O novo gringo do Arruda: o que esperar de Martín Rodríguez no Santa Cruz

Por: Felipe Holanda

O principal postulante à titularidade no gol do Santa Cruz “habla”. Resgatando tradição de “gringos”, Martín Rodríguez chega com pompa de solução para os problemas nas traves corais após a saída de Maycon Cleiton. Por outro lado, o uruguaio terá que reencontrar seus melhores dias no Mais Querido se quiser ter chances de brigar com Jordan, titular neste início de temporada.

Nesta análise, o Pernambutático disseca os principais destaques do reforço tricolor, com posicionamentos táticos (sim, o goleiro também é muito importante neste quesito), números, pontos fortes e fracos, e muito mais sobre o arqueiro celeste, que atua no Brasil desde 2019.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

O GOLEIRO E A TÁTICA

Antes de iniciar, é importante frisar que uma análise tática de goleiro pode causar estranheza em alguns. Mas é justamente por isso que o assunto tem relevância. Além disso, o futebol vive uma constante mutação nos últimos anos e o mais afetado com isso é aquele que está debaixo das traves sob a incumbência de evitar o gol adversário.

As responsabilidades que um arqueiro tem e representa no esporte são várias outras além de proteger a própria meta. No atual momento, participa da partida em todas as fases do jogo através de seu posicionamento tático. Sendo assim, antes de utilizar 3-5-2 abriremos uma exceção e citaremos o 1-3-5-2.

Martín Rodríguez sabe trabalhar bem com pés, algo que pôde ser observado durante sua carreira.  No Uruguai, defendeu times intermediários, casos de Montevideo Wanderers, Juventud e Racing. Nos Bohemios, mostrou que tem expertise e agilidade na saída de bola, sendo um dos destaques na campanha da Libertadores.

Goleiro celeste participando do toque de bola (Imagem: GolTV)

No Santa, Martín pode ser fundamental na posse coral e tende a se adaptar bem no esquema com três zagueiros, participando efetivamente da construção de jogadas, ao lado de Willian Alves, Danny Morais e Célio Santos. Se regularizado até esta sexta-feira (5), o arqueiro está apto para fazer sua estreia diante do ABC, domingo (7), pela Copa do Nordeste.

Possível escalação tricolor para encarar o alvinegro potiguar (Feito no Tactical Pad)

Evolução humana e tecnológica. Indo na mesma toada, a tecnologia evoluiu muito e hoje é um dos principais alicerces da análise de desempenho em relação a goleiros. Um dos trabalhos que destaca a importância dos softwares é o artigo “Analytic method for evaluating players’ decisions in team sports: Applications to the soccer goalkeeper“, divulgado na Plos One em 2018.

Todas as possibilidades de tomadas de decisões de um goleiro (Reprodução/Plos One)

SENSO DE POSICIONAMENTO

Além de participativo com a bola nos pés, Martín Rodríguez não compromete debaixo das traves. Experiente, o goleiro sabe se posicionar bem e acumula defesas importantes na carreira. Mostrou ser decisivo em bolas paradas, como aconteceu no empate sem gols diante do Olimpia pela Libertadores.

Boa defesa do arqueiro coral (Imagem: CONMEBOL)

Martín também brilhou em cobranças de pênalti, muito disso por conta de seu senso de posicionamento, aliado a boa estatura e um preparo físico favorável. Desde 2018, ele atua no futebol brasileiro. Sua primeira passagem foi pelo Vitória-BA.

NÚMEROS PELO LEÃO DA BARRA:

  • 28 jogos, sendo oito sem ser vazado
  • Sofreu 29 gols, sendo 23 dentro da área e seis de fora
  • Foram 87 defesas realizadas, 35 em chutes de fora da área e 52 de dentro

COMO FOI A ÚLTIMA TEMPORADA?

Em 2020, Martín defendeu o Operário Ferroviário na Série B do Brasileiro, porém não conseguiu ser utilizado com frequência. No Arruda, o arqueiro busca reencontrar a regularidade no Nordeste e voltar a empilhar atuações positivas.

NÚMEROS PELO FANTASMA:

  • Nove jogos e não foi vazado em três
  • Sofreu nove gols, seis dentro da área e três de fora
  • Foram 21 defesas, 12 de dentro da área e nove de fora

GRINGOS QUE JÁ PASSARAM PELO SANTA

Mancuso chegou ao Santa a “peso de ouro” (Imagem: Acervo DP, Ricardo Borba/D.A Press)

O principal ícone da “invasão” sul-americana que aconteceu no Santa Cruz é um volante argentino que marcou época: Alejandro Mancuso. Chegou badalado ao Recife e formou um time de respeito ao lado do companheiro Hector Almandóz, que era zagueiro. O ano, 1999; o uruguaio Claudio Millar que – infelizmente – já é falecido, também atuou naquela temporada.

Em relação a goleiros, Martín Rodríguez será apenas o segundo gringo na história do clube e o primeiro em seis décadas. Antes, apenas o argentino Cavallero havia defendido a meta tricolor, nas temporadas 1961 e 1962.

Referência:

‘Analytic method for evaluating players’ decisions in team sports: Applications to the soccer goalkeeper. De Leonardo Lamas, Rene Drezner, Guilherme Otranto, e Junior Barrera.

Créditos da foto principal: Letícia Martins/ECVitória

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: