Problemas técnicos: análise Náutico 1 x 1 Guarani

Por: Felipe Holanda e Ivan Mota

Erros capitais. O Náutico voltou a cometer falhas sob o comando de Marcelo Chamusca e ficou no empate em 1 x 1 contra o Guarani neste sábado (4), nos Aflitos, pela 21ª rodada da Série B, adiando outra vez a volta ao G-4. Enquanto Jean Carlos desfilou categoria para se isolar ainda mais na artilharia, Iago Dias foi expulso e Hereda falhou no gol campineiro.

Procurando dar mais intensidade e profundidade, Marcelo Chamusca optou por escalar Iago Dias na ponta direita, com Tailson no banco, enquanto Giovanny assumiu a vaga do suspenso Vinícius. Já na cabeça de área, Djavan voltou a aparecer entre os titulares ao lado de Rhaldney.

Como os alvirrubros foram a campo (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Se Iago havia entrado bem diante do CSA, a imposição ofensiva não se repetiu nos minutos iniciais. Sendo presa fácil para a marcação do Bugre, o Náutico não conseguia ditar o ritmo do jogo, exceto quando Jean Carlos pegava na bola. O camisa 10, inclusive, tentou chance perigosa, mas finalizou acima da meta campineira.

Do outro lado, o Guarani não se acanhou, reiterando os números de melhor ataque desta Série B. Quando atacado, o time de Chamusca se fechava em blocos geralmente médios, deixando o 4-4-2 bem definido, tendo Jean ao lado de Paiva na linha de frente. O problema veio com a expulsão infantil de Iago Dias, aos 41.

Compactação defensiva dos alvirrubros sem a bola (Imagem: Sportv/Premiere)

Mas quando teve a chance, o Timbu foi letal: mostrou suas garras em contragolpe puxado por Giovanny, que terminou com finalização precisa de Jean Carlos no canto direito de Rafael Martins, abrindo 1 x 0. Ainda na etapa inicial, os paulistas chegaram ao gol de empate, mas o VAR anulou a jogada. Alívio.

Quando a bola rolou no segundo tempo, só deu Guarani. Após levar perigo em cabeceio de Lucão do Break, os bugrinos deixaram tudo igual com Bruno Sávio quando Bidu pressionou a saída alvirrubra e desmoronou a estratégia de Chamusca, antes de cruzar.

Mesmo com vantagem numérica, os paulistas não conseguiram vencer a barreira defensiva formada por Chamusca, criando poucas chances. O Náutico, por outro lado, até conseguiu chegar algumas vezes. Matheus Trindade arriscou de longe, obrigando o goleiro a fazer boa defesa.

Timbu numa espécie de 4-2-3 com 10 homens (Imagem: Sportv/Premiere)

A melhor chance do Timba aconteceu com Giovanny, aos 25 minutos do segundo tempo. Ele fez grande tabela com Luiz Henrique, invadiu a área, chutou cruzado, mas Rafael Martins salvou o time de Campinas.

O jogo ficou muito truncado. Náutico se fechou com duas linhas de quatro, sem deixar os comandados por Daniel Paulista atacarem e o placar não saiu do empate, o segundo seguido com o novo comandante. Dos males, o menor.

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: