Santa Cruz na Série C: como joga taticamente o Volta Redonda

Por: Felipe Holanda

Atenções voltadas. Correndo contra o tempo, o Santa Cruz encara o Volta Redonda com a missão de vencer a primeira e se distanciar das últimas posições na Série C do Campeonato Brasileiro. Duelo está marcado para este sábado (26) às 19h, no Estádio Raulino Oliveira, pela quinta rodada do Grupo A.

Separamos tudo sobre o próximo adversário coral: principais movimentações táticas, estilo de jogo, números na competição, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Esquadrão de Aço.

Comandos por Neto Colucci, os cariocas vão para o confronto com apenas um desfalque certo: o volante Bruno Barra, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Guilherme Eulálio, Wallisson, Hiroshi e Pedro Thomaz brigam pela vaga, mas o 4-2-3-1 com muita movimentação no terço final será mantido.

Como Voltaço deve iniciar o confronto com a Cobra Cobral (Feito no Tacital Pad)

COMO ATACA

Agressivo e costumeiramente eficaz. O sistema ofensivo é o ponto forte do Volta Redonda de Neto Colucci, dono do segundo melhor ataque desta Série C, ostentando sete gols marcados, atrás apenas de Ypiranga-RS e Altos, ambos com oito. Na posse, não costumar trocar muitos passes, explorando a objetividade em busca do gol.

Quando forma um 4-2-1-3, com Luciano Naninho se aproximando aos homens de frente, o Esquadrão de Aço costuma ser perigoso. Outro ponto a ser destacado é a presença dos laterais, principalmente Júlio Amorim pela direita. Por outro lado, a equipe não vem aproveitando bem as chegadas à linha de fundo, já que Rômulo Cabral, o centroavante, costuma se movimentar bastante sem fixar na referência.

Movimentação ofensiva do Voltaço diante do Botafogo-PB (Imagem: TVN Sports)

“Agora é pensar no Santa Cruz no sábado. É muito importante buscarmos esta vitória em casa, que nos consolida entre os quatro primeiros, podendo até nos deixar na liderança da chave. Então é estudar bastante o adversário e montar uma boa estratégia para conquistarmos estes três importantes pontos”

Neto Colucci, treinador do Volta Redonda

O grande segredo do esquema aurinegro talvez seja a mobilidade nas últimas linhas, com os volantes chegando constantemente lá na frente para um jogo apoiado com Naninho, o meia, e MV e Natan, os extremos. Assim, a equipe ronda a grande área rival à espera do momento certo para dar o bote.

Mais uma investida ofensiva dos cariocas, desta vez contra o Paysandu (Imagem: DAZN)

COMO DEFENDE

Em fase defensiva, o Voltaço tem altos e baixos. Precisa definir um pouco melhor as linhas, principalmente em situações de contragolpe, mas tende a se fechar no 4-4-2 com flertes rápidos para o 4-5-1. Assim, povoa o meio de campo e tenta bloquear as investidas rivais pelos lados, ou pelo menos dificultar a troca de passes.

Voltaço em fase defensiva (Imagem: DAZN)

O Esquadrão não se abstém de se fechar lá atrás quando preciso, seja formando uma linha de cinco – esta mais frequente – ou de seis. Neste cenário, os pontas, principalmente Natan, voltam para recompor, enquanto Rômulo Cabral e MV ficam mais à frente; outra alternativa, mas não tão comum, é formar um 4-1-4-1, tendo um dos cabeças de área à frente da primeira linha.

Aurinegros com duas linhas de quatro na defesa (Imagem: DAZN)

Muito importante estes pontos conquistados fora de casa. Trazem uma confiança de que estamos no caminho certo, mas, para que estes pontos realmente tenham valor, precisamos cumprir o nosso dever dentro de casa. Com todo respeito ao Santa Cruz, que é um time de tradição, vem para tentar vencer e se recuperar na competição, mas dentro do Raulino temos a obrigação de buscar a vitória, que poderá nos deixar na liderança da chave

Neto Colucci, treinador do Volta Redonda

Com quatro gols sofridos em quatro jogos, sendo três na estreia contra o Altos, o sistema defensivo vem evoluindo a cada jogo, mas ainda pode ser surpreendido pelo Santa de Roberto Fernandes. O lado esquerdo, com Luiz Paulo em transição, costuma ser o mais frágil.

PARA FICAR DE OLHO

Vinícius (GOL) – Goleiro da base que se firmou e vem ganhando sequência de jogos, Vinícius é um dos destaques do aurinegro nesta Série C. Apesar dos três gols sofridos, é capaz de de grandes defesas, além de sua importância na saída de bola em momentos de construção ofensiva. O camisa 1 é homem de confiança do treinador Neto Colucci.

Luciano Naninho (MEIA) – O grande garçom do time carioca. Naninho é o principal construtor, tem qualidade no passe e já acumula três assistências nesta Terceirona, sendo um dos líderes no quesito. Se tiver espaços, o camisa 10 pode causar sérios estragos à marcação tricolor. Merece atenção.

MV (Atacante) – Talvez a grande joia do Esquadrão de Aço. Com contrato recém-renovado até 2022, MV é o grande destaque do elenco, tendo ido às redes em três ocasiões na competição, sendo um dos artilheiros até aqui. O atacante costuma cair mais pela direita, mas pode também fechar por dentro para tentar o arremate. Olho nele!

Créditos da foto principal: André Moreira/VRFC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: