Empilhando prejuízos: análise Santa Cruz 3 (2) x (4) 3 Floresta

Por: Mateus Schuler

$ucessão de erros. O Santa Cruz voltou a decepcionar sua torcida com derrota para o Floresta, nos pênaltis, por 4 x 2 após empate em 3 x 3 no tempo normal nesta terça-feira (19) na Arena de Pernambuco, dando adeus à Copa do Nordeste e deixando de embolsar cota milionária para a próxima temporada, além do prejuízo técnico após queda à Série D do Campeonato Brasileiro.

A primeira escalação de Leston Júnior na volta aos corais teve manutenção do 4-2-3-1 que vinha sendo utilizado por Roberto Fernandes, inclusive com a mesma base. Enquanto a linha defensiva, capitaneada por Jordan no gol, foi formada por Lucas Rodrigues, William Alves, Breno Calixto e Leonan, Vitinho e Maycon Lucas ficaram na cabeça de área; Tarcísio, Lelê e Frank ocuparam a trinca atrás de Pipico, isolado na referência.

Novo comandante tricolor optou por não realizar mudanças no time (Feito no Tactical Pad)

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

COMO FOI

Determinado, mas ansioso. Foi assim que o Santa Cruz começou a partida e tentou ser superior ao Floresta nos primeiros minutos. Não por acaso, teve a primeira chance quando Frank recebeu na entrada da área e chutou firme, parando em defesa segura de Douglas Dias. Logo depois, em contra-ataque veloz, Eugênio saiu de frente para Jordan, mas bateu em cima do goleiro, que fez uma belíssima intervenção.

Após tomar o susto, o Mais Querido voltou a dominar o jogo e passou a ter o controle, explorando falhas do Verdão para ficar à frente. Em um dos lances, Vitinho cruzou na área e Pipico cabeceou para verdadeiro milagre do camisa 1 alviverde. Postados no 2-4-3-1, tendo apenas os zagueiros atrás do meio, os corais abriram o placar: depois de pressionar a saída de bola, Vitinho roubou, tabelou com Lelê e finalizou forte, contudo o arqueiro defendeu; a sobra ficou nos pés de Pipico, que não vacilou e completou.

Pernambucanos mostraram bom posicionamento ofensivo (Imagem: TV Jornal)

Se ao atacar os corais estavam bem posicionados, defensivamente tiveram maior fragilidade e viram os cearenses crescerem no duelo. Com mais posse, conseguiram empatar: Paulo Vyctor disparou em velocidade pela esquerda, recebeu de Eugênio e mandou na saída de Jordan. Logo em sequência, Fábio Alves cobrou falta forte de longe e Jordan interveio usando a ponta do dedo.

Apesar do placar igualado, o Tricolor do Arruda não abdicou de atacar e foi à zona ofensiva tentando ir em vantagem ao intervalo. Assim, até conseguiu se desvencilhar bem da marcação florestina e quase marcou o segundo: Frank foi servido por Pipico pelo lado esquerdo e desperdiçou oportunidade clara de gol.

Mesmo com duas linhas, equipe pernambucana falhou na compactação (Imagem: TV Jornal)

Para a etapa final, Leston Júnior optou por não voltar com mudanças, porém o Santa entrou a mil por hora. Antes do relógio chegar a 15 segundos, Tarcísio deu bom passe pela direita para Vitinho, que bateu em cima de Douglas Dias e não aproveitou uma chance incrível. Pouco depois, o mesmo Vitinho teve a oportunidade de se redimir e conseguiu: Leonan cobrou falta na área e Breno Calixto cabeceou para defesa parcial do goleiro; na sobra, Vitinho completou de cabeça.

Assim como ocorreu durante os primeiros 45 minutos, o Mais Querido formou duas linhas de 4 para fechar as brechas ao Floresta. Desse modo, apostou no contra-ataque e, explorando erros dos alviverdes, quase ampliaram: Maílson saiu errado e Pipico, da entrada da área, chutou mal e direto para fora, longe da meta adversária.

Duas linhas de marcação coral seguiram com fragilidades (Imagem: Nordeste FC)

Com a vantagem, Leston promoveu as entradas de Eduardo e Rafael Castro nos lugares de Frank e Lucas Rodrigues, respectivamente. As alterações não deram nova dinâmica à equipe, o que fizeram o comandante tricolor colocar duas novas peças em campo: João Cardoso e Caetano entraram nas vagas de Tarcísio e Vitinho. Apesar disso, o sistema defensivo voltou a falhar depois de Carlos Renato cruzar na área e Fábio Alves, surgindo livre, tirou do alcance de Jordan em cabeceio quase na entrada da pequena área.

Formando o 4-2-3-1 de base ao atacar, os pernambucanos não demoraram a voltar a ficar em vantagem: em jogada pela direita, João Cardoso mandou para Eduardo, que cruzou na medida para Pipico. De carrinho, o atacante se esticou todo e fez a festa dos mais de três mil torcedores presentes à Arena de Pernambuco.

Nos minutos finais, um duro golpe à torcida coral, que ficou abatida. Depois de cruzamento na área, Breno Calixto não afastou e Wagner completou para o fundo do barbante, com a definição da vaga indo a cobranças de pênaltis. Logo na primeira, Pipico acertou o travessão, já Fábio Alves colocou o Verdão em vantagem. Lelê e Leonan ainda deram o alento, porém Calixto falhou por mais uma vez e parou na intervenção de Douglas; Athyrson estufou as redes e garantiu os visitantes na próxima fase.

Tricolores seguiram atacando com trinca atrás de Pipico apesar das modificações (Imagem: Nordeste FC)

Créditos da foto principal: Rafael Melo/Santa Cruz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: