Sport na Série A: como joga taticamente o Palmeiras

Por: Mateus Schuler

Porcos da guerra. O Sport prepara seu exército para teste de fogo diante do Palmeiras com a missão de fazer valer o mando de campo e somar pontos para abrir margem do Z-4 na Série A do Campeonato Brasileiro. Duelo entre pernambucanos e paulistas acontece neste domingo (4) às 16h, na Ilha do Retiro, pela nona rodada do Brasileirão.

Separamos tudo sobre o próximo adversário rubro-negro: principais movimentações táticas, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Verdão.

Para o compromisso diante dos leoninos, os alviverdes não terão a presença de dois jogadores em relação ao time que bateu o Internacional por 2 x 1 fora de casa. Expulso, o zagueiro Kuscevic abre alas para a entrada de Felipe Melo junto a Luan, enquanto Patrick de Paula cumpre suspensão; ausente por dor no adutor da coxa direita, Rony reassume titularidade ao lado de Deyverson após Breno Lopes sentir incômodo físico frente ao Colorado.

Palmeirenses devem seguir com dois atacantes ante o Leão (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Majoritamente, ao atuar dentro de seus domínios, Abel Ferreira tem colocado três atacantes, visando dar o máximo de intensidade ofensiva. Fora de casa, mais cauteloso, forma um 4-2-2-2, mas sem perder a força, que o faz ser o segundo ataque mais positivo da competição, marcando 15 gols ao lado do Bahia e ficando atrás apenas do líder Bragantino, com 17.

Laterais costumam ajudar na criação ofensiva (Imagem: Premiere)

Há a possibilidade de alternância ao 3-4-3, com o primeiro volante caindo na linha junto aos zagueiros e os laterais virando alas mais adiantados, que gera preocupação à marcação por conta da velocidade. Assim, a troca de passes é bastante dinâmica, assim como a troca de posição, principalmente envolvendo os jogadores da trinca.

Ataque alviverde fica mais povoado quando tem três atacantes (Imagem: Premiere)

“A maneira de atacar tem variado dentro e fora de casa. Deyverson tem ganho mais chances por ter forte bola aérea e mobilidade, fazendo Luiz Adriano ser sacado, alternando entre dois e três atacantes, buscando assim um encaixe de dois jogadores na armação”

Vinícius Bueno, repórter na Rádio Bandeirantes

COMO DEFENDE

Assim como o setor ofensivo, o defensivo também tem tido suas variações, no entanto apresenta mais falhas. Dos oito jogos disputados, o Verdão não foi vazado em apenas um, sendo a quarta defesa que mais sofreu gols – dez – ao lado do Ceará. As inconsistências geraram as duas derrotas, inclusive na partida com o Bragantino teve pior desempenho.

Postando a equipe em blocos médios e no 5-3-2, Abel costuma subir muito a marcação, tentando fazer o adversário ficar sem espaços para trocar passes e perder a criatividade. Com falhas de posicionamento, no entanto, as linhas apresentam constantes problemas de compactação, dando brechas para o ataque rival jogar entrelinhas ou fazer jogadas de velocidade, principalmente em contra-ataques.

Blocos do Verdão costumam ser médios para pressionar o adversário (Imagem: Premiere)

“Abel tem priorizado uma forte marcação, subindo mais as linhas defensivas para tentar pressionar ao máximo o adversário. Essas subidas, porém, ficaram muito espaçadas e deram brechas para infiltrações, como ocorreu contra o Bragantino”

Vinícius Bueno, repórter na Rádio Bandeirantes

PARA FICAR DE OLHO

Jaílson (GOL) – Apesar da defesa mostrar fragilidades, o goleiro alviverde é o responsável por dar estabilidade ao setor. Foram realizadas 18 intervenções e 14 dessas dentro da área, além de já ter defendido pênalti. Com experiência, o arqueiro tem bom posicionamento na pequena área e noção de saída de gol.

Gustavo Scarpa (MEI) – Maior garçom do Verdão na competição. Jogando na posição e na função que o consagraram para o futebol, é o articulador de jogadas da equipe, criando três grandes chances e dando cinco assistências diretas para gol, além de ter deixado sua marca uma vez; ainda assim, ajuda também na recomposição, computando seis desarmes.

Deyverson (CA) – Apesar de não ser o artilheiro palmeirense no Brasileirão, é quem mais se faz presente ao setor ofensivo. Com constante movimentação na área, é o maior finalizador do time dentre os atacantes ao arrematar por 13 oportunidades, ficando atrás apenas de Gustavo Scarpa e Raphael Veiga; foram dois gols marcados, que fazem o centroavante ser o vice-artilheiro da equipe.

Créditos da foto principal: César Greco/Palmeiras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: