Ataques enferrujados: análise Ferroviário do Cabo 0 x 0 Centro Limoeirense

Por: Mateus Schuler

Sem efetividade. Sentindo o peso da estreia, Ferroviário do Cabo e Centro Limoeirense não tiveram pontaria calibrada e empataram sem gols na tarde deste domingo (5), no Gileno de Carli, no Cabo de Santo Agostinho, pela primeira rodada da Série A-2 do Campeonato Pernambucano

Com um elenco qualificado e alguns nomes já conhecidos, como Flávio Caça-Rato, o Trinca-ferro de Alexandre Lima se postou no 4-2-3-1, formando duas linhas de quatro na defesa. O Dragão, por sua vez, foi no 4-3-3 mais cauteloso, apostando em atletas menos famosos.

Times entraram espelhados na estreia da A-2 (Feito no Tactical Pad)

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

COMO FOI

Nervosismo da estreia à parte, os times mostraram que buscariam atacar sempre que possível. Por ser o mandante, o Ferroviário se fez mais presente ao setor ofensivo, porém esbarrou em suas limitações e não levou muito perigo, o oposto do Centro, que quase foi letal: Mima recebeu bom passe de João pela esquerda e cruzou rasteiro para Edson bater de primeira, mas Dida fez uma defesaça.

Postado com duas linhas de 4 e variando entre 4-1-4-1 e 4-4-2 ao se defender, o Trinca-ferro segurou bem os ímpetos, mesmo cedendo espaços. Quando atacou, chegou na base do jogo apoiado na tentativa de explorar um erro no posicionamento defensivo alvirrubro, contudo não demonstrou ser efetivo.

O Dragão, por outro lado, tentou usar a ligação direta ou jogadas individuais para tentar sair do zero. Uma delas foi com Elisson que, mesmo pela esquerda – lado oposto ao seu habitual – de ataque, driblou dois adversários e, ao finalizar, viu Gleidson Sena surgir para bloquear. Na bola parada, no entanto, veio a melhor chance de toda a etapa inicial para os visitantes: Iury cobrou escanteio fechado e o goleiro tricolor evitou o gol olímpico, tirando de soco.

Trinca-ferro segurou ímpetos com duas linhas de 4 (Imagem: TV FPF)

Para o segundo tempo, os técnicos não realizaram substituições, aprovando a postura das respectivas equipes. Assim como foi nos 45 minutos iniciais, o equilíbrio tomou conta do duelo, com os dois lados sendo pouco criativos ofensivamente para assustar a meta adversária.

Formando um 4-2-3-1 ao atacar, o Dragão povoou o campo de ataque explorando espaços entrelinhas e buscando pressionar os defensores rivais. Mesmo quando não teve a posse, conseguiu levar perigo; Fabinho se atrapalhou na saída e, ao cortar, chutou em cima de Edson, com a bola saindo pela linha de fundo e dando susto em Dida.

Pouco depois, o Ferroviário até poderia ter feito o gol da vitória, entretanto também não foi eficiente. Diego Recife serviu Dadinha pela direita, que fez o lance individual e levantou com perfeição dentro da pequena área para Caça-Rato; o atacante, livre de marcação, cabeceou muito mal debaixo da barra e perdeu uma chance incrível. Em sequência, Edson e Breno também tiveram oportunidades em favor dos alvirrubros, contudo desperdiçaram-as e o placar não foi alterado.

Dragão foi mais presente e criativo ofensivamente (Imagem: TV FPF)

Créditos da foto principal: Charles Johnson/FPF-PE

Um comentário em “Ataques enferrujados: análise Ferroviário do Cabo 0 x 0 Centro Limoeirense

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: