Santa Cruz na Pré-Copa do Nordeste: como joga taticamente o Floresta

Por: Mateus Schuler

Deci$ão. Sem Copa do Brasil e na Série D em 2022, o Santa Cruz faz confronto decisivo diante do Floresta na Pré-Copa do Nordeste com a missão de ter desafogo financeiro e garantir calendário para a próxima temporada. Embate acontece nesta terça-feira (19) às 21h30, na Arena de Pernambuco, pela segunda fase eliminatória do Nordestão.

Separamos tudo sobre o próximo adversário coral: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Verdão da Vila Sátiro.

O TIME

Para o certame regional, além de ter alterado o treinador, o time cearense se desfez de alguns jogadores que estiveram na campanha da Série C, como o zagueiro Edimar, volante Yuri Naves, e atacantes Elielton e Deysinho. Assim, o – agora – técnico Daniel Rocha foi promovido ao cargo, mas manteve o 4-2-3-1 de Leston Júnior, devendo repetir a escalação da vitória ante o Treze, que garantiu classificação.

Tendência é manutenção da base titular dos cearenses (Feito no Tactical Pad)

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

COMO ATACA

Apesar da mudança no comando, o Floresta vem atuando como estava na Série C, sem alterar o modelo proposto por Leston Júnior, atual treinador do Santa Cruz. Dessa maneira, Daniel Rocha aposta na criação de jogadas com base no jogo apoiado, sem apelar muito para a ligação direta e buscando a aproximação das linhas.

Laterais guardam mais a posição para auxiliar meias no poder criativo (Imagem: Nordeste FC)

Assim, muito do poder criativo gira em torno de uma saída em 4+2, tendo os volantes próximos tanto dos laterais como dos demais meio-campistas para confundir o adversário na primeira linha de combate. Essa proximidade faz o time ficar com maior dinâmica, podendo variar constantemente de posição e infiltrar entrelinhas.

Ataque cearense visa ficar com linhas próximas (Imagem: Nordeste FC)

E é, nesta configuração, que o 4-2-3-1 do sistema-base se repete também no campo ofensivo. Enquanto os alas dão amplitude, atraindo a marcação, o meio-campo tenta a transição cadenciada, usando o centroavante como o pivô, tendo a velocidade pelos lados como a principal arma para chegar ao ataque.

COMO DEFENDE

Defensivamente, por outro lado, há mais variações, algo semelhante ao que Leston planejava. A principal característica é a formação de duas linhas de 4, alternando entre blocos médios/altos e baixos, dependendo diretamente do encaixe de seu adversário; o mais comum, no entanto, é o 4-4-2, tendo suas linhas bastante próximas.

Verdão da Vila mais retraído em seu campo defensivo (Imagem: Nordeste FC)

Assim, busca ficar no seu próprio campo, tentando induzir ao erro e poder ter o contra-ataque em velocidade, ficando compactado e fechando melhor as entrelinhas. Outra alternativa é adiantar mais linhas e bloquear a criação em seu nascedouro, mas expondo seu sistema defensivo e permitindo espaços para troca de passes.

Com isso, os alviverdes formam um 4-3-3, deixando um dos extremos junto à dupla ofensiva, formada pelo centroavante e o armador. Os demais meias se responsabilizam pelo segundo combate, ainda que atuem longe da defesa e sem compactação; opção é mais usada quando tentam pressionar a saída de bola rival, independente do resultado parcial.

Linhas jogam mais distanciadas, apesar da pressão (Imagem: Nordeste FC)

PARA FICAR DE OLHO

Fábio Alves (LE) – Com rodagem pelo futebol brasileiro e tendo a experiência como o ponto forte, o lateral-esquerdo é uma das armas no campo ofensivo. Além de ajudar na criação dos lances, seja auxiliando o extremo ou os meio-campistas, mostra ter qualidade na marcação, fixando bem na última linha de combate.

Paulo Vyctor (ATA/PE) – Principal jogador do Verdão na Série D de 2019, ano em que a equipe bateu na trave pelo acesso, o atacante foi emprestado ao Nacional-POR, mas não conseguiu repetir as boas atuações. Assim, voltou ao time cearense, porém também segue tendo baixo rendimento; apesar disso, é importante taticamente, ajudando na recomposição.

Flávio Torres (CA) – Artilheiro do Floresta na última Série C junto a Deysinho e Fábio Alves, o centroavante é um dos nomes destaque do ataque, apesar de ter feito apenas três gols. No entanto, balançou as redes na vitória diante do Treze, em partida que garantiu classificação à equipe para enfrentar o Santa Cruz; atacante alviverde auxilia também com pivôs para os extremos e/ou ao meia.

Créditos da foto principal: Ronaldo Oliveira/Floresta EC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: