Sport na Série A: como joga taticamente o São Paulo

Por: Mateus Schuler

Caminho encrespado. Abrindo a zona de rebaixamento, o Sport recebe o São Paulo em confronto direto para fugir das últimas posições na Série A do Campeonato Brasileiro. Confronto acontece neste domingo (22) às 20h30, na Ilha do Retiro, pela 17ª rodada do Brasileirão.

Separamos tudo sobre o próximo adversário rubro-negro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de uma setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais da equipe tricolor.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

O TIME

Montando o time baseado em cada confronto especificamente, o argentino Hernán Crespo ainda não tem a escalação inicial definida. Certezas, porém, são as ausências dos laterais-esquerdos Reinaldo – suspenso – e Welington, lesionado; assim, há a possibilidade do 4-2-2-2 usado na eliminação frente ao Palmeiras, com Léo na lateral, ser mantido, inclusive repetindo os 11.

Paulistas devem ter base mantida diante dos leoninos (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Apesar da campanha positiva durante a temporada, com título do Paulistão, o São Paulo não vem conseguindo repetir durante o Brasileiro. Melhor ataque do Estadual com 38 gols, no nacional a equipe balançou as redes por apenas 13 vezes, igual ao América-MG e à lanterna Chapecoense, ficando à frente de Fluminense, Juventude, Grêmio e do próprio Sport, o pior.

Tendência é o Tricolor ter uma saída em 4+2 diante do Leão (Imagem: ESPN Argentina)

Como tem a base titular obrigatoriamente modificada, o Tricolor deve formar uma saída em 4+2 ao iniciar a criação ofensiva. Do meio para frente, porém, as peças trocarão constantemente de posição, alternando o sistema entre o 4-2-2-2 e 4-2-4, dependendo de como o adversário se postará. Outra opção, caso tenham esquema com três zagueiros, é fazer um 3+4, tendo a variação de 3-4-2-1 e 3-4-1-2.

Outra alternativa é formar um 3+4 se tiverem três zagueiros em campo (Imagem: Premiere)

“No meio campo, a maior deficiência tem sido na criação, principalmente quando Benítez não joga. Igor Gomes tem intensidade na marcação, mas pouca consistência ao acionar a velocidade de Rigoni. A instabilidade de Pablo, mesmo sendo artilheiro da temporada, tem sido uma preocupação”

Eduardo Affonso, repórter ESPN

COMO DEFENDE

A defesa é outro calo para Hernán Crespo nesse Brasileirão. Nos 16 jogos que disputaram, os são-paulinos foram vazados em 19 vezes, sendo o quarto pior sistema defensivo da competição, em vantagem somente para América-MG e Internacional (20), Bahia (26) e Chapecoense (28). A inconsistência do time se deve a inúmeros fatores, mas principalmente a falta de compactação ao recompor.

“As ausências de Reinaldo e Welington devem fazer Crespo ir com uma linha de 4 na defesa, que tem sofrido muito com a bola aérea adversária. Nesse esquema, Dani Alves desce mais do que Léo que, dependendo da circunstância do jogo, deve fechar como terceiro zagueiro”

Eduardo Affonso, repórter ESPN
São-paulinos devem formar linha de 5 e blocos baixo/médios sem a posse (Imagem: Brasileirão Play)

Mesmo colocando as linhas mais retraídas ao se defender, o Tricolor tende a ter os blocos bem próximos e no seu próprio campo. A maior probabilidade é de se ver a equipe paulista performar no 5-3-2, com o triângulo no meio sem se distanciar da dupla ofensiva e os laterais caindo como alas, ficando livres para dar o contra-ataque em velocidade.

PARA FICAR DE OLHO

Dani Alves (LD) – Multicampeão. Experiente. Adjetivos sobram para definir o lateral-direito são-paulino, que é uma das principais válvulas de escape da equipe ao atacar. Apesar de não viver seu melhor momento, ainda tem em seu favor o poder criativo e a força na bola parada, seja nas cobranças de falta ou escanteio.

Rigoni (MD) – Contratado como uma aposta, o uruguaio é um dos destaques do setor ofensivo tricolor. Mesmo autor de dois gols no Brasileirão, o jogador é um dos mais criativos, inclusive no certame, pois já deu quatro assistências e criou três grandes chances, sendo bastante participativo ao trocar passes no ataque.

Pablo (ATA) – A fase não é positiva, mas o retrospecto na temporada 2021 é. O atacante do time paulista já marcou 12 gols em 30 jogos disputados, além de ter dado quatro assistências, mostrando a movimentação para ajudar os demais companheiros; o camisa 9 tenta recuperar a sequência de bolas na rede tendo mais mobilidade.

Créditos da foto principal: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: