Pernambutanque: o que esperar de Wallace no Santa Cruz

Por: Felipe Holanda

Artilharia renovada. Wallace Pernambucano é a nova arma ofensiva do Santa Cruz e terá a missão de solucionar a seca de gols do time de Bolívar na temporada. O atacante de 34 anos chega ao Arruda com status de titular após se destacar pelo América-RN em 2021, com 14 gols em 16 jogos.

Destrinchamos nesta análise o que esperar do novo reforço, com principais posicionamentos táticos, vídeos e relatórios de ações por partida, números e muito mais sobre o “tanque” coral.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

QUEM É WALLACE PERNAMBUCANO?

Por onde passou, Wallace se destacou pela competividade e faro de gol apurados. É um atacante de força física, além da boa técnica com a bola nos pés, que costuma jogar por dentro, nas costas dos zagueiros adversários. Assim, mostrou que potencial nas finalizações de média e curta distância, utilizando o pé direito como arma principal para ir às redes.

O apelido de Tanque não é por acaso. No América, Wallace mostrou que é difícil de ser marcado e tem talento com a bola nos pés. Faz bem o pivô, muitas vezes servindo os homens de meio ou os extremos – anotou três assistências pelo alvirrubro potiguar.

Mapa de gols e assistências de Wallace num recorte dos últimos três anos (Instat/Reprodução)

Apesar da técnica no passe, balançar as redes é a grande especialidade de Wallace. Sabe se posicionar corretamente e tem finalização precisa com a perna direita. Outro ponto forte são as bolas aéreas, quando o atacante usa seu porte físico para vencer os marcadores. Além disso, cabeceia bem, sempre perigoso nos cruzamentos na área (veja a análise em vídeo abaixo).

Pode também cair pelas pontas, as “trincheiras”, e armar o jogo, abrindo espaços para as chegadas dos homens de trás. Wallace une a boa visão de jogo ao passe eficiente para progredir a posse e costuma apresentar bons resultados.

Wallace voltando para buscar a bola (Imagem: CBF TV)

WALLACE NO ESQUEMA DE BOLÍVAR

No Santa, o atacante chega com status de titular e pode “roubar” a vaga de Pipico no comando de ataque, já que o camisa 9 vive uma seca de gols. Atuando na referência, Wallace aumentaria o poderio de fogo do ataque coral e daria mais mobilidade às últimas linhas, caindo como uma luva no 4-3-3 ou 4-2-3-1 que Bolívar vem utilizando no Mais Querido.

Escalação com Wallace, levando em conta o time do último jogo (Feito no Tactical Pad)

Se quiser deixar a equipe ainda mais móvel, o treinador pode optar por Karl na vaga de Augusto César, mantendo Vitinho à frente da linha de retaguarda. Assim, ganharia em velocidade nas saídas para o contra-ataque e em presença pelo lado direito, com Karl auxiliando um dos pontas, ora Madson, ora França; recém contratado, Frank deve atuar diante do Flortesta, sábado (5), pela 2ª rodada da Série C, e França deve começar na reserva.

Outra opção com Wallace de titular (Feito no Tactical Pad)

DRIBLES

Mesmo com a boa estatura, Wallace Pernambucano demonstra habilidade para vencer a marcação rival com um drible. Sabe usar bem o corpo na proteção e costuma levar vantagem na força física, se desvencilhando dos defensores geralmente com facilidade.

Além do senso de jogo, é inteligente para preencher bem os espaços e fazer os corredores quando explora a velocidade com a bola nos pés. A boa condução da posse também o favorece na utilização de jogo apoiado, seja por dentro ou pelos lados.

DESARMES E INTERCEPTAÇÕES

O atacante Wallace também já se mostrou útil na defesa. Utilizando sua estatura, consegue acompanhar os ataques adversários, cobrindo as subidas dos laterais ou pontas. Wallace se encaixa bem num 4-1-4-1 defensivo, prendendo as atenções dos rivais para aumentar espaços entrelinhas e facilitar o desarme.

Santa com Wallace na compactação (Feito no Tactical Pad)

Por outro lado, o sistema mais utilizado com Bolívar em fase defensiva é o 4-4-2. Neste cenário, Wallace ficaria na última linha ao lado de Chiquinho, tendo uma boa qualidade na saída caso os corais conseguissem recuperar a bola e iniciar a transição ofensiva.

Mais um exemplo defensivo com o novo contratado (Feito no Tactical Pad)

Na recomposição, Wallace sabe pressionar bem o portador da bola e muitas vezes consegue roubá-la. O mesmo acontece lá na frente, no rebote ofensivo, que é outro ponto forte do atacante na marcação.

Mapa de desarmes e interceptações de Wallace num recorte dos últimos três anos (Instat/Reprodução)

Créditos da foto principal: Canindé Pereira/América-RN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: