Emoções mistas: análise Sport 1×1 Sampaio Corrêa

Por: Mateus Schuler

Um ponto “negativo” para o Sport. Na estreia da Copa do Nordeste, o Leão foi a campo um time misto na noite deste domingo (28), na Ilha do Retiro, porém pouco criativo. Até saiu na frente do placar, mas amargou o empate em 1×1 com o Sampaio Corrêa em partida válida pela 1ª rodada do Nordestão.

Com o resultado, o Leão fica na 3ª posição do Grupo B junto ao CSA, porém Fortaleza e ABC ainda podem ultrapassá-lo. O próximo duelo no Nordestão é no sábado (6), diante do CRB, às 16h no Rei Pelé; antes, entretanto, receberá o Salgueiro na quarta-feira (3), às 18h, novamente dentro de seus domínios na 2ª rodada do Campeonato Pernambucano.

Ainda sem poder contar com todo o time principal, Jair Ventura decidiu por ir a campo com uma mescla, formada por jovens da base e peças que foram acionados durante boa parte da última temporada. Diferente do que ocorreu no Brasileirão, quando chegou a figurar no 5-4-1, os leoninos se postaram em um 4-2-3-1.

Com time misto, Jair Ventura decidiu por nova configuração tática (Feito no TacticalPad)

COMO FOI

Com sistema tático diferente até da estreia no Campeonato Pernambucano, o Sport mostrou uma postura menos exposta defensivamente, mas sentiu a falta de entrosamento ao tentar criar no ataque. Essa ausência de ritmo das peças juntas gerou brechas também na defesa, mesmo que tivessem dois volantes marcadores e três laterais em campo.

Performando um 4-1-4-1 ao defender, o Leão povoou o meio, com o volante Márcio Araújo ocupou as entrelinhas e Mikael na referência. Assim, Ronaldo e Ítalo tiveram liberdade para sair pelo meio, já Ewerthon e Luciano Juba eram os responsáveis pela criação pelos lados; apesar disso, a equipe não teve a qualidade esperada.

Leoninos se defenderam alternando entre 4-1-4-1 e 4-5-1 (Imagem: Nordeste FC)

Para a etapa final, Jair Ventura tentou mudar a dinâmica ofensiva para criar melhor, sacando Ítalo para a entrada de Gustavo. A entrada do meia deixou o time com mais poder criativo, algo que não foi apresentado durante toda a etapa inicial. A intensidade teve a recompensa antes mesmo dos 15 minutos, quando Ewerthon cobrou falta na área e Paulo Sérgio mandou para a própria meta.

Os rubro-negros permaneceram no campo de ataque e tiveram chances de ampliar a vantagem. A primeira veio com Júnior Tavares, de falta, mas a bola saiu sobre a barra adversária. Logo em seguida, após saída errada do Paio, a sobra ficou com Gustavo, que bateu forte e Mota espalmou. Quando parecia que tudo encaminharia para a vitória, Dione lançou na pequena área e Chico fez contra.

Sentindo a necessidade de estrear triunfando, o Leão voltou a aparecer mais no setor ofensivo, ainda que os maranhenses tivessem falso domínio do jogo. Já nos acréscimos, a equipe pernambucana poderia ter saído com os três pontos quando Mateusinho foi lançado por Gustavo pela direita e arrematou cruzado, contudo Mota espalmou e evitou.

Rubro-negros até ficaram mais intensos ofensivamente na etapa final (Imagem: Nordeste FC)

Créditos da foto principal: Anderson Stevens/Sport

Um comentário em “Emoções mistas: análise Sport 1×1 Sampaio Corrêa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: