Da água para o vinho: análise CSA 0 x 1 Náutico

Por: Felipe Holanda

Vida nova. Na estreia de Marcelo Chamusca, o Náutico apresentou outra postura ao vencer o CSA por 1 x 0 nesta terça-feira (24), no Estádio Rei Pelé, em Maceió, quebrando sequência sem vitórias para ficar na cola do G-4 na Série B do Campeonato Brasileiro.

Na escalação, Chamusca promoveu novidades, a começar pela presença de Rafael Ribeiro na zaga. No ataque, Tailson foi acionado na ponta direita, enquanto Paiva fez a referência em substituição ao lesionado Caio Dantas, que não viajou à Maceió.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

Escalação inicial dos alvirrubros (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Volume amplificado. Enérgico nos minutos iniciais, o Náutico conseguia povoar bem o campo de ataque, chegando com perigo duas vezes. Em ambas, a arbitragem marcou impedimento. Mesmo assim, foi a prova que o alvirrubro estava com outra postura em relação aos últimos jogos.

Com mais posse de bola, faltava capricho na zona de arremate. Àquela altura, o time de Chamusca chegou a utilizar um 4-2-4 ofensivo, enquanto os alagoanos passavam o cadeado na defesa para bloquear as opções de passe.

Com Bryan por dentro, Náutico forma um 4-2-4 no ataque (Imagem: SporTV/Premiere)

Mais impositivo, veio a chance para o Timbu, quando Rhaldney entrou na área, bateu firme e Lucas Frigeri fez sua primeira boa defesa no jogo. Em seguida, o arqueiro voltou aparecer após boa cabeçada de Vinícius. Um presságio.

Na chance mais clara do primeiro tempo, de novo a favor do Náutico, Jean Carlos arriscou de longe e só não marcou por um detalhe. Do outro lado, nas poucas chegadas do Marujo, a aposta foi se fechar fixamente no 4-4-2 em linhas definidas.

Compactação Timbu (Imagem: SporTV/Premiere)

Na etapa final, ao mesmo tempo que o Azulão do Mutange cresceu, dando trabalho a Alex Alves, os alvirrubros conseguiram ser mais efetivos, na variável entre o 4-2-3-1 e o 4-2-4. tendo Vinícius e Jean alternando na esquerda. O único obstáculo continuava sendo o mesmo: Frigeri.

Postura no segundo tempo (Imagem: SporTV/Premiere)

Após grandes defesas, o arqueiro alagoano, enfim, foi vazado. Escanteio de Jean e cabeceio firme de Vinícius, estufando as redes azulinas para abrir a contagem no Rei Pelé: 1 x 0. Pouco depois, ainda surgiu a chance do segundo gol, mas o mesmo Jean errou o passe. Frigeri fez o corte e apareceu de novo.

Se o CSA tentou a resposta, o Náutico seguiu pressionando, modificado em peças, mas constante na intensidade. No fim, o resultado já foi suficiente para os comandados de Chamusca, que voltaram a vencer depois de seis partidas.

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: