Jovem guarda: análise Chapecoense 0 x 1 Sport

Alento. Com vários atletas da base, o Sport venceu a Chapecoense por 1 x 0 nesta segunda-feira (6), na Arena Condá, ensaiando futuro melhor para 2022 após fiasco na Série A do Campeonato Brasileiro. O prata da casa Luciano Juba marcou um verdadeiro golaço para selar o placar do confronto, válido pela penúltima rodada do Brasileirão.

Diante do lanterna, Gustavo Florentín promoveu duas mudanças na escalação inicial. A primeira foi a de Hernanes, que cumpriu suspensão, sendo substituído por Tréllez. A outra novidade foi a entrada do zagueiro Chico na lateral esquerda; Sander, titular habitual, começou no banco de reservas.

Onze inicial rubro-negro para o confronto de rebaixados (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Primeiro tempo de muitas faltas e pouco futebol. A Chapecoense teve a primeira boa chance do jogo com o lateral improvisado Ronei, que recebeu a bola no lado direito do ataque e chutou cruzado para fora. Logo depois, veio um duro golpe para a equipe de Chapecó, quando Geuvânio acabou expulso após falta dura em Zé Welison – lance foi revisto pelo VAR.

Mas, a priori, a vantagem numérica não foi aproveitada pelo Leão. Mesmo com um a mais, as melhores chances continuaram sendo dos donos da casa. Com isso, o rubro-negro se fechou formando duas linhas de quatro. Tréllez e Gustavo se juntavam aos volantes na marcação, tentando evitar mais finalizações do adversário.

Sport se fechando com duas linhas de quatro (Imagem: Premiere)

A partida seguiu com poucas emoções. Apesar do Leão da Ilha buscar se impor e levar mais jogadores ao setor ofensivo, foram pouquíssimas chances de real perigo. A melhor delas surgiu dos pés do lateral Ewerthon, que aproveitou um rebote em cobrança de falta de Zé Welison e obrigou o goleiro a realizar uma boa defesa. Em determinados momentos o time de Florentín subia para o ataque em um 2-4-4, tendo Gustavo e Everton Felipe dialogando em busca do gol.

Pernambucanos avançam com muitos jogadores no 2-4-4- (Imagem: Premiere)

Já o segundo tempo foi de maior domínio dos recifenses: Luciano Juba entrou logo no intervalo na vaga de Chico e mudou os rumos da partida. Logo em seu primeiro lance, acertou bom cruzamento na cabeça de Mikael, que por pouco não foi às redes. Com Juba, atacou num 4-2-4, com maior liberdade para os laterais chegarem ao último terço do campo.

Após mudança, Leão atacou num 4-2-4 (Imagem: Premiere)

Os visitantes mantiveram uma posse de bola muito maior, mas ainda assim com poucos chutes na barra do goleiro. Com o passar do tempo e das substituições, os leoninos passaram a atuar com nove jogadores formados nas categorias de base e seguiram indo com tudo para o ataque, mantendo o 2-4-4 apresentado no primeiro tempo.

Cheio de garotos em campo, Sport continuou atacando no 2-4-4 (Imagem: Premiere)

E a juventude rubro-negra foi premiada perto do fim do jogo. Luciano Juba acertou um belíssimo chute de muito longe, a bola ainda bateu no travessão antes de morrer no fundo das redes. Após o gol, a Chape, que passou o segundo tempo sem poder ofensivo, foi ainda mais controlada pelos pernambucanos, que ainda tiveram outras chances de ampliar antes do apito final.

Análise: Ivan Mota

Créditos da foto principal: Anderson Stevens/Sport

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: