Ferrolho suíço: análise Santos 0 x 0 Sport

Por: Mateus Schuler

Como um ferrolho suíço. Foi assim que o Sport somou mais um ponto na Série A do Campeonato Brasileiro, na noite desta quarta-feira (30), ao empatar sem gols diante do Santos na Vila Belmiro. Sólido na defesa, o Leão conquistou um resultado importante pela oitava rodada.

Para o confronto, Umberto Louzer até manteve o 4-2-3-1 da última partida, no entanto entrou mais precavido na marcação e buscando dar velocidade à equipe. Assim, Zé Welison foi acionado no meio-campo ao lado de Marcão, enquanto Neílton ganhou uma vaga no ataque, com Betinho e Thiago Lopes sendo sacados.

Rubro-negros tiveram duas mudanças no time titular (Feito no Tactical Pad)

JOGO TRUNCADO

A expectativa no início do confronto era de que o Santos fosse mais presente ao ataque, algo confirmado dentro de campo. Diferente dos últimos duelos, o Sport jogou melhor postado na defesa, mesmo com a pressão alta na saída de bola, formando um 4-4-2 bastante compactado sem dar espaços para o poderio ofensivo santista.

O bom desempenho defensivo, segurando os ímpetos do Peixe, fez o Leão ter menos nervosismo e começar a pensar em estratégias para atacar. Se tinha qualidade ao fechar, faltava criatividade aos jogadores do meio em diante e o embate ficou truncado. As linhas mais baixas fizeram os rubro-negros usar a velocidade pelos lados, porém não eram criativos.

Apesar da pouca posse, os pernambucanos conseguiram encontrar brecha na marcação adversária e tiveram uma boa – e única – investida na primeira etapa. André recebeu pela direita e passou para Hayner, que entrou infiltrado e, fominha, finalizou para intervenção em dois tempos de João Paulo; Thiago Neves estava livre pelo meio.

Leoninos formaram um 4-4-2 e seguraram os ímpetos dos alvinegros (Imagem: Premiere)

DEFESA SÓLIDA

Para o segundo tempo, Louzer voltou sem mexer na equipe, mostrando satisfação com a atuação dos 45 minutos iniciais. O controle do ritmo fez o Sport seguir bem na defesa, tendo o contra-ataque como principal arma ao sair do seu campo. Em um desses lances, Pará errou e Everaldo inverteu na medida no pé de Hayner, que chutou e Thiago Neves, de costas para a bola, acabou atrapalhando.

Na tentativa de recuperar o fôlego ofensivo e ser mais incisivo ao atacar, o comandante do Leão promoveu a entrada de Tréllez na vaga de Neílton. Logo em seguida, entretanto, Kaio Jorge completou cruzamento de primeira e acertou o travessão; a sobra voltou nas costas de Maílson, mas o goleiro se recuperou e evitou a abertura do placar na Vila.

Do meio para o fim, o treinador leonino inseriu ainda Paulinho Moccelin, Gustavo e Mikael nos lugares de Everaldo, Thiago Neves e André. Nem mesmo as mudanças foram capazes de mudar o panorama da partida, com os santistas tentando pressionar e os rubro-negros fechando bem a porteira para segurar o empate sem gols.

Nas poucas vezes que atacou, Leão formou um 4-2-3-1 (Imagem: Premiere)

Créditos da foto principal: Ivan Storti/Santos FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: