Figurinha carimbada: o que esperar taticamente de Marcos Martins no Santa Cruz

Por: Felipe Holanda e Ivan Mota

Homem de confiança de Leston Júnior, Marcos Martins retorna ao Santa Cruz para ser o braço direito do comandante coral já visando o pré-Nordestão. Seu último clube foi o Floresta, comandado pelo próprio Leston. Antes, em 2019, defendeu o Mais Querido, disputando 30 partidas com a camisa tricolor e deixando saudades.

Nesta análise, o Pernambutático destrincha o que esperar do novo contratado, com principais características táticas, números, mapas de calor, um Raio-X da carreira, e como o lateral pode se encaixar no esquema de Leston.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

Apoiador nato. Lateral-direito técnico, Marcos Martins tem o apoio como ponto forte, geralmente com passes precisos e assistências. Também apresenta boa profundidade pelos lados, além da noção de espaço, se destacando como um verdadeiro “garçom”.

Veja a análise, em vídeo, de passes para gol de Marcos Martins:

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui.

No 4-2-3-1 de Leston Júnior pelo Floresta, Marcos caía como uma luva, seja fazendo um jogo apoiado com os atacantes, ou indo até a linha de fundo para tentar o cruzamento na área. Ao todo, disputou sete jogos pelo Verdão na Série C, sendo seis como titular.

Martins no 4-2-3-1 cearense (Imagem: DAZN/TVNSports)

No Arruda, Marcos Martins chega para jogar de imediato, brigando por posição com Lucas Rodrigues -Jadson, outra opção para a lateral direita, corre por fora. A expectativa é que ele esteja apto para o confronto pela pré-Copa do Nordeste, marcado para o próximo dia 20, no qual os corais enfrentam o vencedor do duelo entre Floresta e Treze.

Possível formação inicial com Marcos Martins (Feito no Tactical Pad)

Ainda nos tempos de Floresta, o lateral também jogou improvisado na esquerda quando foi necessário. No duelo que sacramentou a permanência do Lobo na Terceirona, diante do Ferroviário, ele atuou no setor e deu o passe para o único gol do jogo, marcado por Elielton.

Mapa de calor diante do Ferrin (Reprodução/Wyscout)

FACETAS DEFENSIVAS

A recomposição é um fator que ainda precisa ser melhorado por Marcos Martins. Em fase defensiva, a tendência é que ele busque compactação pela direita, como aconteceu no Floresta, que tinha o 4-1-4-1 como esqueleto tático.

Postura defensiva do Verdão da Vila (Imagem: DAZN/TVNSports)

Quando se fala em interceptações, Marcos Martins costuma ter um pouco mais de destaque. Com bom senso de posicionamento, consegue se antecipar aos atacantes na hora exata e fazer o corte, seja com os pés ou com a cabeça.

Veja a análise, em vídeo, de interceptações de Marcos Martins:

RAIO-X DA CARREIRA

Natural de Souto Soares, na Bahia, fez sua categoria de base no futebol mineiro, atuando pelo Cruzeiro de 2006 até 2008, clube onde se tornou profissional, além de uma passagem por empréstimo no Ipatinga. Foi campeão pela Raposa da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2008.

Dados de Martins (Reprodução/Wyscout)

Seu primeiro jogo por uma equipe principal, contudo, aconteceu no Bahia, em 2009. Em sua primeira passagem pelo tricolor baiano, disputou 24 jogos na Série B. No ano seguinte, retornou ao time Celeste, mas não conseguiu espaço, resultando numa longa sequência de empréstimos para Avaí, Atlético Goianiense, Vitória, Ceará e para o próprio Bahia.

Ao fim de seu contrato com os mineiros, permaneceu no Ceará, ficando por mais uma temporada, até ser dispensado. Em 2015, assinou com o CRB, onde permaneceu até 2017. Pelo Galo Praiano, conquistou dois Campeonatos Alagoanos, 2016 e 2017, sempre sendo peça constante no time titular.

Três anos mais tarde, foi contratado pelo Botafogo-SP, onde conseguiu o acesso para a Série B. Mesmo assim, deixou o Pantera, sendo contratado pelo Santa Cruz. Na Cobra Coral, foram 30 jogos pelo Campeonato Pernambucano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série C.

Apesar de não ter sido um bom ano coletivo, o jogador foi um dos destaques do Tricolor, deixando a equipe na mesma temporada, já que tinha uma cláusula em seu contrato que o liberava para clubes de divisões superiores. Marcos acabou acertando com o São Bento, que estava na Série B. Lá, disputou 23 partidas e marcou dois gols. Em 2020, defendeu o Botafogo-PB na Terceirona. Já em 2021, atuou por Santo André, durante o Campeonato Paulista, e Floresta, na Série C.

Créditos da foto principal: Rodrigo Baltar/Santa Cruz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: