O início de uma Era: análise Santa Cruz 2 x 0 Vitória

Por: Felipe Holanda

A “Era” João Brigatti no Santa Cruz se iniciou com um capítulo positivo. Em seu primeiro jogo à beira do gramado, Brigatti viu a Coral vencer o Vitória por 2 x 0 nesta quarta-feira (24), no Arruda, pela rodada de estreia do Campeonato Pernambucano. Com o resultado, o tricolor encabeça a tabela do estadual, ao lado de Sport e Salgueiro.

Quando falamos em Era é inevitável destacar a rotatividade do futebol brasileiro. Mas o novo comandante tem o aval completo da nova direção e dos jogadores. Tricolor deve voltar a campo no próximo sábado (27), contra o Vitória, caso o jogo seja mantido; o desafio seguinte pelo estadual será contra o Central, na quarta (3).

Apoie nosso site e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

Já dando sua “cara” ao time, João Brigatti escalou o tricolor num esquema com três zagueiros, explorando um 3-5-2 que variava constantemente ao 5-3-2, com Chiquinho e Pipico mais adiantados. A principal ausência ficou por conta de Leonan, que sofreu lesão e foi cortado de última hora. Marcel assumiu o posto na lateral esquerda.

Formação inicial dos comandados de Brigatti (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Os corais assustaram logo cedo, quando Chiquinho completou cruzamento da direita. Mas não passou de um esboço. Com Marcel disperso, foi o Taboquito que levou perigo à vera, quando Léo Fernandes cruzou na área, Nathan se esticou todo e por pouco não abriu o placar.

Depois do susto, Brigatti inverteu os laterais, colocando Augusto Potiguar pela esquerda e Marcel no lado oposto. Outra mudança foi o aumento na pressão na saída de bola do adversário, com a dupla de ataque apertando a posse rival e dificultando a construção de jogadas do Tricolor das Tabocas; apesar do ímpeto do Santa, o Vitória ia se crescendo no jogo e levava mais perigo à meta de Jordan mesmo com menos posse de bola.

Reiterando a tese de que “quem não fez, leva”, o Mais Querido abriu o placar com a assinatura do artilheiro Pipico. Após cruzamento preciso de Paulinho na grande área, o camisa 9 se desvencilhou da marcação e testou para o fundo das redes: 1 x 0. No lance, Didira puxou a marcação, dando espaço às chegadas de Chiquinho e do próprio Pipico.

Lance do primeiro gol da Cobra (Imagem: Sportv)

Vendo a noite infeliz de Marcel, Brigatti promoveu a entrada de Vinícius Balotelli, que é meia de origem, para atuar no setor. Dessa forma, a equipe se postava no 4-2-1-3, com Balotelli e Didira abertos, Chiquinho mais por dentro e Pipico segurando as atenções da marcação vitoriense.

Com mais triangulações no ataque, quase veio o segundo. Variando para o 4-3-3, Paulinho abriu para Didira na direita, que cruzou na área. Pipico pegou de primeira, firme, mas parou na boa defesa do arqueiro visitante; o goleiro Preto voltou a aparecer bem em arremate firme de Célio Santos de fora da área, minutos mais tarde.

Enquanto via o oponente “perder as pernas”, o Santa controlou de vez as ações da partida. Com o triunfo praticamente encaminhado, Brigatti se deu o luxo de descansar Pipico, promovendo a entrada do promissor Léo Gaúcho. Dez minutos em campo foram suficientes para o centroavante deixar sua marca, quando Chiquinho cruzou com precisão e o camisa 22 cabeceou para o fundo do gol.

Créditos da foto principal: Rafael Melo/Santa Cruz

Um comentário em “O início de uma Era: análise Santa Cruz 2 x 0 Vitória

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: