No limite: análise Retrô 0 x 1 Sete de Setembro

Por: Mateus Schuler

O Sete de Setembro garantiu mais um ano na elite do Campeonato Pernambucano no limite. Precisando de uma vitória simples, cumpriu o objetivo ao vencer o Retrô por 1 x 0, em partida disputada na tarde desta segunda-feira (17) pela última rodada do quadrangular do rebaixamento.

Agora, a Fênix passa a se concentrar suas ações na disputa inédita da Série D, sendo integrante do Grupo A4. Já o Lobo-Guará, por sua vez, tem apenas a comemoração pela permanência na Série A-1 do Estadual, já que conquistou o acesso como vice-campeão em 2020.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

Para ao confronto, Luizinho Vieira não abdicou do 4-3-3 ofensivo, porém entrou em campo com um time misto, alternando entre reservas e Sub-20. Pedro Manta, por outro lado, optou pela manutenção da escalação que empatou sem gols diante do Central, performando o 4-2-3-1.

Times tiveram permanência do sistema-base para última rodada (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Por precisarem apenas da vitória, sem depender de resultados paralelos, os alviverdes foram para cima logo no início. A estratégia foi bem-sucedida, pois Lucas Gomes ganhou no meio e serviu Gustavo Balotelli, que deixou a marcação para trás ao invadir bem a pequena área; lá, tocou para Diogo Capela bater na saída de Erivelton.

Com a vantagem conquistada logo aos 40 segundos, os garanhuenses passaram a apostar no contra-ataque como arma. Variando entre 4-4-2 e 4-5-1 ao se defender, o Sete de Setembro foi povoando o meio-campo e anulou o poder criativo dos azulinos, tendo a única boa chance em falta cobrada por Janderson; atento, Airon evitou a igualdade no placar.

Valorizando o resultado e fechando os espaços, os setembrinos foram induzindo a Fênix ao erro. Ainda assim, não conseguiram ter criatividade para atacar, levando pouco perigo à meta adversária durante toda a etapa inicial, apesar do Retrô manter o 4-1-2-3 – mesmo desenho dos últimos jogos – e a intensidade ofensiva.

Garanhuenses se defenderam bem com blocos médio-baixos (Imagem: MyCujoo)

No segundo tempo, Pedro Manta buscou dar mais poder de marcação no meio-campo, mas sem perder a transição: Douglas Bomba foi acionado no lugar de Lucas Gomes. Não por acaso, a primeira oportunidade veio antes dos 15 minutos, quando Diogo Capela lançou Grafite em profundidade pela esquerda; o camisa 7 limpou para a direita e chutou para intervenção do goleiro.

Percebendo o domínio setembrino pelo meio, Luizinho Vieira buscou dar novo gás à equipe. Stephanno e Charles foram sacados para as entradas de Luan e Alisson, respectivamente. As mudanças até fizeram o time de Camaragibe crescer de produção, contudo faltou pontaria ao finalizar e criatividade no último terço do campo.

Mais cauteloso, o Lobo buscou seguir explorando um erro para poder sacramentar de vez o triunfo. Nem mesmo a saída do autor do gol para Kássio fez a postura mudar, pois o jogador revelado na base do Sport completou grande jogada de Douglas Balotelli, invertendo os papéis de centroavante e armador; a arbitragem, no entanto, impugnou o lance alegando que a bola havia saído pela linha de fundo. Assim, o resultado permaneceu inalterado e o Sete impediu o rebaixamento à Série A-2.

Mesmo mais retraídos, alviverdes se atiraram com trinca ofensiva (Imagem: MyCujoo)

Créditos da foto principal: Abne Quintino/Retrô FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: