada pelo lado direito e tentou surpreender, porém Remerson afastou no meio da área; lá estava Lourenço, que só teve o trabalho de mandar para dentro da meta.

Valorizando a vantagem debaixo do braço, já que poderia sofrer pelo menos um gol, o Santa passou a se defender no 4-1-4-1 após a entrada de Tinga na vaga de Didira. Com o meio-campo povoado, os pernambucanos cederam ainda menos espaços, contudo os sergipanos tiveram a oportunidade para diminuir o placar em cobrança de pênalti: Thiago Santos bateu muito mal e não aproveitou.

Defesa do Mais Querido passou a defender no 4-1-4-1 após consolidar vantagem (Imagem: Copa do Nordeste)

Créditos da foto principal: Rafael Melo/Santa Cruz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: