Recompensado pela intensidade: análise Náutico 1 x 1 Remo

Por: Felipe Holanda

Na base da insistência, o Náutico arrancou empate diante do Remo para manter a invencibilidade e a liderança na Série B do Campeonato Brasileiro. Intenso durante grande parte do confronto, o Timbu foi recompensado com um gol nos minutos finais, selando o empate em 1 x 1 neste sábado (26), nos Aflitos, pela sétima rodada da Segundona.

Tendo os retornos de Vinícius – recuperado de lesão – e Wagner Leonardo, suspenso, Hélio dos Anjos foi para o embate com força máxima, mantendo sua base técnica e tática, no 4-2-3-1 que variava para o 4-2-4 em fase ofensiva e fixava no 4-4-2 na defesa.

Escalação inicial dos alvirrubros (Feito no Tactical Pad)

DANDO AS CARTAS

O Timbu ditou o ritmo de jogo nos minutos iniciais. Com muita movimentação dos laterais e pontas, pressionava a saída do Remo para roubar a posse de bola e chegar embalado no ataque. Numa dessas investidas, Erick fez linda jogada pela direita e finalizou para a primeira boa defesa do goleiro Vinícius no jogo.

Com mais posse de bola, chegando a formar um 2-4-3-1 na construção ofensiva, o Náutico envolvia o adversário e acumulava chances de marcar. Foi a vez de Rhaldney lançar Jean Carlos, que saiu na cara do gol, mas Vinícius apareceu outra vez para intervir. No rebote, o defensor leonino salvou quase no limite.

Organização ofensiva dos alvirrubros (Imagem: Sportv/Premiere)

GOLPE INESPERADO

Do outro lado, em transição rápida, o Remo conseguiu esfriar as pretensões do time de Hélio. Após erro na saída, Erick Flores rolou na direita e Felipe Gedoz bateu firme para inaugurar o placar nos Aflitos. Quem não faz, leva.

Atrás no placar, o Náutico reagiu logo na sequência. Jean cobrou falta com perigo e Vinícius, ele de novo, se esticou todo para evitar o golaço. Já quando o Leão azulino tinha a posse, o Náutico formava uma espécie de 3-1-5-1 para recuperar a posse e seguir na dianteira do jogo.

Náutico em marcação adiantada (Imagem: Sportv/Premiere)

JOGO DE XADREZ

Como num tabuleiro, o Timbu rondava a “rainha” do Remo e esperava o momento certo para dar o último golpe. Fato que foi atenuado no segundo tempo, com a entrada de Marciel na vaga de Djavan, deixando o time ainda mais ofensivo.

Alugando o campo do Leão, mantinha um 4-2-3-1 com a posse à procura do gol de empate. Ainda mais após entradas de Giovanny e Rafinha nos lugares de Vinícius e Bryan, dando um fôlego extra no lado esquerdo. Por lá, Giovanny cruzou e Kieza por muito pouco não deixou tudo igual, finalizando por cima.

Movimentação ofensiva dos donos da casa (Imagem: Sportv/Premiere)

NO APAGAR DAS LUZES

Quando tudo parecia definido no placar, veio o gol que manteve a invencibilidade alvirrubra. Quis o destino que fosse num erro de arbitragem. Jean cruzou na área e o paraguaio Paiva, outro que saiu do banco de reservas, empurrou para o fundo das redes, selando o resultado.

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: