Santa Cruz na Série C: como joga taticamente o Altos

Por: Mateus Schuler

Auto da Compadecida. A caminho do purgatório, o Santa Cruz encara o Altos para voltar a vencer e jogar a mão para o céu numa das últimas esperanças contra o rebaixamento na Série C do Campeonato Brasileiro. Duelo acontece neste sábado (11) às 17h, no Arruda, pela 16ª rodada do Grupo A.

Separamos tudo sobre o próximo adversário coral: principais movimentações táticas, estilo de jogo, números, informações exclusivas de uma setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Jacaré.

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

O TIME

Em partida que pode garantir o alviverde na Terceirona por mais um ano na temporada de estreia na competição, o treinador Paulinho Kobayashi já tem duas alterações certas. O goleiro Mondragon, que saiu lesionado ainda com bola rolando durante a vitória sobre o Floresta, e o atacante Lucas Campos, pois terá de cumprir suspensão automática; assim, Fábio e Jardel devem ser acionados, fazendo a equipe ir ao 4-3-3 para reforçar a marcação.

Meio-campo dos piauienses deve ter mudanças diante do Mais Querido (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Controverso. Apesar de ocupar a parte inferior da tabela, o Jacaré tem dado muitos botes em seus adversários, pois é dono do quinto melhor ataque do Grupo A – atrás apenas dos ocupantes do G-4 – e é o sétimo mais positivo do campeonato. Muitos desses gols saíram pela dinâmica ofensiva proposta pela equipe, tendo variações a depender do jogo e da postura adversária.

Centroavante altense fixa pouco na área no 4-2-3-1 (Imagem: TV N Sports/DAZN)

A mais frequente delas é o 4-2-3-1, com os laterais ajudando os volantes na criação e/ou dando suporte aos extremos. Assim, o time troca mais passes e infiltra entrelinhas na marcação, tendo amplitude com um dos pontas para o centroavante Betinho poder recuar e povoar ao máximo o campo rival. Além disso, o camisa 19 faz pivô frequentemente; outra alternativa é formar um 3-4-3 e um dos cabeças de área sendo líbero, subindo as linhas.

Trio ofensivo pode ser apoiado por laterais ou meio-campistas (Imagem: TV N Sports/DAZN)

“O Altos tem como ponto forte e caracteristica principal o trio de ataque, que é muito conhecido com Manoel, Klenisson e Betinho. Manoel é o artilheiro do time na Série C, com sete gols, e 21 no ano. Betinho é o vice-artilheiro da equipe, com cinco gols na competição”

Pâmella Maranhão, repórter do grupo Cidade Verde-PI

COMO DEFENDE

Enquanto o ataque se mostra produtivo, a defesa justifica o posicionamento negativo na tabela. Com 17 gols sofridos, é a terceira mais vazada da Série C e a Manga Mecânica não tem conseguido manter a estabilidade, pois viu os adversários furarem o bloqueio em 11 dos 15 jogos realizados até o momento no campeonato.

Mesmo com duas linhas, piauienses têm falhas de compactação (Imagem: TV N Sports/DAZN)

Mesmo variando entre o 4-4-2 – mais frequente – e o 4-2-3-1, o Jacaré tem apresentado falhas pontuais. Apesar dos blocos médios, permite infiltrações, principalmente vindo pelos lados e fechando no meio, descompactando as linhas defensivas. Na outra alternativa, pressiona mais o adversário e, assim, induz ao erro, tendo mais movimentação de suas peças.

“O nome principal da defesa é Mimica. É xerife e quem segura as pontas lá atrás, formando dupla experiente com Leandro Amorim. Vivendo melhor momento, Mimica tem liderado todo o setor”

Pâmella Maranhão, repórter do grupo Cidade Verde-PI
Alviverde busca fechar o máximo de opções de passe do adversário (Imagem: DAZN)

PARA FICAR DE OLHO

Mimica (ZAG) – Experiente, fez seu nome no Sampaio Corrêa durante maior parte de sua carreira, mas tem mantido o histórico positivo no Altos. Forte na bola aérea ofensiva e defensiva, tem sido um xerife – conforme antecipou a setorista – e principal jogador da defesa alviverde, comandando todo o setor para auxiliar os companheiros.

Betinho (ATA) – Outro jogador com bastante rodagem no futebol brasileiro e velho conhecido dos pernambucanos. Recifense, é cria da categoria de base do Náutico, porém também já atuou pelo próprio Santa Cruz; no Jacaré, em 2021, marcou 13 gols em 33 jogos, sendo cinco na Série C; é o vice-artilheiro da equipe na competição.

Manoel (ATA) – Falou em Altos, tem que falar em Manoel. Sinônimo de bola na rede no time piauiense, o atacante mostra versatilidade para atuar em todas as funções do setor ofensivo, que o faz ser o maior artilheiro de todos os tempos no alviverde; desde a primeira passagem, em 2016, foram 73 gols marcados, sendo o artilheiro do Estadual 2021 com 13 tentos e vice-artilheiro da C, com sete.

Créditos da foto principal: Luis Junior/AA Altos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: