Morreu, mas levou um: análise Treze 2×2 Sport

Por: Mateus Schuler

Morreram abraçados. Se o Sport não conseguiu voltar a vencer, ao menos conseguiu eliminar o Treze, adversário deste sábado (10), em Campina Grande, pela 8ª e última rodada da fase de grupos da Copa do Nordeste. O Leão abriu dois gols no primeiro tempo, enquanto o Galo reagiu e chegou ao empate, mas não foi capaz de avançar ao mata-mata.

O resultado faz o time leonino encerrar sofrendo a primeira eliminação ainda na primeira fase em toda história, ficando na vice-lanterna do Grupo B com seis pontos. A próxima partida já é nesta quarta-feira (14), às 21h30, diante do Vitória na Ilha do Retiro, válida pela 6ª roada do Campeonato Pernambucano.

Apoie nosso site e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

Novamente sob o comando de César Lucena, interinamente, os rubro-negros foram a campo com uma equipe considerada reserva. Mesmo assim, seguiu no 4-2-3-1 utilizado nos últimos jogos, mas dessa vez com mais criatividade e maior presença ofensiva, tendo apoio dos laterais e blocos altos povoando a defesa alvinegra.

Time da Praça da Bandeira manteve postura tática dos últimos duelos (Feito no TacticalPad)

COMO FOI

Diferente dos últimos jogos, o modelo de jogo implementado pelo Leão teve maior destaque do ataque e, não por acaso, resultou em gol antes mesmo dos primeiros dez minutos. Júnior Tavares avançou bem pela esquerda e viu a movimentação de Mikael na pequena área, fazendo o cruzamento preciso na cabeça do centroavante, que testou no fundo do barbante.

Seguindo intenso e no 4-2-3-1, com os dois laterais sendo muito presentes à zona ofensiva, o Sport ampliou a vantagem no placar logo em sequência. Em boa triangulação, Júnior Tavares achou Gustavo pelo meio, que dominou e já serviu Ewerthon; com liberdade, o lateral-direito entrou na marcação e tocou na saída de Jeferson.

Com o resultado dando mais tranquilidade, os leoninos continuaram no erro do Treze e chegaram perto do terceiro tento com Maxwell, porém o chute foi para fora. No lance seguinte, Júlio Ferrari fez boa jogada pela direita e cruzou na área; Ewerthon afastou mal e a bola caiu no pé de Kleiton Domingues, que explorou desatenção e emendou belo chute para diminuir, mas sem chegar ao empate.

Leoninos foram intensos ofensivamente durante primeira etapa (Imagem: Nordeste FC)

Para o segundo tempo, César voltou sem mudanças, mantendo a postura da etapa inicial. Já Marcelinho, por sua vez, promoveu alterações no time, o que deu novo ânimo, contudo inicialmente não mostrou efetividade. Com solidez na marcação, o Sport povoou o meio-campo e fechou espaços para que os paraibanos não infiltrassem.

Com duas linhas bem definidas, os rubro-negros iam segurando o ritmo dos alvinegros e a aposta para atacar foi o contra-ataque. Dessa maneira, teve a oportunidade de balançar a rede trezeana em dois momentos; no primeiro, o goleiro Jeferson parou belo chute de Maxwell e o rebote, em impedimento, de Thiago Lopes.

Para tentar renovar o fôlego da equipe pernambucana, o treinador interino fez três substituições: saíram Mikael, Gustavo e Ewerthon para as entradas de Dalberto, Mateusinho e Márcio Araújo, respectivamente. No primeiro descuido da defesa, entretanto, João Leonardo completou cruzamento na área e fez o placar ficar igual. Na reta final, Chico tentou em cabeceio e parou no camisa 1 do Galo, enquanto Thiago Lopes acertou a trave, mantendo o empate até o fim.

Rubro-negros se defenderam com duas linhas e blocos médio-baixos (Imagem: Nordeste FC)

Crédito da foto principal: Jefinho Cariri/Treze FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: