Náutico na Série B: como joga taticamente o Avaí

Por: Felipe Holanda

Para curar a ressaca. O Náutico enfrenta o Avaí com a missão de desafogar as mágoas e seguir firme na luta pelo acesso na Série B do Campeonato Brasileiro. Confronto entre o Timbu e o Leão está marcado para este sábado (14) às 19h, na Ressacada, em Florianópolis, pela 18ª rodada.

Separamos tudo sobre o próximo adversário alvirrubro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais dos avaianos.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

No embate com o Timbu, o técnico Claudinei Oliveira não comandará a equipe azurra por conta de suspensão, mas deve contar com o retorno de quatro jogadores: os volantes Bruno Silva e Marcos Serrato, o zagueiro Alemão e o atacante Renato. Por outro lado, o atacante Rômulo, lesionado, é carta fora do baralho.

Catarinenses devem ter base da derrota para o Guarani mantida (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Altos e baixos. O ataque do Avaí traduz perfeitamente a posição no time na tabela: mediano. Se saindo bem em alguns jogos e aquém em outros, a organização ofensiva dos catarinenses passa diretamente pelos zagueiros e volantes, no 4-2-3-1. Assim, costuma valorizar bem a posse à procura de espaços na defesa rival.

Leão quando precisa construir o jogo (Imagem: SporTV/Premiere)

No terço final, a tendência é buscar objetividade. Com a presença constante dos laterais dando profundidade, a equipe de Claudinei Oliveira pode flertar para o 4-1-4-1, tendo um dos volantes se aproximando à penúltima linha, enquanto os extremos dão amplitude e o centroavante fixa na referência.

Espaçamento das peças em campo (Imagem: SporTV/Premiere)

Ao todo, foram 17 gols anotados pelo Leão nesta Segundona, sete a menos que o Timbu. A principal aposta são as jogadas de bola parada, geralmente bem explorada pelos avaianos – jogo terrestre tende a ser pouco frequente.

“Desde que Copete chegou, o Avaí sofreu apenas uma derrota. Apesar dele ser um bom garçom, os demais companheiros de ataque não têm correspondido com a mesma regularidade, tanto que Claudinei tem alternado as peças, inclusive o posicionamento do próprio Copete”

Cristian Delosantos, repórter na Rádio Guarujá

COMO DEFENDE

Mais baixos do que altos. Frágil no sistema defensivo, o Leão já mostrou dificuldades e sofreu 17 gols na competição, média de um por partida. Quando atacado, se posta majoritariamente com duas linhas de 4, buscando se compactar no 4-4-2 para minimizar os espaços da progressão de posse adversária.

Posicionamento do Leão sem a bola (Imagem: SporTV/Premiere)

“A defesa tem se destacado sob comando do xerife Betão, tanto que ficou três jogos sem ser vazada. O principal pilar é o volante Bruno Silva, que ajuda fazendo a cobertura de laterais e zagueiros. Ambos são os nomes mais importantes do sistema defensivo avaiano”

Cristian Delosantos, repórter na Rádio Guarujá

O Avaí de Claudinei marca em blocos baixos/médios, geralmente por zona. A depender do andamento do jogo, porém, pode adiantar suas linhas e formar até um 4-2-4 no intuito de dificultar a troca de passes rival logo no início.

Outra postura é se fechar no 4-1-4-1 para congestionar o miolo. Neste cenário, geralmente apresenta falha nas transições, muito por conta das subidas dos laterais. É um dos pontos fracos a ser explorado pelo Náutico.

Catarinenses em busca de compactação (Imagem: Premiere)

PARA FICAR DE OLHO

Rafael Pereira (ZAG) – Velho conhecido do torcedor alvirrubro, o zagueiro é um dos destaques do Avaí e forma dupla de zaga entrosada com o companheiro Betão. Tem o posicionamento como ponto forte, toca bem a bola e também pode ser útil no ataque, principalmente em bolas aéreas.

Bruno Silva (VOL) – Experiente, o meio-campista é um dos principais líderes do elenco, seja pela personalidade ou pela técnica com a bola nos pés. Enxerga bem o jogo e possui características de criação, além de ser perigoso nas finalizações de longa e média distância. A bola sempre vai passar por ele.

Renato (MEIA/ATA) – Talvez o grande nome dos leoninos. Fatalmente, o mais efetivo. É artilheiro do time na competição, com três gols, além de ser o mais participativo no terço final do campo. Se acionado, Renato inspira cuidados de qualquer defesa, tendo a boa movimentação e o arremate de curta distância como pontos fortes.

Créditos da foto principal: André Palma Ribeiro/Avaí F.C.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: