Nadando de braçada rumo ao título: análise Náutico 2 x 1 Santa Cruz

Por: Anderson D’wirvelle e Felipe Holanda

Mais líder do que nunca. O Náutico manteve os 100% de aproveitamento no Campeonato Pernambucano com vitória por 2 x 1 sobre o Santa Cruz neste domingo (18), nos Aflitos, pela sexta rodada, nadando de braçada rumo ao título Estadual.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

Na escalação, um lado manteve a base e o outro tentou inovar. Hélio dos Anjos foi a campo no 4-2-3-1 tradicional sem novidades, exceto pela ausência de Erick, que foi vetado pelo departamento médico. Já Alexandre Gallo deixou o medalhão Chiquinho na reserva, também improvisando Derley na lateral direita, mas mantendo o 4-3-3.

Formação inicial de alvirrubros e tricolores (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Letalidade alvirrubra. O Náutico iniciou avassalador como de costume e abriu a contagem logo com um minuto de bola rolando. Formando um 4-2-3-1 com o apoio dos laterais, Kieza caiu pela esquerda e cruzou para Rhaldney, de peixinho, fuzilar Jordan nos Aflitos: 1 x 0.

Posicionamento do Timbu no primeiro gol (Imagem: Rede Globo)

A resposta tricolor veio logo na seguida, mas ficou no quase. Explorando um 4-3-3, com Marcel e Madson nas extremidades, Ronaldo Alves vacilou e Pipico teve a grande chance do empate. O atacante finalizou após cruzamento da direita, mas carimbou a trave de Alex Alves.

Vendo o esboço de reação dos corais, o Timbu voltou a controlar o jogo, com os volantes Rhaldney e Djavan sendo peças fundamentais na progressão de posse. Kieza até conseguiu ir às redes, mas a arbitragem anulou corretamente a jogada marcando impedimento.

Pouco depois, não teve jeito. Hereda fez boa jogada pela direita e rolou para Jean Carlos, que deixou na boa para Vinícius. O camisa 11 dominou com espaço e apenas deslocou Jordan para fazer o segundo da equipe de Hélio dos Anjos.

O Santa reagiu com Alexandre Gallo colocando Chiquinho em campo. Dos pés dele, veio o gol. Bela assistência para Léo Gaúcho, outro que saiu do banco de reservas, em profundidade e o atacante bateu firme para diminuir – o lance ainda contou com a revisão do árbitro de vídeo, já que a decisão de campo foi de impedimento.

O gol empolgou o Mais Querido, que equilibrou o jogo e partiu em busca do empate. Tendo Chiquinho caindo mais pelas beiradas após a entrada de Pericles, o time de Gallo povoava bem o campo de ataque e tentava encurralar o Timbu na defesa. O 4-3-3 tricolor passou a ser mais profundo.

Do outro lado, o Náutico se guardou mais um pouco, com Hélio “enchendo” a equipe de volantes para garantir a vitória. Teve grande chance de fazer o terceiro, mas Kieza, livre de marcação, mandou por cima do alvo. De fato, a atuação do primeiro tempo garantiu o triunfo. E o 100% de aproveitamento.

Alvirrubro no ataque (Imagem: Rede Globo)

Os comandados de Hélio dos Anjos conseguiram segurar o placar, garantir a classificação à semifinal, manter os 100% e de quebra, mantiveram um tabu que já dura oito anos sem perder um Clássico das Emoções no Aflitos.

Na próxima rodada, o Timbu enfrenta o Afogados, também nos Aflitos, na segunda-feira (26), às 20h. Já o Santa Cruz encara o Salgueiro, na quarta (21), no Arruda, às 19h.

Crédito da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Um comentário em “Nadando de braçada rumo ao título: análise Náutico 2 x 1 Santa Cruz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: