Náutico na Série B: como joga taticamente o Cruzeiro

Por: Mateus Schuler

Relaxado milhas e milhas distante. Já em clima de férias e planejando 2022, o Náutico enfrenta o Cruzeiro na noite desta quinta-feira (25), no Mineirão, às 20h em partida que encerrará sua participação na Série B do Campeonato Brasileiro. Confronto é válido pela última rodada e o Timbu não tem chances nem de queda, nem acesso.

Separamos tudo sobre o próximo adversário alvirrubro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, informações exclusivas de um setorista, números, jogadores para ficar de olho, e muito mais da Raposa.

O TIME

Para o confronto frente aos pernambucanos, a equipe celeste tem as baixas de Claudinho, lesionado, e Thiago e Vitor Leque, suspensos. Wellington Nem e Marcinho voltam de suspensão, já Marcelo Moreno retorna após convocação à Bolívia; Bruno José, porém, é dúvida. Ariel Cabral – não renovará o contrato – e Rafael Sóbis, que vai se aposentar, podem ser acionados no 4-2-3-1 dos mineiros.

Escalação cruzeirense ainda pode ter entradas de Ariel Cabral e Rafael Sóbis (Feito no Tactical Pad)

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

COMO ATACA

Dono do oitavo melhor ataque com 42 gols, inclusive dividindo a marca junto ao Avaí, que luta por acesso, e Brusque, o Cruzeiro tem números até positivos para uma equipe da parte de baixo da tabela. Ainda assim, não costuma ter a pontaria calibrada, pois desperdiçou 31 das 53 grandes chances criadas no campeonato, ficando no top-5 do quesito.

Primeiro volante dos mineiros inicia criação ofensiva (Imagem: Brasileirão Play)

Mesmo assim, o time de Vanderlei Luxemburgo gosta de ter a bola, usando o jogo apoiado como essencial para progredir a posse da defesa ao ataque. O início das jogadas geralmente tem o primeiro volante ao lado dos zagueiros, em uma saída de 3, auxiliada pelo goleiro Fábio; do meio em diante, formam um 4-2-3-1, tendo os extremos e o armador na criação.

Blocos buscam maior aproximação para ocupar entrelinhas (Imagem: Brasileirão Play)

“O Cruzeiro teve muitos altos e baixos desde a queda, sem ter um artilheiro inclusive, o que fez o time não brigar pelo acesso nesses dois anos. Apesar de ter surgido boas peças no setor, nenhuma mostrou consistência, com Vanderlei aproveitando-as melhor”

Sulimar Silva, repórter na Rádio Inconfidência

COMO DEFENDE

Defensivamente, entretanto, tem apresentado muitas fragilidades, inclusive após assegurar permanência por mais uma temporada na Segundona. Em situação até cômoda nos últimos cinco confrontos, foi vazado em cinco das 44 vezes – em três jogos – totalizadas no torneio, ressaltando a inconsistência do setor.

Sistema defensiva tenta o máximo de compactação possível (Imagem: SporTV/Premiere)

Apesar disso, não há um modelo pré-definido ao defender, tendo variações de acordo com a postura proposta pelo adversário. O desenho mais comum é o 4-4-2, tendo os extremos ao lado dos volantes e o outro meio-campista junto ao centroavante; outra possibilidade, contudo, é formar um 4-2-3-1 de blocos médio/altos, tendo as linhas adiantadas para povoar mais o meio e fechar melhor os espaços entrelinhas.

“A defesa com Vanderlei Luxemburgo mudou bastante, pois ele tem trocado muito e testado as peças. Com a sequência negativa e as oscilações em campo, o sistema defensivo foi bastante afetado, dando muita inconsistência ao restante da equipe”

Sulimar Silva, repórter na Rádio Inconfidência
Linhas podem ficar adiantadas para pressionar adversário (Imagem: Brasileirão Play)

PARA FICAR DE OLHO

Rômulo (LD) – Volante de origem, o hoje lateral-direito tem como trunfo sua experiência pelo futebol italiano, o que o faz ser um dos principais nomes no sistema defensivo, tendo 50 desarmes, o vice-líder cruzeirense no quesito. Em contrapartida, tem participado constantemente da fase ofensiva, com cinco grandes chances criadas – líder ao lado de Giovanni – e cinco assistências, o que mais colaborou.

Giovanni (MEI) – Ex-jogador do próprio Timbu, o meia é o cérebro do time, já que é quem faz a bola rodar do meio para frente. Responsável pela armação de jogadas, criou cinco grandes oportunidades, além de duas assistências. É ainda um dos artilheiros da equipe, com cinco gols marcados, assim como é o maior finalizador, totalizando 65 chutes.

Marcelo Moreno (ATA) – Experiente, o atacante boliviano é o principal nome do ataque cruzeirense, sendo peça essencial na referência. Não por acaso, já fez cinco gols na Segundona, sendo um dos goleadores do time. É também o artilheiro das Eliminatórias à Copa do Mundo 2022, com nove tentos feitos, o que o faz ser uma ameaça na pequena área.

Créditos da foto principal: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: