O último ato do capitão: análise Santa Cruz 0 x 1 Botafogo-PB

Por: Felipe Holanda

Fim de uma Era. No jogo em que pendurou as chuteiras, Danny Morais atuou por poucos minutos, mas roubou os holofotes. O capitão foi até capaz de ofuscar a fraca atuação o Santa Cruz, que se despediu da Copa do Nordeste em clima de velório após derrota por 1 x 0 para o Botafogo-PB neste sábado (10), no Arruda, pela última rodada da fase de grupos.

Na escalação, Danny tinha cadeira cativa. Com ele, o técnico João Brigatti exploprou um 4-2-3-1, dando chances a Péricles e Vinícius Balotelli na penúltima linha, ao lado de Madson. Pipico foi poupado, com Léo Gaúcho sendo a referência de ataque, além de Derley e Elicarlos na cabeça de área.

Formação inicial do Santa, com Danny (Feito no Tactical Pad)

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

COMO FOI

Quando a bola rolou, a despedida foi curta, com menos de dez minutos. Enquanto esteve em campo, Danny atuou como zagueiro central pela direita, que é como vinha jogando nos últimos dias como jogador. Nessa posição, era fundamental utilizando uma saída de 3, ao lado de Elicarlos, que recuava, e Célio Santos, mais à esquerda.

Danny, com a bola, participando da construção coral (Imagem: Nordeste FC)

Wiliam Alves foi o sucessor do ídolo, tanto na posição como na faixa de capitão. Se a defesa estava sob comando, o ataque ainda era pouco produtivo. O Santa rondava a área do Botafogo, mas não conseguia levar perigo de fato, exceto por uma finalização de Derley, que saiu acima da meta paraibana.

O Belo respondeu pouco depois, mas Eli travou o chute de Clayton e conseguiu o desarme. Mais tarde, foi a vez de Jordan voar bonito e salvar a Cobra defendendo a cobrança de falta de Marcos Aurélio, deixando um sinal de alerta para os corais.

Mas foi daí a pior. Na etapa final, o Botafogo dominou as ações, encurralando a equipe de Brigatti na defesa. Enquanto o Mais Querido se defendia no 4-4-2, o adversário fazia seu jogo pelos lados e construía jogadas verticais.

Equipe de Brigatti de defendendo com duas linhas espaçadas de quatro (Imagem: Nordeste FC)

O gol, que parecia questão de tempo, aconteceu. Após bola levantada na área, Lucas Gabriel ficou com a sobra e fuzilou Jordan de perna esquerda: Belo 1 x 0. As entradas de Marcel e Karl, nas vagas de Léo Gaúcho e Eli, na sequência, não surtiram efeito.

Esboçando uma reação, Chiquinho, que havia entrado no intervalo, passou a se movimentar mais. Numa dessas investidas, cruzou na área para Léo Gaúcho, mas o goleiro Felipe interveio. Jordan ainda fez milagre para evitar o segundo gol.

Créditos da foto principal: Rafael Melo/Santa Cruz

Um comentário em “O último ato do capitão: análise Santa Cruz 0 x 1 Botafogo-PB

  1. Boa noite! É lamentável a situação do futebol pernambucano, em especial o Santa Cruz, não vejo nenhuma expectativa de melhora em curto prazo… e, no meu midi de entender, o problema não é apenas financeiro, vai muito além disso… como torcedor lamento muito.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: