Náutico na Série B: como joga taticamente o Sampaio Corrêa

Por: Felipe Holanda

Rota de colisão. Precisando voltar a remar em águas mornas, o Náutico faz jogo de seis pontos com o Sampaio Corrêa para reencontrar caminho das vitórias e recuperar fôlego na luta pelo título na Série B do Campeonato Brasileiro. Duelo entre Timbu e Tubarão acontece nesta quarta-feira (11) às 21h30, no Castelão, em São Luís, pela 17ª rodada.

Separamos tudo sobre o próximo adversário alvirrubro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de uma setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais da Bolívia Querida.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

O TIME

No confronto direto pelas primeiras posições, o treinador Felipe Surian terá as ausências do lateral-esquerdo Zé Mário e do volante Mauro Silva, ambos suspensos. Por outro lado, o lateral-direito Luís Gustavo volta de suspensão, com o 4-2-3-1 sendo mantido no Paio.

Provável formação inicial dos maranhenses (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Ataque posicional e tradicional. Num esquema semelhante ao de Hélio dos Anjos, os zagueiros do Sampaio são fundamentais na organização, formando um 4-2-3-1 que tem os laterais dando profundidade e apoio em fase ofensiva.

Movimentação do Paio no ataque (Imagem: Premiere)

Valorizando a posse de bola, o Tubarão gosta de ditar o ritmo e foi assim que construiu boa parte de seus 19 gols feitos na Segundona até aqui. Outra possibilidade é flertar para o 2-3-5 com uma saída 3+5 para espaçar suas peças em campo e procurar espaços na marcação adversária.

“A força ofensiva do time tricolor está nas jogadas pelas pontas, sobretudo do lado direito onde atua Jean Silva, que balançou as redes nos dois últimos jogos. Os lançamentos em profundidade para Ciel, artilheiro da equipe na Série B com sete gols, é outro ponto forte da equipe. O retorno de Luís Gustavo à lateral direita e a entrada de Felipinho na lateral esquerda deixam o time mais ofensivo, uma vez que os laterais conseguem se aproximar da área com facilidade”

Quecia Carvalho, repórter da Rádio Timbira
Tubarão na construção ofensiva (Imagem: Premiere)

A Bolívia Querida costuma atacar em bloco, de forma zonal, com todos os jogadores de linha participando efetivamente da progressão de posse, inclusive os zagueiros. Neste cenário, os laterais seguem dando amplitude e surgindo como opção de passe.

Espaçamento das peças no tabuleiro maranhense (Imagem: Premiere)

COMO DEFENDE

Se o ataque colhe bons frutos, o sistema defensivo também dá conta do recado. Com 12 gols sofridos nesta Série B, o Sampaio tem a terceira defesa menos vazada, atrás apenas de Coritiba e Goiás, que levaram 11 e oito, respectivamente. A estratégia mais utilizada é se fechar com uma linha de 4, geralmente no 4-1-4-1.

Compactação do Paio na defesa (Imagem: Premiere)

Passando a chave. Para ter bons números no sistema defensivo, Felipe Surian não se intimida de “trancar o cadeado”, com uma primeira linha de 5, variando entre o 5-4-1 e 5-3-2. O exemplo, entretanto, acontece mais em jogos quando o Sampaio é visitante.

Paio com linhas bem definidas (Imagem: Premiere)

“O setor defensivo tem demonstrado confiança e solidez nas últimas rodadas, pois a dupla de zaga formada por Joécio e Nilson Júnior apresenta bom entrosamento e técnica. A defesa conta ainda com o apoio dos laterais, que ajudam na marcação. O goleiro Luiz Daniel, apesar do pouco tempo como titular, também tem se destacado, mostrando frieza nos lances de maior perigo”

Quecia Carvalho, repórter da Rádio Timbira

No cenário em que precise reverter o resultado, a Bolívia Querida pode adiantar sua marcação para o bloco alto, pressionado a saída de bola do adversário no campo de ataque. Assim, ganha mais chances de conseguir o desarme.

Marcação maranhense em bloco alto (Imagem: Premiere)

PARA FICAR DE OLHO

Ferreira (VOL/MEIA) – O motorzinho do meio campo do Sampaio Corrêa. Ferreira é fundamental na progressão de posse, distribuindo o jogo, e chega bem para pisar na área, com dois gols anotados nesta Série B. Também dá sua contribuição nas assistências, sendo um dos líderes do time boliviano em campo.

Jean Silva (ATA) – A válvula de escape do Paio. Com muita velocidade pelas bordas, Jean Silva contribui com profundidade e é um dos mais utilizados nas bolas longas. O seu carro-chefe, porém, são as finalizações, tendo ido às redes em três ocasiões, além de um passe para gol. É quem mais auxilia Ciel.

Ciel (ATA) – Dispensa apresentações. Com o faro de gol apurado – é o artilheiro da equipe com sete gols – Ciel é o principal nome do ataque do Tubarão. Experiente, se movimenta bem entrelinhas e não costuma desperdiçar muitas oportunidades. Pelo contrário. Merece atenção especial.

Créditos da foto principal: John Tavares/Sampaio Corrêa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: