Acordando para a realidade: análise Brasil-RS 3 x 2 Náutico

Por: Guilherme Batista

O sonho acabou. O Náutico até lutou, mas quebrou a sequência de quatro jogos sem perder ao ser derrotado pelo lanterna Brasil-RS por 3 x 2, em partida eletrizante, e viu as chances de acesso praticamente encerrarem nesta quinta-feira (28). Jogo foi disputado no Bento Freitas e válido pela 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Sem a presença de Hélio dos Anjos na área técnica, o Timbu foi a campo mantendo o time titular, com apenas uma mudança em relação ao empate diante do Vasco, o retorno de Camutanga no lugar de Rafael Ribeiro. No mais, os alvirrubros repetiram a escalação e mantiveram o 4-2-3-1.

Escalação inicial alvirrubra (Feito no Tactical Pad)

Apoie o Pernambutático e receba conteúdos exclusivos na tela do seu celular. Seja membro Vip clicando aqui

COMO FOI

Franco-atirador na reta final da Série B, o Brasil de Pelotas começou a partida surpreendendo. Empurrando o Náutico pra trás, o Xavante pressionou desde o primeiro minuto, quando Erison finalizou para defesa de Anderson. O arqueiro alvirrubro voltou a trabalhar pouco tempo depois, quando Rildo disparou um tiro de fora da área.

Tanta pressão surtiu efeito. Renatinho cobrou escanteio cheio de efeito no primeiro pau, ninguém desviou e a bola foi morrer no fundo da rede alvirrubra. Saindo em desvantagem pelo oitavo jogo consecutivo, o Náutico passou a se postar num 4-2-4 para buscar o empate, que por muito pouco não veio com Jaílson, que parou em boa defesa de Marcelo.

Ao mesmo tempo que buscava o empate, o Timbu sofria com as falhas individuais no sistema defensivo. Em uma dessas falhas, Erison aproveitou vacilo de Matheus Jesus e por pouco não ampliou. O alívio alvirrubro veio pelos pés de Vinícius, que acertou belo chute da entrada da área para empatar a partida.

Buscando o empate, Timbu se postou num 4-2-4 (Imagem: SporTV/Premiere)

Buscando a virada, Guilherme dos Anjos sacou Jaílson e acionou Jacob Murillo, mas a segunda etapa começou como terminou a primeira. Assim, o Náutico teve mais posse e o Brasil de Pelotas ficou postado para poder explorar os erros do Timbu. E o Xavante foi premiado.

Aos 13 minutos, Renatinho cruzou a meia altura e Rhaldney se enrolou na hora de cortar, colocando a mão na bola dentro da área. Na cobrança da penalidade, Renatinho deslocou Anderson e recolocou a equipe gaúcha em vantagem.

Com muita vontade, mas sendo pouco criativos, os pernambucanos só voltaram a assustar aos 25 minutos, quando Murillo saiu na cara de Marcelo e viu o goleiro fazer grande defesa. Quando a esperança parecia se esvair, Júnior Tavares aproveitou a sobra do escanteio e pegou de primeira para igualar a partida aos 41 minutos da etapa complementar. Nos acréscimos, no entanto, veio o golpe de misericórdia. Após cobrança de escanteio no primeiro pau, Camilo subiu no meio da zaga alvirrubra e cabeceou para dar números finais ao confronto.

Se fechando no 4-1-4-1, defesa sofreu pelos próprios erros (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Volmer Perez/GEB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: