Salgueiro na Copa do Nordeste: como joga taticamente o 4 de Julho

Por: Guilherme Batista

“Gavião vive a voar, sua caça procurando”*. Atual campeão piauiense e em sua primeira participação na Copa do Nordeste, o 4 de Julho de Piripiri quer fazer bonito e aposta no jogo reativo para ser fatal contra adversários mais qualificados. Assim, o Gavião recebe o Carcará às 15h30 deste domingo (7), no Albertão, em partida válida pela segunda rodada do certame regional.

Após estrear empatando fora de casa sem gols contra o Botafogo-PB, o Colorado tende a ter uma partida ao seu gosto, já que o Salgueiro precisará do resultado. Separamos para a torcida salgueirense tudo sobre o próximo adversário: prováveis formações táticas, números, pontos fortes e fracos, jogadores para ficar de olho e muito mais dos alvirrubros.

Apoie nosso site e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

Por conta da maratona de jogos, Flávio Araújo vem alternando as peças, colocando em campo quem está melhor fisicamente no momento. O único jogador que está retornando de lesão é o experiente lateral-direito Wilsinho. De resto, todos estão saudáveis e, em tese, aptos para o duelo.

Gavião Colorado deve repetir o 4-3-3 que mandou a campo na estreia (Feito no TacticalPad)

COMO ATACA

Velocidade e objetividade. Assim é o Colorado quando tem a posse de bola. Os comandados de Flávio Araújo tentam sempre ser o mais vertical possível, acelerando o jogo para definir a jogada de forma rápida e eficiente. Para isso, a dupla Ted Love e Ítalo Pica-Pau é fundamental para o esquema tático da equipe.

Os dois jogadores têm liberdade no ataque para flutuar e buscar espaços na defesa adversária. Assim, serão quase sempre procurados para serem a válvula de escape. Além disso, quando se movimentam, criam espaços para jogadores que vêm de trás aproveitarem e também atacarem, como é o caso de Dudu Beberibe. Assim, taticamente, o Colorado opta quase sempre por atacar num 4-1-2-3.

Por fim, outra arma bem perigosa da equipe piauiense são as bolas paradas. O vasto repertório impressiona. Cobrança direta, bola alçada na área e até mesmo jogadas ensaiadas são um desafogo para partidas mais truncadas e complicadas, como tende a ser o duelo contra o Salgueiro.

Triângulo ofensivo dos piauienses mostra intensidade sobre defesa adversária (Imagem: Nordeste FC)

COMO DEFENDE

Apesar de apostar num jogo mais reativo, o Colorado é inteligente ao tentar potencializar ao máximo as suas chances. A equipe tenta minimizar os espaços do time adversário e marca alternando entre um 4-1-4-1 e um 5-4-1. Quando se fecha com uma linha de 5, o Gavião recua Rômulo para fechar entre os zagueiros, mas Chico Bala ainda pode sair da lateral esquerda e virar um terceiro zagueiro, com Ítalo Pica-Pau voltando para fechar a primeira linha.

Quando opta pelo 4-1-4-1, Rômulo é responsável por ficar entre as duas linhas de quatro. Na referência, existe uma alternância entre Dudu Beberibe e Ted Love. Quando o camisa 10 está cansado, acaba indo pra referência e Dudu volta pra recompor o meio. Os blocos também variam de acordo com o momento do jogo. De modo geral, a equipe joga com bloco médio, mas sobe um pouco para incomodar a saída da defesa adversária quando necessário.

Com blocos médio-altos, Gavião performa no 4-1-4-1 alternando homem de referência (Imagem: Nordeste FC)

PARA FICAR DE OLHO

Chico Bala (LE): O lateral-esquerdo da equipe de Piripiri é uma arma ofensiva interessante. Isso porque costumeiramente costuma cobrar seus laterais arremessando a bola diretamente na área. Além disso, é um exímio marcador e dificulta muito a vida dos atacantes.

Ted Love (PD): É claro que o artilheiro do amor estaria presente aqui. Camisa 10, goleador e referência do time. Faz uma dupla pra lá de curiosa com Pica-Pau. Canhoto de 1,68m, Ted Love é quem faz a engrenagem ofensiva do time funcionar perfeitamente. Não precisa de muito espaço ou tempo para levar perigo ao adversário.

Ítalo Pica-Pau (PE): Talvez o torcedor do Sport esteja se perguntando se esse é AQUELE. Sim, é ele mesmo. Jogou no Leão da Ilha entre 2014 e 2015, mas teve uma passagem bem discreta. Porém, no Gavião Colorado é peça-chave para o esquema funcionar, tanto ofensivamente quanto defensivamente. Veloz, Pica-Pau parte pra cima e costuma abrir espaços na defesa adversária.

Créditos da foto principal: Sávio Ryan/4 de Julho E.C.

*“Gavião vive a voar, sua caça procurando” é uma referência à música “Gavião Peneirador”, de Dominguinhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: