Náutico na Série B: como joga taticamente o Guarani

Por: Felipe Holanda

Pela liderança. Náutico e Guarani travam duelo de times da parte de cima da tabela na Série B do Campeonato Brasileiro buscando a vitória para chegar ao topo – Timbu é segundo colocado, e o Bugre terceiro. Confronto acontece nesta sexta-feira (11) às 21h30, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, pela terceira rodada.

Separamos tudo sobre o próximo adversário alvirrubro: principais movimentações táticas, estilo de jogo, provável escalação, jogadores para ficar de olho, e muito mais do time campineiro.

Comandado por Daniel Paulista, que defendeu o Náutico como jogador, o Bugrão vai para o jogo praticamente com força máxima, exceto pelo goleiro Rafael Martins, suspenso. Assim, a tendência é que Daniel mantenha o modelo tático, formando um 4-2-3-1 com e sem a bola, sempre procurando a melhor compactação.

Provável formação diante dos alvirrubros (Feito no Tactical Pad)

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivo do seu time de coração

COMO ATACA

O Guarani já mostrou que é perigoso quando ataca em bloco. Usando linhas bem próximas, a equipe consegue envolver o adversário no terço final do campo, também contando com as subidas dos laterais, Pablo e Bidu. Na última partida, ótima atuação ofensiva e goleada por 5 x 2 sobre o Operário, mesmo fora de casa.

Meia clássico, Régis, ex-Sport, participa efetivamente da construção no 4-2-3-1. Dos pés dele sai a maioria das jogadas de perigo do Bugre, tendo boa visão de jogo para progredir a posse. Geralmente, o mais acionado é o atacante Davó, que faz a referência. A dupla, inclusive, foi responsável por dois gols no triunfo sobre o Fantasma.

Movimentação ofensiva do Índio (Imagem: Premiere)

Com seis tentos em dois jogos, o time campineiro é dono do melhor ataque da Série B, ao lado do CRB. No jogo de estreia, no Brinco de Ouro, ficou no empate em 1 x 1 com o Vitória, saindo atrás no placar, mas conseguindo evitar a derrota – o que lhe rende um lugar entre os invictos do certame, ao lado do próprio Náutico.

Bugre subindo com o apoio dos laterais (Imagem: Sportv/Premiere)

COMO DEFENDE

Ataque de Série A… defesa de Série B. O sistema defensivo é o grande calo de Daniel Paulista, ainda à procura da forma ideal de jogo. Vacilos em recomposição vêm se tornado constantes, com os cabeças de área não cobrindo as subidas dos laterais. Por lá, Bryan, Hereda, Erick e Vinícius, podem fazer a festa.

Posicionamento em bloco médio do Guarani (Imagem: Premiere)

A principal aposta, entretanto, é se compactar no 4-2-3-1, preenchendo os espaços para dificultar a profundidade adversária. Fecha bem o meio mas, como dito, deixa brechas pelos lados. Dos três gols sofridos, dois saíram desta forma, com os pontas adversários infiltrando e finalizando, ou servindo o companheiro melhor posicionado. O mapa da mina de Hélio de Anjos.

Em vantagem, Bugre se fecha na defesa contra o Operário (Imagem: Premiere)

Quem vencer no confronto ultrapassa o Brusque, que leva vantagem sobre o Timbu no saldo de gols (três contra dois). O Quadricolor só entra em campo no domingo (13), fazendo clássico catarinense com o Avaí, na Ressacada.

PARA FICAR DE OLHO

Bruno Silva (VOL) – É quem mais dá progressão à posse do Guarani. Bruno Silva é um volante que sai bem para o jogo, armando jogadas e tentando a finalização de longa e média distância. Já tem um gol marcado nesta Série B, quando acertou um belo chute de fora da área. Com espírito de liderança, é o capitão do Bugre.

Régis (MEIA) – Velho conhecido do torcedor pernambucano pela passagem no Sport, Régis é o cérebro do time, seja observando a movimentações dos companheiros ou se desvencilhando da marcação adversária. O camisa 10 também é o homem ds boladas paradas, regendo a orquestra de Daniel Paulista. Além disso, finaliza com precisão, sendo outro que já foi às redes na competição.

Davó (ATA) – Um jovem de potencial considerável. Davó vem tendo destaque, com Lucão do Break, ex-CRB, ficando na reserva. É um atacante canhoto que não precisa de muito espaço para tentar a finalização, costumeiramente perigoso, e deve trazer problemas a dupla de zaga alvirrubra, formada por Camutanga e Wagner Leonardo.

Créditos da foto principal: Comunicação/Guarani

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: