Sport no Campeonato Pernambucano: como joga taticamente o Retrô

Por: Mateus Schuler

Carta de apresentação. Na estreia de Umberto Louzer, o Sport encara o Retrô querendo vencer para se aproximar ainda mais da classificação à semifinal no Campeonato Pernambucano. Confronto do Leão com a Fênix está marcado para este sábado às 17h45, na Arena de Pernambuco, pela 8ª e penúltima rodada da primeira fase.

Apesar de não poder garantir a vaga antecipada, o time rubro-negro busca prolongar a sequência positiva no Estadual. Separamos tudo sobre o próximo adversário leonino: principais posicionamentos táticos, números, jogadores para ficar de olho, e muito mais da equipe auriazulina.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

O técnico Nilson Corrêa tem quatro desfalques e dois retornos contra o Sport. Por lesão, ficarão ausentes o goleiro Erivelton, lateral-esquerdo Guilherme e atacante Braga, enquanto o volante Lucas Gonçalves cumpre suspensão por conta do terceiro amarelo. Os atacantes Mayco Félix e Janderson, baixas na derrota para o Vera Cruz, voltam a ficar disponíveis.

Possível formação do time de Camaragibe tem uma dúvida (Feito no TacticalPad)

COMO ATACA

Intensidade. Essa é a palavra-chave para se referir ao ataque do Retrô. Com constantes variações, a equipe mostra muita movimentação, pegando seus adversários muitas vezes de surpresa, seja usando o contra-ataque de arma ou trabalhando a bola de pé em pé, tendo a velocidade como ponto forte na troca de passes.

A característica mais marcante é a formação de um tridente, que se destaca por alternância do posicionamento frequentemente. A mobilidade confunde a marcação adversária, pois os meio-campistas também são acionados, tal como os laterais, principalmente pela direita com Neilson; as jogadas podem ser aéreas ou rasteiras.

Dessa maneira, pode performar em um 4-1-4-1 quando quiser valorizar mais as beiradas do campo, mas na maioria das vezes se posta no 4-1-2-3 com a posse. Assim, busca povoar o meio para dar maior dinâmica e abrindo pelos lados quando necessário, preenchendo ao máximo o sistema defensivo dos rivais.

Intensidade e mobilidade são as principais características ofensivas (Imagem: MyCujoo)

COMO DEFENDE

Defensivamente, a postura dos auriazulinos era até sólida, sofrendo três gols nos primeiros três jogos disputados, pois fechava os espaços aos adversários pelos lados e no meio. Nos últimos três, por outro lado, mostrou mais falhas e com maior exposição, apesar de manter seu modelo, tendo a defesa vazada em sete oportunidades.

Variando entre o 4-1-4-1 e o 4-4-2, preza bastante pela pressão alta ao ficar sem a posse, tendo também blocos médio-altos. Dessa maneira, consegue induzir o rival ao erro, o que favorece ainda um contra-golpe veloz para fazer alguns jogadores surgirem como elemento surpresa, principalmente devido à movimentação intensa.

Ultimamente a fragilidade tem se dado por dois fatores importantes e com mais destaque: posicionamento errado das peças e falta de compactação. Os descuidos permitem infiltrações mais agudas, ainda que atuem sem ter amplitude ao marcar, principalmente encarando uma equipe rápida e bem definida.

Auroazulinos valorizam bastante duas linhas ao marcarem (Imagem: MyCujoo)

PARA FICAR DE OLHO

Neilson (LD) – Se a força da equipe é pelos lados, muito se deve inicialmente aos laterais. Com a ausência de Guilherme, a intensidade é esperada para o lado direito do campo, inclusive Neilson se destaca por atuar mais próximo à faixa central e ao último terço, ajudando na criação de jogadas; o atleta faz, ainda, boa recomposição, sem quebrar a linha defensiva.

Kauê (MC) – Principal destaque do meio-campo da Fênix. Pilar tanto no setor de marcação, como de armação, Kauê é o jogador que mais demonstra ter consistência dentro das quatro linhas. Titular em todos os jogos, tem como a característica mais destacável a movimentação; a boa chegada ao ataque já resultou em dois gols marcados, pois tem bom poder de finalização.

Janderson (PE) – Nome mais importante da temporada passada, foi para o Manaus, mas não conseguiu repetir as boas atuações. Na atual, ainda não demonstrou tanta eficiência, mas tem sua importância tática por atuar mais entrelinhas e infiltrado na marcação adversária, tendo como arma o chute de média distância.

Créditos da foto principal: Paulinho Gentil/Retrô FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: