Santa Cruz na Série C: como joga taticamente o Ferroviário

Por: Mateus Schuler

A ferro e fogo. O Santa Cruz recebe o Ferroviário precisando mais uma vez da vitória para poder voltar a ganhar sobrevida na luta contra o rebaixamento na Série C do Campeonato Brasileiro. Duelo acontece neste domingo (15) às 18h, no Arruda, pela 12ª rodada do Grupo A.

Separamos tudo sobre o próximo adversário tricolor: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Tubarão.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

O TIME

Para o confronto de opostos com o Mais Querido, o técnico Francisco Diá tem uma ausência: o atacante Gabriel Silva, que rompeu ligamentos do tornozelo. Por outro lado, tem a volta do zagueiro Vitão, que cumpriu suspensão e tem a titularidade praticamente assegurada, mas há dúvidas no setor ofensivo por opção do comandante, mantendo o 4-2-3-1.

Cearenses terão escalação confirmada apenas momentos antes do jogo (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Mesmo firme na briga pela classificação à segunda fase, o Ferroviário tem se mostrado inoperante ofensivamente. Foram somente oito gols marcados em 11 jogos, dividindo a marca com o Jacuipense e à frente apenas de Floresta e do próprio Santa Cruz; todos os três estão brigando contra o rebaixamento e, consequentemente, possuem aproveitamento abaixo dos 50%.

Laterais ajudam na criação ofensiva do Tubarão da Barra (Imagem: DAZN)

A equipe cearense inicia a criação de jogadas no 4+2, tendo os laterais mais adiantados e formando uma linha junto aos volantes, enquanto os zagueiros guardam a posição. Assim, o Ferrim performa frequentemente no 4-2-3-1 ao atacar, tendo por vezes amplitude dos extremos e o centroavante ajudando com pivôs.

Corais vão ao setor ofensivo em blocos médios bem definidos (Imagem: TVN Sports/DAZN)

“Ferroviário tem apresentado problemas no sistema ofensivo, tanto no camisa 9 e, principalmente, na criação das jogadas. Edson Cariús retornou ao clube para resolver os problemas que Adilson Bahia não resolvia, mas o centroavante é pouco acionado nos jogos, assim como o antigo titular. O time teve baixas no setor, com a lesão de Gabriel Silva, e contratou Dioguinho que estava no Remo para reforçar. No meio, tem alternado Reinaldo, Dudu e Mauri para a criação”

Thiago Minhoca, comentarista na Rádio O Povo CBN

COMO DEFENDE

Enquanto o ataque tem deixado a desejar, a defesa demonstra ser o oposto. O Tubarão é o segundo time que menos sofreu gols, sendo vazado somente sete vezes, atrás do Botafogo-PB e igualado ao Novorizontino, do Grupo B. Os corais apresentam variações que reforçam a solidez, mesmo tendo os blocos médios.

Postura mais frequente do Ferrim é manter o 4-2-3-1 de base (Imagem: TVN Sports/DAZN)

“O sistema defensivo é o ponto alto da equipe até aqui nessa Série C. Diá conta com a volta de Vitão à zaga. A sustentação do time deve-se à dupla de volantes Wesley Dias e Emerson Souza, que ajudam muito na marcação, mas dificultam na construção inicial da equipe”

Thiago Minhoca, comentarista na Rádio O Povo CBN
Outra alternativa aos corais é formar duas linhas de 4 (Imagem: DAZN)

Além da manutenção do 4-2-3-1 de base, os comandados de Diá ainda têm a possibilidade de alternar ao 4-1-4-1. Com linhas bem definidas, fecham os espaços pelo chão aos adversários, bem como preenchem o próprio campo, tentando induzir um erro. Desse modo, contra-atacam frequentemente, pois saem sempre agressivos para recuperar a posse e em velocidade.

PARA FICAR DE OLHO

Rafael (GOL) – Dos goleiros que disputaram todas os 11 jogos, Rafael é o que menos sofreu gols, sendo vazado em somente sete oportunidades, além de se destacar pelas intervenções. Com bom posicionamento, tem ajudado na solidez defensiva da equipe, pois é um dos principais responsáveis para dar segurança ao setor.

Vitão (ZAG) – Nome mais importante da defesa do Tubarão, o zagueiro é o jogador que vem se destacando por várias características. Com marcação forte, seja marcando individualmente ou por zona, consegue segurar bem os atacantes, pois tem qualidade em bolas aéreas – ofensivas também – e pelo chão.

Edson Cariús (ATA) – Atleta mais experiente dentre os de linha dos corais, o centroavante tenta recuperar o bom futebol já apresentado outrora quando defendeu o clube. Entre 2018 e 2019, disputou 54 partidas, marcando 35 gols e sendo reconhecido em todo o país; pelo Ferrim, foi a campo em três duelos e ainda não balançou as redes, mas busca retomar o faro de gol.

Créditos da foto principal: Lenilson Santos/Ferroviário AC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: