Sem terra firme: análise Sport 2 x 3 América-MG

Por: Mateus Schuler

Terreno movediço. Mesmo lutando até o fim e com um a menos, o Sport caiu para o América-MG por 3 x 2 nesta quarta-feira (10), na Arena de Pernambuco, se afundando de vez na luta contra o rebaixamento na Série A do Campeonato Brasileiro. Mikael e Zé Welison marcaram para os leoninos, já Alê, Ademir e Juninho Valoura deram a vitória americana na partida, válida pela 31ª rodada.

Para o confronto, o treinador Gustavo Florentín – que voltou de suspensão – teve também as voltas de Gustavo e Mikael, desfalques também por terem de cumprir a automática pelo terceiro amarelo. Rafael Thyere e Zé Welison, dúvidas por conta de lesão sofrida na derrota contra o Fluminense, entraram entre os 11, mantendo o 4-2-3-1 rubro-negro.

Sistema tático foi mantido mesmo com a escalação alterada (Feito no Tactical Pad)

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

COMO FOI

Apesar da necessidade de sair com a vitória para se manter na briga contra a degola, o Sport começou a partida nervoso e pouco criativo. Em uma saída 4+3, tendo a participação de Maílson, o Leão tentou alternativas para chegar ao ataque, contudo viu o América-MG criar a primeira boa chance: Juninho chutou de fora da área e o goleiro defendeu seguro.

Mesmo formando o 4-3-3 com as peças adiantadas ao atacar, demonstrou fragilidades na defesa e o Coelho foi letal. Felipe Azevedo recebeu pelo lado esquerdo e levantou para Alê, que resvalou no canto da meta, estufando as redes. Pouco depois, veio a reação, porém sem assustar; Paulinho Moccelin bateu escanteio fechado e Mikael cabeceou tirando do gol.

Laterais tiveram liberdade para atacar ainda com 10 em campo (Imagem: TV Globo)

Além das dificuldades quando tiveram a posse, os leoninos reclamaram com a arbitragem: Paulinho Moccelin tentou cruzar na área e a bola ficou na mão de Lucas Kal, entretanto nada foi marcado. A única oportunidade que criou, no entanto, veio quando Zé Welison testou sobre a meta depois de Hernanes cobrar um tiro esquinado.

Se a queda veio na desvantagem no placar, o coice veio antes da metade do primeiro tempo. Por falta dura em Felipe Azevedo, o meia Gustavo recebeu o cartão vermelho direito e fez os rubro-negros ficarem atrás numericamente, que deu mais ânimo aos americanos. Em um dos lances, Ademir foi lançado em profundidade, ganhou na velocidade e arrematou firme para defesa do camisa 1 dos pernambucanos; intervenção manteve o resultado parcial.

Equipe da Praça da Bandeira toda em sua defesa com duas linhas de 4 (Imagem: TV Globo)

Na etapa final, o Sport voltou sem novidades na escalação, mas entrou com vontade de buscar o empate. Logo no primeiro minuto, Hernanes achou bom passe para Mikael na pequena área, que chutou para defesaça de Cavichioli; a sobra ficou em Marcão, que cabeceou fraco e o goleiro adversário deteve a posse.

Apesar de ter voltado melhor em campo, o Leão voltou a falhar na defesa e o América não vacilou. Após cobrança de escanteio mal sucedida, o goleiro do time mineiro lançou ainda do seu campo para Ademir, que driblou Ewerthon e aproveitou Maílson adiantado para mandar ao fundo do gol, ampliando o placar; verdadeiro banho de água fria na reação.

Rubro-negros até reagiram pelo empate, mas sem sucesso (Imagem: TV Globo)

Na tentativa de reforçar melhor o meio-campo e renovar o fôlego ofensivo, o técnico Gustavo Florentín fez duas mudanças: Betinho e Everton Felipe foram acionados nos lugares de Hernanes e Paulinho Moccelin, respectivamente. As mexidas deram ânimo aos rubro-negros, pois diminuíram a desvantagem no marcador: Ewerthon cruzou rasteiro, Mikael dominou já ganhando de Ricardo Silva e finalizou na saída do arqueiro americano.

Empurrados pela torcida, que deu sinais de acreditar, os pernambucanos se mantiveram ligados e bem postados no ataque, contudo não eram criativos. A falta de criatividade, contudo, acabou compensada pela eficiência na bola parada: Zé Welison cobrou falta rasteira forte e no canto, energizando ainda mais a Arena. Do meio para o fim, todavia, a frustração veio; Patric fez jogada pela direita e levantou para Juninho Valoura, que chegou livre e cabeceou no chão, entretanto Maílson não conseguiu afastar.

Créditos da foto principal: Anderson Stevens/Sport

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: