Golpe de misericórdia: análise São Paulo 2 x 0 Sport

Por: Mateus Schuler

O último tiro. Mesmo que não dependesse apenas de si, o Sport sofreu o golpe de misericórdia na disputa contra o rebaixamento depois de perder para o São Paulo, neste sábado (27), por 2 x 0 no Morumbi. O resultado fez o Leão ter a queda praticamente decretada, em partida antecipada pela 36ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, tendo que reverter sete de nove pontos para somar.

Motivado pelo resultado positivo diante do Bahia, o técnico Gustavo Florentín optou por não promover alterações nos 11 iniciais. Herói contra o Esquadrão, o atacante Paulinho Moccelin permaneceu como opção no banco de reservas, já a única nova ausência foi de Tréllez, pois está emprestado pelos paulistas; o 4-2-3-1 se manteve na base da escalação leonina.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

COMO FOI

O confronto começou bem equilibrado, com os dois times buscando achar o mapa do tesouro. O primeiro bom lance, como esperado, foi do São Paulo, no entanto sem levar tanto perigo: Gabriel Sara recebeu pela direita, girou para a perna esquerda e o chute saiu relativamente próximo à trave direita, o que fez o Sport se soltar em campo.

Postado no 4-2-3-1 quando tinha a posse, o Leão não havia se mostrado tão criativo, porém conseguiu achar espaços e deu o primeiro grande susto. Em jogada individual, Everton Felipe serviu Mikael, que finalizou cruzado e parou nas pontas dos dedos de Tiago Volpi. Logo depois, Everton Felipe ensaiou no escanteio com Ewerthon e cruzou na cabeça de Mikael, que cabeceou para o milagre do goleiro tricolor.

Apesar das linhas próximas, leoninos criaram pouco (Imagem: SporTV/Premiere)

A partida ficou cada vez mais em aberto, mas os paulistas passaram a ficar no domínio das ações, empurrado pela torcida. Após corte errado de Sander, Rigoni levantou na medida para Calleri, que testou e Maílson fez defesaça; na sequência, a defesa cortou. Depois, foi a vez de Reinaldo cobrar falta na área e Gabriel Sara desviar para intervenção do arqueiro leonino.

Formando o 4-1-4-1 em fase defensiva, os rubro-negros tinham Mikael como o homem de referência mais isolado, enquanto que os outros nove jogadores ficaram em linhas recuadas. Assim, povoaram o meio e seguraram melhor o ataque adversário, que não mostrou boa pontaria, deixando o duelo no zero ao intervalo.

Solidez defensiva durou ao menos o primeiro tempo (Imagem: SporTV/Premiere)

Para a segunda etapa, Florentín voltou sem mudanças, mas a equipe reagiu e chegou próximo de ficar em vantagem no primeiro minuto. Everton Felipe deu bom lançamento pela direita para Mikael que, de primeira, emendou um forte chute, contudo Tiago Volpi estava atento e afastou para escanteio. Não demorou muito para o castigo chegar.

Menos de cinco minutos depois, em cobrança de falta que a marcação subiu para forçar uma linha de impedimento, Benítez achou Calleri surgindo livre. O atacante argentino aproveitou a falha e, se antecipando a Maílson, mandou para o gol. O gol sofrido fez o técnico leonino promover a entrada de Paulinho Moccelin no lugar de Hernanes, alternando ao 4-4-2 para buscar neutralizar as investidas são-paulinas.

Saída de Hernanes deixou duas linhas de 4 na marcação (Imagem: SporTV/Premiere)

Ainda assim, os pernambucanos não mostraram muita criatividade para ir à procura do empate, entretanto tiveram nova oportunidade. Após a bola ficar viva na pequena área, Zé Welison girou em cima do marcador e bateu firme, todavia o camisa 1 se esticou todo para tirar com o pé e evitar que sua meta fosse vazada.

A medida que o tempo ia passando, os rubro-negros perdiam a intensidade, o que deixou os paulistas mais tranquilos. Luciano Juba foi acionado na vaga de Gustavo, formando um 4-3-3 apoiado pelos laterais do meio para frente. Os tricolores, porém, aproveitaram o espaço deixado entrelinhas do sistema defensivo do Leão e lacraram o caixão: depois de boa jogada individual pela esquerda, Marquinhos viu Gabriel Sara surgir livre na área; o meio-campista finalizou alto, sem dar possibilidades para a intervenção.

Laterais até apareceram no ataque, mas a produtividade foi nula (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Anderson Stevens/Sport

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: