Nada de novo no front: análise Sport 0 x 1 Atlético-MG

Por: Mateus Schuler

Nada de novo no front e na retaguarda também. O Sport voltou a ter o rendimento ruim e foi derrotado pelo Atlético-MG, em partida na noite deste domingo (6), fazendo a estreia dentro da Ilha do Retiro na Série A do Campeonato Brasileiro; confronto foi válido pela segunda rodada e manteve o Leão com um ponto ganho.

Para o jogo, Umberto Louzer optou por apenas uma mudança em relação ao time que empatou com o Internacional. Marquinhos, antes reserva, entrou na vaga de Sander e deslocou Júnior Tavares à lateral esquerda, com Marcão e Ricardinho seguindo na cabeça de área, bem como Hayner de lateral-direito e Mikael na referência.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

Leão teve uma novidade entre os titulares ante o Galo (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Apesar de embalado pelo bom resultado na estreia, o Sport não conseguiu o mesmo empenho. A partida começou com pressão do Atlético-MG, deixando o Leão mais acuado na defesa, formando um 4-4-2 que cedeu espaços para as chegadas do Galo pela intermediária, principalmente em finalizações que a cabeça de área permitiu; a primeira boa chance, contudo, foi dos donos da casa quando Marquinhos chutou próximo à trave direita.

Com o contra-ataque como principal arma, os rubro-negros voltaram a dar um susto na meta atleticana. Após Mikael abrir passe do meio à esquerda, o camisa 97 recebeu em liberdade, limpou bem a marcação e viu o arremate ficar na trave; na sobra, Paulinho Moccelin não conseguiu completar. Pouco depois, Hulk recebeu na entrada da área e abriu o placar com chute forte.

Logo em seguida da desvantagem, Thiago Neves foi substituído com dores na panturrilha por Gustavo. Nem mesmo o jovem foi capaz de deixar o jogo menos morno, pois o time da Praça da Bandeira falhou no último passe, já o alvinegro se manteve com mais qualidade no ataque, mas sem o resultado ser alterado até o intervalo.

Leão buscou atacar no tradicional 4-2-3-1 com troca de posição dos atletas (Imagem: SporTV/Premiere)

Para a etapa final, por precisar de ao menos um gol na tentativa de evitar a derrota, Louzer veio com Maxwell e André nas vagas de Marquinhos e Mikael, respectivamente. As mudanças, entretanto, não surtiram o efeito imediato e os leoninos permaneceram sem criatividade, muito pelo fato de não sair em velocidade e propor poucos lances.

A baixa produtividade do Sport deu ânimo aos mineiros, que passaram a ter um falso domínio da partida. Com fragilidades defensivas, principalmente na transição e posicionamento do meio-campo, o Leão se manteve com poder criativo praticamente nulo, sem conseguir levar perigo a Everson, que assistiu ao duelo quase como espectador.

Na reta final, sentindo a necessidade de sair ao setor ofensivo, o comandante dos pernambucanos promoveu ainda Tréllez e Patric, sacando Ricardinho e Paulinho Moccelin. A única boa oportunidade criada não teve resultado, pois o lateral-direito foi à linha de fundo e bateu voltando na entrada da pequena área; André, que chegou em liberdade, furou e não aproveitou a chance para deixar o placar igualado, fazendo os rubro-negros ficarem na 14ª colocação.

Leoninos, durante todo o jogo, se defenderam com duas linhas de 4 pouco compactadas (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Anderson Stevens/Sport

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: