Uma chama apagada: análise Botafogo 3 x 1 Náutico

Por: Mateus Schuler

Sem extintor. O Náutico até esboçou uma reação, mas sofreu a virada do Botafogo por 3 x 1 neste sábado (18), no Nilton Santos, ficando ainda mais distante do G-4 na Série B do Campeonato Brasileiro. Jean Carlos abriu o placar para os alvirrubros, porém Luís Oyama e Rafael Navarro, duas vezes, viraram para o Fogão; duelo válido pela 24ª rodada da Segundona.

Para a partida, Marcelo Chamusca optou pela manutenção do 4-2-3-1 que é habitual no Timba, mas teve duas alterações entre os titulares em relação ao último confronto. No meio-campo, o suspenso Rhaldney deu lugar a Matheus Trindade, enquanto Iago Dias foi acionado na referência do ataque, entrando na vaga de Paiva, barrado por atuações ruins.

Pernambucanos mantiveram o 4-2-3-1 de base com mudança no ataque (Feito no Tactical Pad)

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

COMO FOI

O começo da partida fez relembrar o Náutico dos momentos positivos sob o comando de Hélio dos Anjos, fazendo marcação em blocos médios/altos no campo ofensivo. A pressão inicial, aliada à boa presença no ataque com o 4-2-4, gerou o gol no primeiro bom lance: Hereda cruzou rasteiro da direita e a bola sobrou para Vinícius, que a deixou na entrada da área; Jean Carlos, de primeira, estufou a rede.

Apesar da vantagem parcial, o Timbu não ficou tão criativo ao atacar, vendo assim o Botafogo crescer no jogo. Postado no 5-4-1 quando quis fechar mais os espaços, o time pernambucano deu descuido por duas vezes, porém teve a sorte como parceira; na primeira, Marco Antônio arriscou de fora da área e mandou próximo à trave direita. Em seguida, Navarro recebeu pela esquerda e bateu para boa defesa de Alex Alves.

Nos minutos finais da primeira metade do confronto, os alvirrubros sofreram o duro golpe e foram ao intervalo igualados no placar. As linhas espaçaram e Luís Oyama, acionado na vaga do lesionado Pedro Castro, resolveu finalizar da intermediária; o chute teve desvio em Rafael Ribeiro e enganou o goleiro, morrendo no fundo do barbante.

Timba teve maior ofensividade no começo do duelo (Imagem: Premiere)

Para a etapa final, Marcelo Chamusca decidiu não realizar mudanças, o que fez o Náutico manter a mesma postura, sem ser agressivo. Não por acaso, os alvinegros seguiram presentes ao ataque e conseguiram virar o placar: Chay fez boa jogada pela direita e chutou cruzado, parando em defesa parcial de Alex Alves; na sobra, Navarro ficou com a bola – sozinho – e mandou para o gol.

Para tentar recuperar o fôlego ofensivo do início do duelo, o comandante do Timbu promoveu as estreias de Jacob Murillo e Júnior Tavares nos lugares de Djavan e Bryan, respectivamente. De início, as mexidas não surtiram efeito, já que quem levou perigo foi o Fogão: Carlinhos cobrou um escanteio na área e Barreto cabeceou para defesaça do goleiro alvirrubro.

Do meio para o fim, outras três alterações na tentativa de buscar o empate, contudo faltaram ofensividade e, principalmente, criatividade. Luiz Henrique, Iago Dias e Trindade deram vez a Marciel, Giovanny e Guilherme Nunes. Com isso, coube à equipe pernambucana se defender no 4-2-3-1, no entanto deu tempo ainda de Navarro, em contra-ataque letal, explorar o cansaço e tocar para o gol dando números finais.

Alvirrubros mudaram dinâmica defensiva no segundo tempo (Imagem: Premiere)

Créditos da foto principal: Vítor Silva/Botafogo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: