Sport na Série A: como joga taticamente o Grêmio

Por: Mateus Schuler

Confronto direto. Ainda sem vitória na Série A do Campeonato Brasileiro, Sport e Grêmio se enfrentam precisando do resultado positivo para respirar fora da zona de rebaixamento. A bola rola às 19h desta quinta-feira (17), na Ilha do Retiro, em partida válida pela quarta rodada do Brasileirão.

Separamos tudo sobre o próximo adversário do Leão: principais movimentações táticas, estilo de jogo, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Imortal.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivo do seu time de coração

Para tentar recuperação no campeonato, Tiago Nunes não terá as presenças do goleiro Brenno – vetado por apresentar sintomas gripais mesmo testando negativo para Covid-19 – e do volante Maicon, com lesão na panturrilha. Assim, Paulo Victor ganha o espaço como titular na meta, enquanto o meio-campo segue mantido; Douglas Costa, principal reforço, figura pela primeira vez na lista de relacionados e pode estrear.

Tiago Nunes deixa apenas uma dúvida para confirmar momentos antes do jogo (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

O Grêmio possui uma forma de atacar bem definida. Ferreira e Diego Souza são as duas peças principais do comando de ataque, que tem a construção geralmente iniciada pelo lateral-direito, porém buscando o lado esquerdo, o ponto-chave da equipe com a individualidade do extremo; a condução das jogadas, contudo, é mais centralizada e feita por Matheus Henrique.

No 4-2-1-3, volantes do Imortal fazem armador flutuar entrelinhas (Imagem: Premiere)

Com passe em profundidade e forte nas bolas paradas, Jhonata Robert é uma das armas na criação. Luiz Fernando, por outro lado, é o ponto mais fraco no setor ofensivo. Previsível e burocrático, peca muito na tomada de decisão e facilita no desarme. Ainda assim, o Imortal faz constantes variações, que são executadas conforme a marcação adversária se posiciona, alternando entre 4-2-1-3 e 4-2-3-1.

Com trinca próxima ao centroavante, laterais ajudam na criação (Imagem: SporTV/Premiere)

“Uma das forças ofensivas do Tricolor é o uso dos lados do campo. Com constantes presenças dos laterais no ataque, a condução das jogadas é sempre no jogo apoiado, tendo pivô de Diego Souza como uma das jogadas mais perigosas, além da bola aérea”

Muniz Júnior, repórter no GreNal Total

COMO DEFENDE

Em duas linhas e com blocos médio-altos. Assim pode se resumir a postura da defesa gremista, que valoriza bastante a pressão pós-perda, deixando o armador ao lado de Diego Souza. O fato de jogar como visitante, no entanto, pode fazer as linhas ficarem mais baixas, tentando usar o contra-ataque de principal característica.

Ao formar duas linhas de quatro, Tricolor fica compacto na defesa (Imagem: Premiere)

Apesar do 4-4-2 ser mais evidente, há uma alternância frequente ao 4-1-4-1, o que faz Thiago Santos fixar mais na função de cão de guarda. Desse modo, o jogador da articulação cai na faixa central, fazendo o centroavante tricolor jogar adiantado e isolado; as principais fragilidades defensivas, todavia, são o lado esquerdo e a bola parada.

“Tricolor usa muito o Gegenpressing, que é o perde pressiona, e se defende já no comando de ataque, fechando o máximo de espaços. Em contrapartida, o Sport pode aproveitar bem a bola parada, uma das falhas defensivas que expõe mais os defensores”

Muniz Júnior, repórter no GreNal Total
Gaúchos formam blocos altos e pressionam saída de bola (Imagem: SporTV/Premiere)

PARA FICAR DE OLHO

Vanderson (LD) – Cria da base tricolor, o lateral-direito tem sido responsável por começar as jogadas ofensivas ainda no campo de defesa. Apesar disso, tem muita presença no ataque, seja ajudando na criação dando passes ou com finalizações, demonstrando bom poder nos chutes a gol; não por acaso, possui 26 jogos como profissional – surgiu em 2020 – e marcou três tentos.

Matheus Henrique (MC) – Peça principal na transição, Matheus é quem faz a condução da defesa ao ataque. O articulador é o jogador que mais participa do jogo, dando suporte aos meio-campistas, fazendo os lances fluírem pelo meio ou abrindo de lado, tendo apoio constante dos laterais ou dos próprios extremos, geralmente pela esquerda com Ferreira.

Diego Souza (ATA) – Esse dispensa qualquer comentário. Ídolo recente dos rubro-negros pernambucanos, vem sendo a referência ofensiva do Imortal. Com forte pivô e constante movimentação na área, marcou 13 gols na atual temporada, que o faz ser o artilheiro gremista; o forte poder de finalização e o bom posicionamento redobram a atenção da marcação leonina.

Créditos da foto principal: Lucas Uebel/Grêmio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: