Férias antecipadas: análise Confiança 0 x 0 Náutico

Por: Felipe Holanda

Protocolar. Quase sem pretensões de voltar ao G-4, o Náutico ficou no empate sem gols diante do Confiança nesta terça-feira (9), no Estádio Batistão, em Aracaju, sacramentando de vez a permanência na Série B do Campeonato Brasileiro. Com 49 pontos, o Timbu precisaria vencer os quatro últimos jogos e ainda torcer por uma combinação de resultados para conquistar o acesso.

Ainda sem Hereda, que seguiu vetado, Thássio foi mantido na lateral direita, enquanto Guilherme Nunes entrou improvisado pela esquerda. No meio, Djavan e Jaílson substituíram os suspensos Matheus Trindade e Jean Carlos, respectivamente, mantendo o 4-3-3 da vitória sobre o Coritiba.

Formação tática inicial dos alvirrubros (Feito no Tactical Pad)

Apoio

COMO FOI

A posse de bola foi a tônica do Náutico nos primeiros minutos. Em busca de espaços, o Timbu construía o jogo lá de trás, formando um 4-2 na saída, com Matheus Jesus mais por dentro, tendo que simular algo próximo de Jean Carlos. Tinha aproximações, mas faltava precisão no último passe. E nas finalizações, quando Jaílson bateu mascado para fácil defesa de Rafael Santos.

Progressão de posse dos alvirrubros (Imagem: SporTV/Premiere)

Tentando impor o ritmo e explorando a profundidade dos laterais, principalmente Thássio na direita, o Timbu teve a primeira boa chance de inaugurar o placar. Thássio cruzou e Álvaro tentou empurrar à última linha, mas não alcançou por pouco.

O Dragão tentou responder e ganhar confiança, porém os pernambucanos mantiveram a toada. Formando um 2-3 no ataque com o apoio dos laterais, Thássio fez mais uma boa jogada, contudo perdeu o timing da finalização. Restou o arremate incerto de Vinícius, que saiu à esquerda da meta sergipana.

Investida do Timbu pela direita (Imagem: SporTV/Premiere)


A postura na direita seguiu agredindo. Em contragolpe, Thássio lançou Jaílson, que até conseguiu entrar na área, no entanto pegou mal demais na bola. Um susto veio quando Hernane Brocador recebeu cruzamento de João Paulo e Camutanga foi preciso para interceptar a finalização, na última chance do primeiro tempo.

Na segunda etapa, sem escolhas, o Náutico voltou um pouco disposto a buscar o resultado, pelo menos no papel. Mais espaçado entrelinhas, quase marcou com Vinícius, em mais um bom passe de Thássio, mas o capitão mandou por cima da meta azulina.

Precisando mexer no time, Hélio acionou Giovanny, que entrou para preencher melhor o meio, tentando ditar o ritmo num 4-3-3. Para azar do comandante alvirrubro, a estratégia surpreendeu pouco, mesmo que os laterais tentassem aprofundar e Rhaldney auxiliasse Thássio na direita.

Postura após a entrada de Giovanny (Imagem: SporTV/Premiere)

O fim do jogo foi um “Deus nos acuda”. Juninho Carpina, Luiz Henrique, Paiva e Luan entraram, mas pouco produziram. Do outro lado, os donos da casa lutaram pelo gol até o último instante, porém o empate com placar em branco permaneceu até o apito final do árbitro.

Créditos da foto principal: Lucas Almeida/ADC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: