Sport na Série A: como joga taticamente o Ceará

Por: Mateus Schuler

Missão impossível? Virtualmente rebaixado, o Sport encara o Ceará precisando vencer para contrariar prognósticos e seguir matematicamente vivo contra o rebaixamento na Série A do Campeonato Brasileiro. Partida será disputada neste domingo (14), às 19h, na Arena Castelão pela 32ª rodada.

Separamos tudo sobre o próximo adversário rubro-negro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais dos alvinegros.

O TIME

Para o confronto frente aos leoninos, Tiago Nunes tem a ausência do volante Fernando Sobral, pois foi expulso diante do Athletico-PR, sendo a única baixa em relação à última rodada. Os zagueiros Messias e Luiz Otávio e o atacante Jael, por outro lado, voltam de suspensão já como opções entre os titulares, mantendo o 4-2-3-1 do Vozão.

Duas dúvidas foram geradas por opção do treinador (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Se hoje o Ceará ocupa a parte de baixo da tabela, muito se deve ao segundo turno, no qual a equipe tem o segundo pior ataque junto a Cuiabá, São Paulo, Bahia e Atlético-GO, com nove gols, à frente somente do Santos. Desde que o treinador Tiago Nunes chegou, foram disputados 12 jogos, todos do returno, e o Vozão venceu apenas três vezes.

Goleiro e zagueiros ajudam na construção ofensiva (Imagem: Premiere)

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Apesar do setor ofensivo estar irregular, balançando as redes por menos de uma vez por jogo sob o comando de Nunes, as linhas buscam aproximação para melhor produtividade. O início das jogadas geralmente é por uma saída em 4+2, com os dois volantes recuando para ajudar os defensores, apoiados pelo goleiro, para dar mais opções de passe; do meio em diante, o 4-3-3 se forma, tendo os laterais dando amplitude e adiantados.

Laterais e volantes auxiliam na fase ofensiva (Imagem: TNT Sports)

“Desde que Tiago Nunes assumiu o comando alvinegro, o Ceará foi deixando de ser um time reativo e passou a propor mais o jogo. Vina tem melhorado seu rendimento, hora na criação, hora como um falso 9 e vem de uma assistência no último jogo. Apesar de ter criado bastante, principalmente nos jogos em casa, o Ceará ainda tem dificuldade para converter essas chances em gols. O ponto forte tem sido a bola aérea, principalmente quando os zagueiros chegam para atacar”

Lennon Costa, repórter no O Povo

COMO DEFENDE

Defensivamente, porém, a equipe alvinegra demonstra melhores números e mais solidez. Foram apenas 32 gols sofridos nas 31 partidas disputadas, o que dá média de aproximadamente um por confronto. Isso se deve à postura de Tiago Nunes, fazendo constantes variações no desenho tático, alternando de acordo com o encaixe do adversário.

Linhas jogam mais adiantadas para pressionar o adversário (Imagem: Premiere)

“O Ceará vem em um bom momento defensivo. Retornando de suspensão, Messias e Luiz Otávio são zagueiros bem físicos e com números muito bons na bola aérea. No gol, João Ricardo ganhou a posição de Richard e tem mostrado muita segurança e qualidade para sair jogando com os pés. Uma ausência que certamente vai ser sentida é a de Fernando Sobral, expulso no jogo contra o Athletico-PR. O volante é o maior ladrão de bolas do Brasileirão e importante peça na transição ofensiva”

Lennon Costa, repórter no O Povo

Certo mesmo é que o time tem se postado em blocos médios, podendo ser até altos quando a marcação aperta a saída de bola. As posturas de maior frequência são as duas linhas de 4, sendo o 4-4-2 evidenciado nos jogos em casa, enquanto o 4-1-4-1 surge como alternativa para povoar o meio-campo e bloquear os espaços de passe.

Meio ainda pode ficar povoado para fechar entrelinhas (Imagem: TNT Sports)

PARA FICAR DE OLHO

Messias (ZAG) – Um dos pilares defensivos do Vovô. Contratado após ser um dos melhores zagueiros da última Série B, pelo América-MG, o defensor tem o alto número de cortes – lidera o quesito com 157 – como seu principal trunfo. Além disso, se destaca na bola aérea, principalmente na fase defensiva; no ataque, já marcou um gol.

Vina (MEI) – Apesar de ser o terceiro artilheiro da equipe no Brasileirão, com três tentos marcados, o meia é o cérebro do time. É dos pés dele que saíram quatro grandes chances, dividindo a marca junto a Jorginho e Lima, servindo os companheiros em duas oportunidades; outro ponto destacável do meio-campista é o número de finalizações, sendo o maior finalizador por ter dado 57 chutes.

Jael (ATA) – O atacante não é o principal goleador alvinegro na Série A, indo às redes por duas vezes, mas o faro de gol pode pesar em seu favor. Passou pelo Sport, em 2012, e não caiu nas graças da torcida, porém nos cearenses tem ajudado com boa movimentação na pequena área, auxiliando também nos pivôs; já deu duas assistências.

Créditos da foto principal: Felipe Santos/CearaSC.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: