Sport na Série A: como joga taticamente o Fortaleza

Por: Mateus Schuler

Literalmente uma fortaleza. O Sport tem a árdua missão de tirar o 100% de aproveitamento do Fortaleza na Série A do Campeonato Brasileiro e, de quebra, chegar à primeira vitória na competição. Duelo de leões, o da Ilha versus o do Pici, está marcado para este domingo (13) às 20h30, no Castelão, pela terceira rodada do Brasileirão.

Separamos tudo sobre o próximo adversário rubro-negro, com principais movimentações táticas, estilo de jogo, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho e muito mais do time tricolor.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivo do seu time de coração

Sem desfalques para a partida, o técnico argentino Juan Pablo Vojvoda deve mesclar a equipe após a classificação às oitavas de final da Copa do Brasil. O Leão do Pici contará com a volta de Marcelo Benevenuto à zaga, ausente pois não poderia atuar no torneio nacional, enquanto o restante é esperado para ser mais misto pelo alto nível de desgaste dos ditos titulares.

Confirmação do time sairá apenas momentos antes da bola rolar (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Intenso. É assim que pode se resumir o ataque do Fortaleza sob o comando de Vojvoda. Apesar do sistema base ter três zagueiros, o poderio ofensivo é muito grande, já que foram marcados 31 gols em nove partidas, sendo dez nos últimos três. E é justamente essa primeira linha quem inicia as jogadas, tendo os volantes como apoio.

Leoninos fazem saída de 3 apoiados nos volantes para iniciação ofensiva (Imagem: SporTV/Premiere)

Ora com jogo apoiado, ora na ligação direta, a transição tricolor varia muito pelo encaixe adversário; caso encontre linhas mais altas, opta pelo “chutão” para achar espaços. É mais comum, no entanto, trabalhar mais a bola, uma vez que a marcação rival geralmente se posta em blocos médios ou baixos, o que faz formar um 3-3-4, adiantando os laterais para o último terço.

Laterais podem jogar mais adiantados em sistema mais ofensivo (Imagem: Premiere)

“Com a chegada de Juan Pablo Vojvoda, o Fortaleza alternou várias vezes a forma de jogar e foi bem em todas. Na atual, alguns jogadores, como Lucas Crispim e Pikachu, foram potencializados e viraram peças fundamentais para o funcionamento do ataque”

Guilherme de Andrade, editor no Futebol Cearense

COMO DEFENDE

A defesa, assim como o ataque, tem apresentado bons números depois que o argentino chegou. Foram apenas quatro gols sofridos, além de dar solidez evitando a equipe ser derrotada. E as constantes alternâncias são principais responsáveis por isso, pois fecham os espaços para infiltrações e induzem o adversário ao erro.

Tricolores formam blocos médio-altos para forçar falha rival (Imagem: Premiere)

Majoritariamente com linhas altas, o Leão do Pici pressiona a saída de bola já no campo defensivo rival. De tal modo, varia entre 4-3-2-1 e 5-2-3, deixando o centroavante mais isolado, enquanto que os demais buscam apertar pelos lados. Quando performam tendo os cinco defensores alinhados, buscam ter o máximo de compactação junto à cabeça de área para minimizar brechas.

“Outro ponto a se destacar no Fortaleza é a marcação na saída de jogo. A pressão é feita, na maioria das vezes, com marcações individuais, que acaba gerando maior dificuldade para o adversário, como um dos gols contra o Ceará (pela Copa do Brasil”

Guilherme de Andrade, editor no Futebol Cearense
Com cinco defensores, FEC tenta ficar mais compactado (Imagem: SporTV/Premiere)

PARA FICAR DE OLHO

Tinga (ZAG) – Lateral-direito de origem, Tinga vem atuando mais fixo ao lado dos zagueiros desde a chegada do novo treinador. Mostrando bom poder de marcação, tem ajudado seus companheiros fechando os espaços, além das boas investidas no setor ofensivo, surgindo geralmente como um elemento surpresa.

Felipe (VOL) – Titular absoluto no Leão desde 2016, independente do técnico a comandar, tem se destacado pelas características. Impecável no desarme e armação de jogadas, o cabeça de área desempenha múltiplas funções; seja como lateral-direito, zagueiro ou volante, busca sempre ser o motorzinho do time durante as transições, principalmente as ofensivas.

Yago Pikachu (MD) – Responsável pela melhor média do Tricolor do Pici na temporada, com 0,38 gols/jogo, Pikachu é um dos principais jogadores dos leoninos. Velho conhecido do Sport, já balançou as redes rubro-negras por seis oportunidades em 11 partidas, confirmando o bom poder de finalização; sabe se posicionar bem e ajuda também na criação de jogadas, sendo uma peça importante ao sistema de Vojvoda.

Créditos da foto principal: Leonardo Moreira/Fortaleza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: