Pura magia: análise Náutico 2 x 1 Brasil-RS

Por: Mateus Schuler

Como um passe de mágica, Jean Carlos deu show e colaborou em mais uma vitória do Náutico. Nesta quarta-feira (21), em partida válida pela 13ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o Timbu se manteve na liderança e aumentou a série de invencibilidade ao vencer o Brasil-RS, de virada, por 2 x 1.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

O Timba foi a campo sem muitas novidades em relação ao time que ficou no empate contra o Vasco. Com Trindade suspenso pelo terceiro amarelo, Hélio não fez nada diferente do habitual e optou pela entrada de Djavan no meio-campo alvirrubro, mantendo assim a equipe no 4-3-3, tendo variações para 4-2-3-1 ofensivamente e 4-1-4-1 defensivamente.

Time de Rosa e Silva se manteve com trinca no meio e ofensiva (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Invicto como mandante desde a chegada de Hélio, ainda em 2020, o Timbu enfrentou um Xavante que enfrenta dificuldades jogando distante dos seus domínios. Logo no primeiro minuto, no entanto, os papéis se inverteram, pois Alex Alves teve uma saída equivocada da barra e a bola sobrou para Ramon, que dividiu com Camutanga antes de mandar ao fundo do gol.

Tendo maior ritmo após o susto inicial, o Náutico passou a dominar o jogo, no entanto não tinha criatividade. Se em jogadas individuais não obteve êxito, a solução foi trabalhar de pé em pé. E deu certo. Em lance iniciado pela direita, Rafinha viu Vinícius passando rápido e deu bom passe, mas o camisa 7 logo passou para Jean Carlos, mesmo sem ângulo, chutar tirando de Nogueira e deixar tudo igual.

Com blocos médio/altos e compactados, Timbus seguraram bem o Xavante (Imagem: SporTV/Premiere)

Variando entre o habitual 4-2-3-1 – mais frequentemente – e o 4-2-4 quando quis ser mais agudo, o Timba buscou seguir explorando as falhas do Xavante para tentar a virada. Em uma das chances, Bryan pegou a sobra na entrada da área e mandou por cima da meta gaúcha. A pressão continuou, porém a bola parada surgiu como alternativa: Jean Carlos cobrou falta com perfeição e acertou o ângulo.

Melhores durante a primeira etapa, os alvirrubros passaram a ter maior ritmo ao atacar, enquanto que os rubro-negros apostaram no contra-ataque para deixar tudo igual novamente. Bem compactados defensivamente no 4-1-4-1, os pernambucanos controlaram as tentativas de investidas do adversário e levaram a vantagem ao intervalo.

Timba mostrou muita ofensividade durante etapa inicial (Imagem: SporTV/Premiere)

Para o segundo tempo, Hélio dos Anjos optou por manter a equipe, contudo teve de mudar logo no início. Rhaldney sentiu lesão muscular e Luiz Henrique foi acionado em seu lugar, mantendo a proposta dos primeiros 45 minutos. O Náutico, inclusive, teve a oportunidade de ampliar quando Jean Carlos bateu falta forte, entretanto o goleiro do Brasil interveio.

Com o resultado se consolidando, o comandante alvirrubro promoveu mais duas substituições, sacando Djavan e Marciel e acionando Giovanny e Lucas Paraíba. Apesar de valorizar o placar favorável, o Timbu voltou a assustar ao Jean Carlos tomar a bola de Kevin e servir Kieza na pequena área; o camisa 9 chutou mal e não aproveitou. Nos minutos finais, Lucas Paraíba recebeu o segundo amarelo, porém nem mesmo a inferioridade numérica tirou os três pontos dos pernambucanos.

Trinca formada atrás de Kieza se manteve no segundo tempo (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: