Rugindo mais alto: análise Bahia 0 x 1 Sport

Por: Mateus Schuler

Clássico vencido com sucesso. Com gol do prata da casa Mikael, o Sport bateu o Bahia e rugiu mais alto na luta para se distanciar do pelotão de baixo na Série A do Campeonato Brasileiro. A vitória, conquistada neste domingo (1º), em Pituaçu, mantém o Leão fora do Z-4, ocupando agora a 15ª posição.

Para o confronto, Umberto Louzer optou pela manutenção do 4-2-3-1 que já vem sendo utilizado. O comandante não teve as presenças de Thiago Neves, Sander, Betinho, João Igor, Neílton e Leandro Barcia, desfalques por questões físicas, e Gustavo e Marcão, suspensos pelo terceiro amarelo; assim, Ronaldo e Paulinho Moccelin foram acionados entre os titulares.

Rubro-negros tiveram manutenção do sistema tático mesmo modificado (Feito no Tactical Pad)

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

COMO FOI

Fora de casa, o Leão começou a partida mais acuado, mas atento para jogar no erro do Bahia para poder surpreender. E foi dessa maneira que conseguiu criar a primeira boa oportunidade, ainda que a bola tivesse sob o domínio do Esquadrão; após intensa troca de passes pela direita, Thiago Lopes deixou de calcanhar e André mandou para fora.

Postado no 4-4-2 na defesa, porém por vezes formando uma linha de cinco, o time rubro-negro seguiu explorando as falhas dos baianos para chegar ao ataque. De longe, Zé Welison bateu forte e parou no goleiro Danilo Fernandes; a melhor chance, entretanto, veio quando Paulinho Moccelin puxou da direita para a esquerda e acertou a trave.

Formando um 4-2-3-1 ao ter a posse, os leoninos se mantiveram intensos ao atacar, porém não foram tão criativos como antes. O Esquadrão passou a ter mais controle do duelo, no entanto também não apresentaram criatividade e Maílson assistiu ao primeiro tempo praticamente como um espectador, já que não precisou ser exigido.

Sport mostrou boa postura ofensiva na etapa inicial (Imagem: Premiere)

Para a segunda metade do jogo, Umberto Louzer optou pela manutenção do time, sem realizar substituições. Bem como durante os 45 minutos iniciais, os pernambucanos continuaram apostando no contra-ataque, principalmente depois do Tricolor de Aço começar a subir as linhas e ficar mais presente ao setor ofensivo.

A tentativa caseira do comandante do Sport foi entrar com Luciano Juba no lugar de Thiago Lopes, formando assim um 5-4-1 ao ficar sem a bola. Desse modo, o Leão ficou mais retraído em seu próprio campo, já o arquirrival teve maior posse e passou a levar perigo. Para tentar confundir a marcação dos baianos, Louzer sacou André e Everaldo, colocando Mikael e Tréllez no duelo.

Quando tudo parecia se encaminhar para um insosso empate sem gols, os rubro-negros encaixaram ótimo contragolpe e garantiram mais três pontos. Lançado pela direita do ataque, Paulinho Moccelin disparou e levantou com perfeição na pequena área para Mikael, que testou como diz o manual e viu a bola morrer no fundo do barbante.

Leão se fechou bem na defesa e teve um contra-ataque fatal para sair vencedor (Imagem: Premiere)

Créditos da foto principal: Anderson Stevens/Sport

3 comentários em “Rugindo mais alto: análise Bahia 0 x 1 Sport

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: