Blecaute coral: análise Tombense 2 x 1 Santa Cruz

Por: Mateus Schuler

Pilha fraca. Apesar do rebaixamento já decretado, o Santa Cruz voltou a ser derrotado e, neste domingo (19), perdeu para o Tombense por 2 x 1, tendo confirmação que será lanterna no Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro; duelo foi válido pela 17ª rodada e disputada no Antônio Guimarães de Almeida.

Para a última partida fora de casa, mesmo interferências na tabela, Roberto Fernandes não fez muitas inovações e voltou a jogar no 4-2-3-1. Dessa vez, a lateral esquerda foi ocupada por Gilmar em vez de Leonan, enquanto Rafael Castro entrou na vaga do suspenso Breno Calixto. No meio-campo, Maycon Lucas voltou de suspensão e fez a cabeça de área com Vitinho, já Lelê ficou na armação, tendo Jaílson e Tarcísio de extremos; Pipico fechou o ataque.

Cobra Coral teve voltas de Gilmar e Lelê ao time titular (Feito no Tactical Pad)

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos do seu time de coração

COMO FOI

A partida começou um pouco diferente das últimas, com muito equilíbrio dos dois lados e ambos sem criatividade. Seguro na defesa, o Santa Cruz formou um 4-4-2 bem definido e de blocos baixos, buscando contra-atacar para ser perigoso. A primeira boa chance, no entanto, foi do Tombense, quando Jean Lucas chutou forte e Jordan defendeu.

Mesmo assim, o Mais Querido seguiu contra-atacando e procurando achar o espaço no campo adversário. Sem conseguir pressionar, viu o Tombense ter o domínio das ações, porém Lelê invadiu a pequena área e, no momento do arremate, foi derrubado por Eduardo Neto: Pipico cobrou seguro e colocou os corais em vantagem.

O gol até deu tranquilidade, mas os mineiros continuaram presentes ao setor ofensivo e insistindo. Logo após ficarem em desvantagem, Jean Lucas surgiu pela direita e bateu de longe, acertando o travessão. Ainda que por um curto intervalo, a pressão do Gavião-Carcará furou o bloqueio da Cobra Coral: em falta lateral, Manoel tentou cruzar na área, entretanto a bola resvalou no pé de Gilmar e morreu no fundo do barbante.

Sistema defensivo tricolor mostrou certa solidez na primeira metade (Imagem: DAZN)

Para o segundo tempo, Roberto Fernandes optou pela manutenção dos 11, já visando a participação da equipe na pré-Copa do Nordeste. O jogo voltou a ficar bastante equilibrado, assim como foi no início da etapa inicial, porém os alvirrubros eram mais presentes ao campo de ataque e se aproximaram da virada.

Apesar disso, o técnico tricolor foi ousado e tentou dar mais ofensividade no time. O volante Vitinho deixou o gramado para entrada de Levi, fazendo com que Tarcísio fizesse a cabeça de área ao lado de Maycon Lucas. No primeiro lance depois da mexida, David cruzou, a bola desviou e Rubens, de carrinho, tocou para fora. Pouco depois, David voltou a mandar na pequena área, mas dessa vez o centroavante do Gavião-Carcará completou, ainda que tivesse o chute bloqueado antes de estufar o barbante.

Com a baixa produtividade, outras duas substituições foram feitas: Pipico e Tarcísio foram sacados para Wallace Pernambucano e João Cardoso serem acionados. Na única vez em que chegou ao setor ofensivo, a Cobra Coral até balançou as redes quando Rafael Castro pegou a sobra de escanteio dentro da área, contudo a arbitragem impugnou o lance; nos acréscimos, Levi ainda foi expulso, deixando a derrota mais amarga.

Pernambucanos tentaram aproximação das linhas centrais para trabalhar melhor as jogadas (Imagem: DAZN)

Créditos da foto principal: Victor Souza/Tombense

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: