Dois pra lá, dois pra cá: análise Náutico 2 x 2 Vasco

Por: Felipe Holanda

Na dança da tabela na Série B do Campeonato Brasileiro, o Náutico demorou para reagir, mas buscou o empate diante do Vasco e somou ponto importante na caminhada rumo ao G-4, mantendo vivo o sonho do acesso. Vinícius e Yago marcaram para o Timbu, enquanto Nenê e Cano completaram o 2 x 2 neste domingo (24), nos Aflitos, pela 31ª rodada.

Sem a presença de Camutanga, que não foi a campo por suspensão, Hélio dos Anjos promoveu a entrada de Yago para atuar ao lado de Rafael Ribeiro na dupla de zaga. No mais, o treinador deu manutenção ao time titular, tendo também o retorno de Vinícius e Rhaldney para completar a formação alvirrubra.

Escalação inicial dos alvirrubros (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Contrariando um dos grandes hinos do clube, o Timbu não esteve acordado desde cedo. Pelo contrário, e os cochilos iniciais acabaram custando caro. Primeiro, foi a vez de Rafael Ribeiro dormir no ponto e Nenê finalizar sem chances para o – mal posicionado – goleiro Anderson, abrindo o placar nos Aflitos.  

O Timbu seguiu cambaleante e o pesadelo inicial foi ganhando requintes de crueldade. Nenê, de novo ele, lançou Marquinhos Gabriel, que assistiu para Germán Cano fazer o segundo com menos de 20 minutos de bola rolando. Silêncio absoluto nas arquibancadas.

Precisando reagir, a aposta foi valorizar a possa de bola desde o campo de defesa, utilizando uma saída de 3 com a participação do goleiro Anderson, tendo Rhaldney recuando entre os zagueiros, Yago e Rafael Ribeiro. Outra possibilidade era Jean Carlos tentar buscar o jogo lá de trás, à frente dos volantes.

Construção dos alvirrubros depois de sofrer dois gols (Imagem: Rede Globo)

Surtiu efeito. Hereda fez boa jogada pela direita e deu grande cruzamento para Vinícius, que diminuiu, de cabeça. De volta ao jogo, o Náutico seguiu flertando entre o 4-3-3 e o 4-2-3-1, seja em fase defensiva ou quando tinha a bola, ainda sem conseguir o empate. Pelo menos no primeiro tempo.

Exemplo do 4-2-3-1 sem a bola (Imagem: Rede Globo)

O roteiro mudou na etapa final. Mais impositivo no terço final, os alvirrubros fizeram o segundo, mais uma vez em jogada pelo alto. Jean cobrou falta na área e Yago testou firme para vencer Lucão e deixar tudo igual, coroando a reação do time de Hélio dos Anjos.

Depois daí, foi trocação. Enquanto o Timbu tentava virar, os cariocas respondiam do outro lado. Com a posse, a equipe pernambucana chegou a formar um 4-2-4 à procura do empate, algo que foi atenuado pela entrada de Jacob Murillo na vaga de Jaílson, já que o equatoriano tem mais características de atacante.

A busca pela virada (Imagem: Rede Globo)

Hélio ainda tentou mexer nas peças de novo, colocando Paiva e Matheus Trindade nos lugares de Caio Dantas e Rhaldney, respectivamente. Mas foi o alvinegro que quase foi às redes, com o goleiro Anderson fazendo grande defesa, no último lance de emoção do jogo, selando a igualdade.

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: