Sem sula: análise Athletico 2 x 0 Sport

Por: Felipe Holanda

O sonho da Sula acabou para o Sport. Mesmo dependendo apenas de si para se classificar à Copa Sul-Americana, o Leão foi derrotado por 2 x 0 pelo Athletico nesta quinta-feira (25), na Arena da Baixada, em Curitiba, e viu o Bahia o ultrapassar na tabela da Série A do Campeonato Brasileiro, ficando fora da competição continental.

O 15º lugar na tabela, contudo, coroa uma temporada positiva do rubro-negro na principal competição da temporada. Agora, o foco passa a ser na Copa do Nordeste. A estreia está marcada para o próximo domingo (28), contra o Sampaio Corrêa, às 20h, na Ilha do Retiro.

Apoie o nosso site e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

Na escalação, Jair Ventura não promoveu novidades, reutilizando o esquema com três zagueiros, estratégia que não duraria muito tempo. A princípio, a tática base era um 5-4-1 na defesa e 4-3-3 no ataque, com Thiago Neves se aproximando a Marquinhos e Dalberto na última.

Formação inicial dos pernambucanos (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Mesmo fechado na defesa, o Leão não conseguiu frear o ímpeto do adversário e o Athletico abriu a contagem logo cedo. Após lançamento na área, Renato Kayzer deu a assistência e Nikão – que estava impedido no primeiro lance, mas não participou – teve apenas o trabalho de completar para o fundo das redes de Luan Polli.

Sem reação e pouco produtivo no terço final do campo, Jair Ventura adiantou o time, tirando um dos zagueiros (Rafael Thyere) para a entrada do prata da casa Ewerthon. O objetivo do técnico leonino era explorar melhor as subidas de Abner Vinícius por aquele setor e criar chances de perigo. Tendo Ewerthon, a tática base passou a ser um 4-4-2 clássico.

Com gás renovado pelo lado direito, o Leão passou a igualar as ações e ser mais proativo no ataque. Por outro lado, esbarrava na atuação apagada de Thiago Neves e falta de mobilidade de Dalberto, mais à frente, e Marquinhos, à esquerda; pernambucanos poderiam até ter igualado, mas Patrick desperdiçou boa oportunidade em cobrança de falta, carimbando a barreira paranaense.

Posicionamento leonino no primeiro gol do CAP (Imagem: Fanatiz)

O Sport voltou pressionando na etapa final e até conseguiu igualar a contagem, mas a arbitragem anulou o gol marcando impedimento de Thiago Neves. De toda forma, a postura já era diferente. O árbitro até podia ter marcado pênalti após Betinho ser calçado na grande área, mas mandou seguir o lance polêmico.

Ventura também promoveu a entrada de Luciano Juba no lugar de Marquinhos, tentando dar um pouco mais de proteção no lado esquerdo da defesa. Juba apareceu bem atuando mais adiantado e cruzou bem para Patric, que desperdiçou boa chance de deixar tudo igual. As pretensões do Leão se esfriaram de vez quando Léo Citadinni fez o segundo e selou o placar.

Uma das poucas investidas perigosas do Sport (Imagem: Fanatiz)

Créditos da foto principal: José Tramontin/athletico.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: