A primeira picada da Cobra: análise Fortaleza 0 x 1 Santa Cruz

Por: Felipe Holanda

A Cobra Coral, enfim, destilou seu veneno na Copa do Nordeste. O Santa Cruz contrariou prognósticos e quebrou tabus históricos ao vencer o Fortaleza por 1 x 0 nesta terça-feira (23), em pleno Castelão, ganhando sobrevida na briga pela classificação à segunda fase da Lampions.

A vitória, árdua, foi a primeira dos corais em solo cearense contra o rival pelo Nordestão. Além disso, o Mais Querido não vencia o Leão do Pici nos seus domínios há 15 anos, quando goleou por 4 x 1, pelo Brasileirão de 2006.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

Visando a Copa do Brasil, João Brigatti promoveu várias novidades na escalação inicial, deixando medalhões como Chiquinho e Pipico no banco de reservas. Tendo quatro homens na primeira linha e cinco na segunda, explorando um 4-5-1, o objetivo dos corais era apenas um: segurar a todo custo as investidas cearenses nos primeiros minutos.

Formação inicial do Mais Querido (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Se o Santa largou com três zagueiros, sendo dois da base – Ítalo Melo e Júnior sergipano – e três volantes, o Fortaleza tratou de se impor nos minutos iniciais. Logo no primeiro ataque, assustou. Após cruzamento da esquerda, Robson ganhou dos marcadores no alto e cabeceou com perigo, tirando “tinta” da trave esquerda de Jordan.

Vendo o ímpeto coral, o Leão do Pici acabou se retraindo e esfriando o jogo. Se resumindo a bolas longas, os visitantes exploraram a mobilidade de Léo Gaúcho lá na frente. Retendo a posse, Léo foi um dos pilares da compactação defensiva e – ao mesmo tempo – deixava os defensores cearenses em alerta.

Posicionamento defensivo dos pernambucano (Imagem: Fox Sports)

Para o azar do centroavante, a bola pouco chegou. Marcel até tentou dar apoio pela extrema direita, mas não foi frequente. Como se pisasse numa área movediça, o Mais Querido ia ganhando confiança aos poucos e foi daí que mudou o panorama do confronto.

Brigatti se sentiu “mais à vontade” e colocou Pipico e Chiquinho no time. Dessa vez caindo para um 4-4-2, os corais acabaram frustrando de vez as investidas do tricolor cearense. Não sufocou, mas teve êxito, com mais posse de bola do que antes.

A picada veio, de fato, quando Chiquinho cobrou bem o escanteio e Júnior Sergipano subiu como um experiente para vencer os marcadores e deslocar Felipe Alves, selando a vitória. No fim, Jordan ainda fez milagres para garantir os três pontos.

Compactação à frente do placar (Imagem: Fox Sports)

Créditos da foto principal: Kely Pereira/AGIF

Um comentário em “A primeira picada da Cobra: análise Fortaleza 0 x 1 Santa Cruz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: