Via Crucis coral: análise Santa Cruz 0 x 1 Tombense

Por: Felipe Holanda

Crucificado. Mesmo com mais volume de jogo, o Santa Cruz perdeu mais uma na Série C do Campeonato Brasileiro. O Tricolor não soube aproveitar a vantagem de ter um homem a mais durante quase todo o segundo tempo e amargou a derrota do Tombense por 1 x 0 neste sábado (17), no Arruda, se isolando ainda mais na lanterna do Grupo A após oito rodadas.

Ainda sem poder contar com Wallace Pernambucano e Gilmar, Roberto Fernandes repetiu a base do último jogo, agora com Lucas Batatinha e Pipico no ataque, dois volantes, e Rondinelly na criação de jogadas. Dessa forma, o time explorou o 4-2-3-1 como tática base, variando para o 4-3-3 em fase ofensiva.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular: seja membro Vip clicando aqui

Formação inicial do Mais Querido (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Outra postura. Com mais intensidade nos minutos inicias, o Santa Cruz começou mordendo o adversário graças à movimentação dos homens de frente, ora formando um 4-2-3-1, ora 4-2-4. Assim, bem postado no terço final do campo, o Mais Querido conseguiu tomar as rédeas e ditar o ritmo do jogo.

Tricolor propondo o jogo (Imagem: DAZN)

Se o ataque vinha dando conta do recado, a defesa bateu cabeça e pôs tudo a perder. Cássio Ortega, ex-Salgueiro, foi derrubado na grande área por Victor Oliveira e a arbitragem marcou pênalti para o Tombense. Na cobrança, Rubens deslocou Jordan e abriu a contagem no Arruda: 1 x 0.

Apesar da movimentação, a Cobra Coral não conseguiu ser efetiva no ataque, tanto que o primeiro chute em gol só veio com mais de meia hora de bola rolando – Pipico arrematou fraco e Felipe Garcia fez a defesa. Foi, entretanto, a chance mais clara dos tricolores em todo o primeiro tempo, mesmo quando a estratégia era formar um 4-3-3 com o apoio dos laterais.

Voltando para a etapa final com Madson na vaga de Lucas Batatinha, o Santa corria contra o tempo para reagir e se reencontrar dentro de campo. Madson foi o encarregado da segunda finalização coral na partida, quando Vitinho cruzou na área e o atacante resvalou de cabeça nas mãos de Felipe.

Sem desistir. Rondando a área mineira no 4-3-3, a Cobra seguiu buscando brechas na marcação adversária com paciência. Tendo Madson mais por dentro, o Tricolor foi recompensado com a expulsão do zagueiro Wesley, ficando com um homem a mais em campo.

Compactação ofensiva em busca do empate (Imagem: DAZN)

A pressão só aumentava e o gol parecia questão de tempo. Variando para o 4-2-3-1 e abusando da amplitude dos laterais, os donos da casa levaram perigo em finalização do prata da casa Eduardo, na qual Felipe se esforçou para intervir, mas conseguiu afastar o sufoco.

Corais rondam a área do Tombense (Imagem: DAZN)

Quem também saiu do banco para mostrar serviço foi Léo Gaúcho, que teve chance em bola aérea. O atacante cabeceou firme, mas Felipe encaixou. Aos poucos, o Santa era absoluto no jogo, sem ser incomodando na defesa. Faltava o principal: a bola na rede. E assim seguiu até os minutos finais para mais uma derrota tricolor. A terceira seguida.

Créditos da foto principal: Rafael Melo/Santa Cruz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: