Nem São João salva: análise Corinthians 2 x 1 Sport

Por: Mateus Schuler

O Sport não teve o que comemorar no Feriado de São João. Voltando a repetir os erros de outrora, o Leão até botou fogo no jogo nos minutos finais, mas foi derrotado pelo Corinthians por 2 x 1 nesta quinta-feira (24), na Neo Química Arena, pela quinta rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, e queimou uma chance importante para se distanciar do Z-4.

No confronto, Umberto Louzer não pôde contar com as presenças de Sander, por lesão no pé sofrida no treino, e Marquinhos e Everaldo, ambos vinculados ao Timão. Assim, os pratas da casa leoninos Victor Gabriel e Gustavo tiveram uma oportunidade entre os titulares, mantendo a equipe no 3-4-3 usado nos últimos compromissos.

Leoninos tiveram mudanças, mas seguiram com três zagueiros (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Diferente das últimas apresentações, o Leão entrou em campo perdido logo nos primeiros minutos. Com somente dois de bola rolando, Gustavo Silva foi acionado e chutou cruzado, mas o VAR impugnou o lance por impedimento. Os corintianos seguiram insistindo em jogar pelo lado direito, explorando os espaços que eram dados.

O ritmo até continuou intenso, porém com os rubro-negros equilibrando bem o jogo e segurando as ações ofensivas, tentando usar o contra-ataque como principal arma. Em um dos raros momentos que chegou ao ataque, Betinho – acionado no lugar do lesionado Thiago Lopes – recebeu de Victor Gabriel na entrada da área e chutou para boa defesa de Cássio. No escanteio, cobrado por Paulinho Moccelin, Maidana deu raspão na primeira trave e Sabino quase completou para o gol.

Com um 5-3-2 sem a posse, formando blocos médio-baixos, o Sport até teve segurança nas investidas do Corinthians, pois a partida ficou mais truncada. Ainda assim, os alvinegros voltaram a dar gás pelo lado direito e saíram em vantagem: Gustavo cruzou na pequena área, a marcação não afastou e Jô dividiu junto a Maidana, contudo o zagueiro mandou para a própria meta.

Leão formou linha de 5 para tentar segurar ímpetos alvinegros (Imagem: Premiere)

Para a etapa final, Louzer optou por abrir mão do esquema formado por três defensores na primeira linha, indo inicialmente ao 4-2-2-2. Com isso, Thiago Neves e Patric entraram nos espaços que eram de Maidana e Victor Gabriel, respectivamente. Assim como durante boa parte da primeira metade, o time seguiu sem criatividade, porém dessa vez o Timão foi mais letal: Mateus Vital bateu escanteio fechado, Gil resvalou e Jô emendou para o gol.

Insatisfeito com a produtividade da equipe, o comandante leonino fez mais mudanças, inclusive no sistema ao ter a posse de bola. Paulinho Moccelin e Gustavo, por não estarem rendendo, foram sacados para entradas de Tréllez e Neílton. Se faltou criatividade, sobrou vontade de alguns jogadores, porém o poder criativo foi praticamente nulo.

Nos últimos instantes do confronto, o empenho trouxe uma recompensa: ao receber bom lançamento de Betinho, Patric levantou na área adversária e lá estava Tréllez, completando com cabeceio no fundo do barbante. O tento de honra até deu novo ânimo aos leoninos para continuarem presentes ao setor ofensivo, entretanto não foram efetivos e não voltaram a balançar as redes, apesar do 4-3-3 bem agudo ofensivamente.

Apesar de iniciar com três zagueiros, Sport finalizou no 4-3-3 ofensivo (Imagem: Premiere)

Créditos da foto principal: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: